O que fazer caras primeiro aviso sobre você

2. Que caras notar primeiro? Seu cabelo Você pode pensar que a primeira coisa na lista seria a sua figura, mas enquanto a maioria dos homens em vermelho sangue vai dar uma olhada em seu formulário, é o cabelo que primeiro fala volumes. Se você cuidar do seu cabelo, é provável que você cuidar de tudo o resto também. Yoooo (VÃO TOMA NO CU), como vão ? Bem, eu estou aqui apenas para dizer sobre o novo projeto e primeiro projeto que estou fazendo (YEEEEEEEEEEEEEEEEEEY!) o nome do projeto é Shadow Stalker e iremos focar em jogos feitos no RPG Maker ( se possível no futuro quero também focar na criação de wallpapers….MAS EU NÃO SEI FAZER WALLPAPER, então se alguém sabe fazer…estou contratando . Se você não tem malas para despachar, pode fazer o check in nas máquinas de autoatendimento. Às vezes, o sistema informa que você tem que ir até o balcão, mas não se desespere, muitas das ocasiões é só para conferir o tamanho da sua bagagem de mão. O que eu fiz que ACABOU de vez com o meu problema de Ejaculação Precoce. O que fazer para demorar a ejaculação, acredite é mais simples do que você pensa, eu SEMPRE tive ejaculação precoce, ou seja, vivi por uns 9 anos com esse problema até que descobri um jeito de acabar de vez com isso. Aqui estão 10 coisas que os caras de aviso Quando primeiro conhecê-lo. As primeiras impressões são muito importantes tudo o que fazemos. Mas as primeiras impressões são muito tudo quando se trata de encontrar um indivíduo para a primeira vez.Basicamente, se há algo sobre você que ele não gosta ou não tem certeza de, `s indo para ficar em sua mente para sempre. O ideal para o primeiro beijo, é não deixar que ele seja MUITO longo e cansativo, quando você sentir que deve parar, você pode recolher sua língua, e fazer pequenas carícias com os seus lábios nos lábios dele, como se fosse pequenos selinhos demorados, até você parar. Normalmente todo beijo termina com alguns selinhos até parar de vez. É aí que entra a pergunta de ouro. Como não pagar pela conta dela e não parecer um pão-duro. Primeiro que eu acho que você NUNCA deve se sentir desconfortável por falar para o garçom dividir a conta em dois, e isso é algo que você deve saber que é o que fazer no primeiro encontro.. Você deveria se sentir desconfortável é de pagar a conta de alguém que você nem conhece direito. Caso você já tenha feito sua “fezinha” e seja agraciado pela bolada do ano, veja a seguir 13 coisas que é possível fazer com o prêmio que será sorteado hoje: 1. Pagar o cachê de atores da saga Vingadores. O custo da produção bilionária do universo cinematográfico dos 22 filmes da Marvel juntos foi de R$ 16,7 bilhões ... 10 coisas que os caras aviso sobre você e você nunca soube que eles fazem. It`s uma crença comum de que os caras não são atento e não estão em sintonia com as mulheres, mas eles percebem muito mais do que você pode perceber. Você acha que algumas dessas coisas que você faz são o seu pequeno segredo, mas, eles sabem sobre eles realmente. 10 coisas que você precisa fazer para ser um verdadeiro fã de Star Wars. ... Aviso sobre Cookies Políticas De Privacidade ... O Império: Os caras maus. Eles mataram todo os Jedi há muito tempo.

Sou babaca por convencer minha prima a terminar um namoro que eu arrumei?

2020.08.08 00:13 cahzinea Sou babaca por convencer minha prima a terminar um namoro que eu arrumei?

Eai luba, editores, e pessoas aleatórias que estão lendo isso, essa história n é minha porem participei dela, e graças ao incentivo dela estou postando aq.
Bem essa história começou no final de 2018, a personagem principal dessa história é Rainara, eu e ela estávamos um dia no meu quarto falando baboseira quando mandei uma mensagem para o meu amigo Carls (que é o meu vizinho,ou seja, consigo ver a janela dele do meu quarto) então pedi pro corno mostrar a cara, até q Rainara que bate bem da cabeça ameaçou tacar um ovo na casa dele, bem parece que isso conquistou o coração de Carls pq ele pediu o número dela.
Bem se passou um ou dois meses n lembro direito e ele pediu ela em namoro por um jogo online, acontece que os pais de Rainara são muito rígidos e não deixam ela namorar, então acabou sendo escondido, eles só se viam quando íamos buscar o irmão de Barls (outra prima nossa) na escola, bem acabou que os pais descobriram e proibiram ela até perdeu o celular por uma semana, bem mesmo assim ela insistiu, eu lembro q no começo todos do grupinho gostavam do casal e tals.
Bem vamos para o primeiro termino deles, bem como moramos juntas ela apareceu aqui e pediu ajuda para terminar com ele pois não estava sentindo mais nada por ele, além dele fazer pressão psicológica para Rainara conversar com os pais e pq ele rebaixava ela, Rainara é uma pessoa insegura e n gosta de ter briga com ninguém, então a parte dela acabou sendo bem calma, porem no meio do termino ele virou um nice guy, falando que a culpa era toda dela, que ela n fazia nada pela relação, que ela nunca iria achar alguém melhor q ele, e soltou uma pérola maravilhosa que foi a frase –“Sua mente tem medo, seu coração me ama, escolha o seu coração”- bem no dia foi isso como eu e Carls estudamos na mesma escola achei que ele estaria muito mal no dia seguinte, porem ele apareceu como se nada tivesse acontecido e de acordo com a minha amiga ele falou pra ela q eles apenas haviam brigado e que já estavam bem. Quando eu cheguei da escola falei isso pra ela, e vamos para o segundo termino, dessa vez foi em chamada de voz enquanto eu estava la só ouvindo, e no meio dessa novo termino eu conheci um novo lado do Carls que nunca havia visto, ele estava praticamente gritando, culpando ela e agindo de maneira estupida, e no final ele exigiu que ele fosse la em casa para terminar cara a cara e que se ela n deixasse ele ir de tarde ele iria de noite no momento que os pais dela estariam em casa, eu acho que essa exigência foi somente pra tentar convencer ela porem n deu certo.
Agora vamos para o ponto principal da história eu ninja como sou descobri que eles haviam voltado DE NOVO e como eu sabia que esse namoro não fazia bem para ela por conta dele ser um babaca, fui conversar e tentar convencer ela a acabar com isso, nesse dia tive uma conversa séria com ela a esse ponto todo mundo do grupinho já sabia q eles tinham voltado e todo mundo foi contra, bem demos avisos mais n forçamos nada, pois a vida é dela, porém ainda ficamos de olho. Umas semanas depois ela me chamou de novo e falou que n aguentava mais a pressão que ele fazia sobre ela (coisa q ele falou que iria mudar), ela me mostrou várias conversas que mostrava o quão toxico e possessivo ele era, a ponto dela não poder falar sobre nenhum amigo, além dele falar que ela n era grande coisa, que se fosse por corpo ele nunca ficaria com ela (sendo q ele nem é lá essas coisas) e falava várias outras coisas que deixavam ela com baixa autoestima, ai eu falei muitas coisas pra ela, que era para terminar pois isso não era saudável e dessa vez ela pediu para eu terminar, ou seja, eu fiz um texto até que calmo para a situação, no começo ele falou que já que era assim ele n ia insistir, porem depois de alguns minutos conversando ele começou a implorar muito. No final ela acabou bloqueando ele porem o Carls foi procurar ela no facebook e no final eles acabaram voltando de novo porem terminaram depois de uma semana, o infeliz ainda foi mandar mensagem para eu pedir para a Rainara desbloquear ele, além de ir na frente da escola dela pra eles conversarem oq n aconteceu. Esses dias ele foi tentar conversar com ela no discord e acabou em block.
Essa é a história e as vezes me sinto um pouco culpada por ter passado o número dela. Vocês acham que eu fui babaca por ter meio que forçado ela a terminar?
submitted by cahzinea to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.10 05:39 allydunno Completamente perdida no vazio.

Aviso: desabafo muito grande e desorganizado cronologicamente e até ortograficamente. Sei que já exclui esse post várias vezes e coloquei novamente, peço perdão.
Não tenho tanto a reclamar da minha vida apesar de não querer ela, ela nunca foi extremamente ruim, tive os brinquedos que queria e de início uma família reunida. A memória mais vivida que tenho é do bullying. Entrei em uma escola aos 11 anos e foi lá que tudo começou a desandar. Fiz um grupo de amigas inicialmente que no fim eram tudo menos minhas amigas de verdade. A minha "melhor amiga" nesse grupo sempre teve problemas psicológicos (tinha problemas com a aparência dela) e sempre tentei ajudar apesar de ser bem ingênua na época mas, acho que não fiz o suficiente ou talvez não tenha sido uma amiga boa o suficiente. Ela dizia na minha cara que me odiava, me fez sentir mal muitas vezes mas ainda sim eu sentia compaixão e empatia por ela, não por pena mas sim porque eu a considerava minha amiga de verdade. Ela chegou a quase me enforcar um dia na escola, e depois passei a entender que talvez ela me odiasse de verdade. Um dia disse que se ela morresse a culpa seria minha e até hoje eu simplesmente não consigo esquecer isso. Não quero pintar ela como a vilã pois sei que ela estava lidando com conflitos internos mas ainda sim, a forma como fui quebrada e estraçalhada nessa amizade é irreversível. Sofri bullying por outras garotas na escola, minhas outras duas amigas desse grupo me humilharam algumas vezes e foi nessa escola que fui literalmente um objeto para satisfação alheia, não importa o quanto aquelas pessoas me machucassem eu ainda estaria ali por elas firme e forte. Eu passei a me arrastar para ir a essa escola, tomava remédios de ansiedade porque toda vez que eu via aquelas pessoas eu ficava extremamente ansiosa (tive problemas físicos com isso), nunca contei nada a minha mãe e para minha vó porque nunca achei que fosse importante. Inclusive gostei de um garoto (perto do meu último ano nessa escola, passei 4 anos lá) mas hoje em dia me pergunto se gostei dele de verdade ou se senti isso porque todos falavam que a gente dava certo junto, e bem, eu queria agradar todo mundo né?...
Aos 15 anos fui para outra escola começar o ensino médio, de início foi incrível uma das melhores coisas, perdi grande parte da minha timidez e parei de tomar remédios para ansiedade. Comecei a gostar de outro menino e com ele tive meu primeiro namoro e meu primeiro beijo, no começo foi mágico mas depois tudo começou a desandar. Ele queria me forçar a fazer sexo/a ter desejos sexuais, me criticava por não conseguir demonstrar meus sentimentos e afirmava que eu não o amava por causa disso tudo. Me destruiu psicologicamente pois me fez perceber o quão fraca e covarde eu sou. Foi nesse mesmo ano que me machuquei pela primeira vez. Novamente, achei que não era importante então não contei a ninguém.
No mesmo ano comecei a gostar de um garoto, um garoto que me amava de verdade, um garoto que teve uma decepção amorosa anterior e que se tornou meu melhor amigo. Em pouco tempo a gente se aproximou, demais. Beijei ele mas decidi acabar tudo antes de começar porque tive medo, medo de machucar ele assim como eu me machuco, medo de não demonstrar sentimentos e ele se decepcionar, medo de perder tudo. Ele se afastou e parou de falar comigo para sempre, até mudou de escola, me senti a pior pessoa do mundo e me sinto até hoje. Novamente não achei importante, fiquei calada
No ano seguinte, no meu segundo ano do ensino médio, comecei a namorar um garoto que todos falaram que não valia nada mas eu precisava desesperadamente de alguém para me ouvir, me abraçar e ele pelo menos disse que faria isso, mas nunca o fez. Lembro até hoje do dia que tive uma crise na escola (por causa de uma briga familiar) e ele ficou do meu lado olhando o celular o tempo inteiro, me senti uma ridícula por estar chorando e sendo uma namorada ridícula e fraca. Ele também insista na questão do sexo e até chegamos a fazer certas coisas nada muito além mas fiz apenas para agradar, não me sinto bem até hoje com isso. Novamente, fiquei calada.
No final do mesmo ano, tive outro relacionamento, fomos amigos de início mas logo começamos a namorar, de início foi bom -como sempre- mas conforme o tempo foi passando tudo piorou. Ele também insistiu na questão do sexo e bem, foi nesse relacionamento que sofri com estupro e diversos outros toques que me incomodaram. Certos toques eu simplesmente deixei porque ele gostava então achei melhor, melhor para ele mesmo eu não me sentindo nada confortável. No estupro, não tinha muita força para entender e minha mente se tornou um clarão mas impedi ele de ir bem além porque sei que ele iria. Estou com esse menino até hoje porque não consigo terminar, tenho medo, medo de machucar ele parece ridículo mas é verdade, me tornei dependente emocionalmente e mesmo querendo muito terminar não consigo fazer isso, agora irá demorar mais ainda com a quarentena. Enfim, não achei nada disso importante suficiente para falar então fiquei quieta.
Houveram outras coisas no meio desses anos, no meu último ano do fundamental meu pai se separou da minha mãe e nunca mais apareceu, não fala comigo, tentou tirar a casa que eu, minha mãe e meu irmão moramos, passou a viver com a nova família dele, não teve coragem de falar comigo nem para dizer que minha avó paterna havia falecido (isso aconteceu no finalzinho do ano passado).
Meu irmão (quando ainda eramos pequenos provavelmente uns 10 anos e ele uns 15) parou de falar comigo, talvez por raiva, tristeza, não tenho a mínima ideia hoje em dia só trocamos diálogos simples porque moramos na mesma casa, ele e minha mãe brigam várias vezes e parecem dois estranhos entre si ao invés de mãe e filho. Sinto falta dele e das conversas que tínhamos, do abraço dele, das risadas, dos momentos que tivemos mas hoje em dia ele está bem diferente, se tornou muito ganancioso e egoísta. Acho que não tive muita sorte com homens na minha vida sinceramente kkkk
Minha mãe e minha avó são os únicos motivos para eu continuar vivendo aqui, sei que as duas não suportariam viver sem mim então continuo aqui. Minha vó sempre se apoiou em mim e minha mãe também então não seria justo simplesmente fazer elas sofrerem por minha causa.
Me tornei um mar de angústia e desespero, me perdi de mim mesma, olho para o espelho e não sei quem está la mas sei que não tenho orgulho dessa pessoa. Sinto saudades da minha infância quando tudo era diferente, hoje em dia, me tornei destruída, sinto um grande vazio no meu peito. Já senti tristeza por mim, vazio, angústia, até mesmo ódio hoje em dia não sinto nada, sinto um grande vazio num imenso mar de solidão, angústia e silêncio. Não acho meus problemas importantes suficientes por isso nunca falo, acho que outras pessoas sofrem bem mais então não devo ficar falando sobre coisas fúteis como as minhas, falei aqui porque não conheço ninguém, ninguém me conhece e vocês serão como as pessoas que vejo na rua, prestarei atenção mas não nos veremos novamente por isso é mais fácil falar. Sinto essas coisas a muito tempo, desde pequena nunca contei nada para ninguém, talvez tenha sido influência do meu pai porque ele sempre foi uma pessoa fria então talvez me tornei assim também. Me acho um monstro por não conseguir sentir as coisas, faço praticamente tudo porque os outros querem me ver fazer ou gostam, usei diversas vezes roupas para agradar os outros, penteados para agradar os outros, enfim... Me perdi de verdade, não consigo mais organizar meus pensamentos porque tudo está se tornando um borrão. Sou extremamente racional então não irei tentar nada sério, apesar de pensar, me seguro aos meus pensamentos sãos. Talvez futuramente eu procure um psicólogo quando for maior de idade, assim não tenho que dar justificativas para minha mãe não estou preparada para contar tudo isso agora. Aos 17 anos me sinto extremamente perdida, não sei se irei conseguir amar alguém de verdade, não sei quem sou mais tenho apenas leves resquícios meus nesse borrão que eu vejo no espelho, não consigo falar o que sinto, sinto compaixão por todos menos por mim mesma, perdi minha humanidade comigo e não consigo mais encontrar, me sinto um objeto para satisfação alheia. Enfim, essa é só uma parte dos meus pensamentos desorganizados, nunca fui boa para escrever sobre isso mesmo, esse é meu desabafo sobre quase tudo.
Obrigada por ler, se estiver sentindo algo parecido comigo, pare um momento e olhe para o céu: olhar para as estrelas e sentir o vento gelado me ajuda às vezes, espero que te ajude também. ❤️
submitted by allydunno to desabafos [link] [comments]


2020.06.06 04:40 jhinjhinjinx Sou a babaca por ter saído escondido de casa para ver meu namorado?

Olá Luba, editores, gatas, restos de papelões e turma que está a ver. Quero começar essa história com um aviso: ISSO FOI ANTES DO CORINGA E QUARENTENA!
Bom, antes quero dar um pequeno contexto em como fui criada. Desde quando nasci, meus pais SEMPRE passavam a mão na minha cabeça falando que estava tudo bem e que qualquer problema que eu tinha, eu pudia ir correndo para eles que iriam resolver (pais super protetores resumindo), sempre dependia deles. Eles nunca conversavam sobre assuntos necessários e importantes da vida como sexualidade, futuro, amor, sentimentos, tudo que, na cabeça deles, não me faria mais "pura" (pra vocês terem noção, eu só fui saber o que era menstruação quando eu tive aos 9 anos COM UMA AMIGA EM CASA e eu desesperada falando "MÃE, MINHA PIRIQUITA TA SANGRANDO, EU VOU MORRER"; ou quando eu estava na loja do meu pai, ele atendendo cliente e eu berrei "PAI, O QUE É PÊNIS????" ai eu pesquisei no Google e caiu a ficha).
Enfim, moro em apartamento por 18-19 anos sem saber muito como realmente era a vida, andar sozinha por qualquer lugar (nem mesmo no quarteirão de casa) nunca foi uma opção, minha mãe falava que ia junto, meu pai ou meu irmão mas eu SEMPRE tinha que estar acompanhada (já meu irmão nunca precisou disso k, ja vão entender porque falei isso); Então, comecei a ficar mais "rebelde" por assim dizer, minha depressão começou a aparecer com o bullying na escola, minha mãe me batendo por eu chorar porque não queria voltar naquela escola pois era cara e meus pais não tinham condições de ficar pagando escola sendo que eu não ia (surpresa, repeti de ano), assim foi minha pré-adolescência.
Desde quando comecei a entrar na fase emo, minha mãe ficava puta comigo por querer fazer um piercing mas falava "espero que doa pra você aprender e nunca mais fazer isso" resultado: alguns anos depois furei meu septo. Então ela sempre gosta que eu quebre a cara pra poder aprender as coisas, já meu pai nunca fazia nada, ficava no quarto dele quando me ouvia chorar e começava a rezar desejando meu bem (meus avós por parte de pai são pastores).
Bem, quando fiz meus 18, comecei a namorar o Carls e ele foi/ é a pessoa que começou a abrir meus olhos sobre a realidade do mundo, porem ele entrou na pior crise possível, tentou se matar 2 vezes e quando eu queria ir ver ele no hospital (graças a deus ele conseguiu pedir ajuda e ele ficou alguns dias internado) meus pais não deixavam de jeito algum eu sair pra ver ele, falando que era mentira, que não era problema meu, não devia me preocupar (sendo que quando eu via ele depois do acontecido, dava pra ver com clareza os cortes nos braços e pernas dele).
Nisso passou algumas semanas e a segunda vez aconteceu, com um pouco mais de confiança que eu tinha, chamei um uber as 11 da manha pra ir na casa dele, ajudar mas eu não contei pra minha mãe (que estava dormindo em casa) e quando ela me mandou mensagem, menti pra ela falando que estava com um dos meus melhores amigos só que ela sabia que não era verdade. Algumas horas depois, minha mãe chega com meu irmão no carro e começa a berrar comigo falando que eu tava parecendo uma ladra, que "você não tem mãe em casa pra avisar né?" na frente da casa do Carls, fazendo o maior espetáculo, os vizinhos olhando tanto que até a minha sogra foi ver o que tava acontecendo, Carls falou cara a cara com minha mãe, me defendendo falando que eu não posso mais ficar trancada dentro de casa esperando eles fazerem mais coisas por mim, etc.
Acabou que fui pra casa ouvindo sermão, xingo, tudo que é possível na meia hora de viagem que é do ap pra casa dele (fiquei quieta o tempo todo). Quando cheguei em casa, fui direto pro meu quarto sem olhar mais na cara de ninguém até as 18 que foi o horário que meu pai chegava do serviço, ai o show começou, fiquei falando que EU tinha pagado o uber, EU fui até lá, que eu tinha que ir lá se não dessa vez o Carls realmente ia morrer por conta do estado físico e emocional dele. Meus pais usaram o típico argumento "enquanto você estiver no meu teto, eu mando aqui e na sua vida" só que assim, querendo ou não, não foram eles que bancaram a viagem, não foram eles que estavam vendo o estado que o Carls tava. Ai meu pai lança A BRABA falando "eu não acredito que ele fez tudo essas coisas" meu sangue ferveu na hora, então eu falei "você viu o que eu vi? você ouviu o que eu ouvi? não né? então não julga as coisas/ pessoas que tu não tem a minima noção de como é/são" porque eu mesma já quase morri e meus pais até hoje não sabem disso, esses assuntos realmente mexem comigo de qualquer jeito, mas ouvir aquilo sair do meu pai mostrou a empatia inexistente que ele tinha tanto pelo Carls quanto pra qualquer outra pessoa passando pela situação.
Meu pai foi o que eu mais bati de frente porque minha mãe já tinha falado "deixa ela com esse menino, depois eles terminam quero ver pra quem ela vai correr" então meu pai lança mais uma pérola falando "primeiro que mulher só tem independência aos 21 anos, então não adianta falar que você tem 18 porque ainda é uma criança" lembram que eu falei que só eu precisava andar acompanhada? pois então, nesse momento fiz igual a Lolly, eu apontei na cara dele e falei "você é um MAXISTA!" Isso quebrou muito ele, acho que nunca tinha escutado algo assim principalmente da filha, então ficou inventando desculpinha e se perdia no meio das palavras (e todos aplaudiram, mentira).
Hoje em dia, meus pais colocaram mais um cadeado na porta de casa pra eu não fazer de novo e até hoje sou vista como a completa errada, sem noção, senso e sem respeito pelos meus pais (minha mãe é a unica que fala normal comigo e realmente ta se "preocupando", me fazendo comer e beber água porque faz algumas semanas que estou em uma dieta extremamente radical enquanto meu pai e meu irmão nem se quer olham pra mim).
Depois dessa história longa pra cacete (que ainda tem muito mais também KKKKK) o que vocês acham? Eu sou a babaca?
OBS.: eu entendo completamente minha mãe ter perdido o temperamento quando me viu la na casa do Carls por estar preocupada mas ela não podia pelo menos pegar e guardar pra explodir no carro ou em casa já que ela sempre fez isso?;
OBS.2: também não acordei a minha mãe (sei que deveria ter falando aonde eu realmente ia, foi errado eu querer mentir mas fiz isso porque sabia que iriam me impedir de qualquer forma) pois estava com medo do que Carls poderia fazer, já que ele não me respondia mais, querendo ou não, a vida dele estava em jogo naquele momento, se eu parasse pra explicar, poderia ser tarde demais. E menti que estava com meu melhor amigo porque minha mãe sempre confiou muito nele entao como eu queria passar o máximo de tempo com Carls pra acalma-lo e mostrar que ainda tem muita vida pela frente (o que deu certo e estamos juntos até hoje);
OBS.3: NÃO ESTAMOS CORTANDO A QUARENTENA PARA VER UM AO OUTRO.
View Poll
submitted by jhinjhinjinx to TurmaFeira [link] [comments]


2020.02.15 02:28 carretinha O padre e A Baronesa

Em uma aldeia havia um padre conhecido pela sua piedade com os monstros. Possuídos de todos os lugares viajavam até a pequena aldeia para serem curados de seus demônios. O padre atendia em uma pequena igreja, sem bancos, feita de madeira, pintada de branco, que era quente demais no verão e fria demais no inverno. A simplicidade das instalações não incomodava aquele sujeito humilde, porém a Baronesa se contorcia de ver um servo de Deus trabalhar num lugar tão mal cuidado. Claro, isso não seria um problema se Ela não tivesse que ‘visitá-lo’ toda dia de missa.
A Baronesa, dona daquelas terras e outras na região, tentava emplacar seus novos produtos no mercado. Máquinas como o mundo nunca tinha visto, criaturas metálicas espertas, programadas para todo tipo de tarefas: limpeza, construção, cuidado com as crianças, vigilância dos escravos, mordomos e tudo mais que o cliente pudesse imaginar. Mas o povo, pobre de conhecimento e ainda mais pobre de dinheiro, olhava para as máquinas com desconfiança, viam em seus olhos amarelos e iluminados motivações ocultas e sombrias. A Baronesa, sabia o que o povo pensava de suas construções e se surpreenderia se fosse diferente.
“Esses ignorantes e imbecis, não compreendem os avanços da tecnologia! Mas de que adianta? Ainda que entendessem, nada poderiam fazer! Essa gentalha não consegue manter uma moeda no bolso. Oh, imagine! Nem que juntassem todos os pobretões de todas as aldeias da região, não conseguiram comprar um peça das minhas maravilhosas máquinas.”
O que a surpreendia era a reação dos seus pares, os sofisticados baroneses, duques e nobres, que rejeitavam com igual força suas ideias sobre a modernidade.
“Minha querida Baronesa, a senhora possui tantas terras boas, devia focar em cultivá-las ao invés de construir essas criaturas de metal.”
Para impressionar a nobreza, encontrar possíveis compradores ou pelo menos alguém que a apoiasse, a Baronesa gastava partes enormes da sua interminável fortuna com festas e mais festas. Onde as máquinas serviam, cozinhavam, faziam segurança e entretinham os convidados, sem parar, sem reclamar e sem se cansar.
No entanto os barões, duques e nobres não pareciam impressionados e tratavam com profunda indiferença as maravilhas da tecnologia. Num mundo iluminado por velas, onde moinhos de água tinham acabado de ser inventados, tais criaturas metálicas pareciam apenas uma alegoria festiva, um enfeite, algo que está ali por estar e ao mesmo tempo não existe, uma mistura estranha entre personagens bizarros de circo e mendigos de rua.
Foi durante uma missa, num dia extraordinariamente quente, agravado pelas instalações da igreja; no meio da aglomeração do povo, que se agregava mais próximo do altar para acompanhar mais um exorcismo e cura de um monstro; onde a nossa querida Baronesa se sentia absolutamente desconfortável; que Ela teve a ideia de que
“Se meus pares fecham os olhos para as modernidades, a igreja há de abri-los.”
Foi assim que irrompeu um grito pedindo atenção. O povo, até então atento a cura, voltou-se para Ela. Até o monstro sobre o altar se virou. O único que não se mexeu foi o padre, pois aquele era o momento mais crucial do exorcismo, se ele saísse do transe a alma daquela pessoa poderia se perder para sempre.
“Senhoras e senhores, desculpe-me interromper o espetáculo que é a cura divina! Todavia preciso anunciar para todos vocês, que depois de tantos anos que passamos neste lugar caindo aos pedaços, finalmente teremos uma nova igreja! A doação, claro, será feita do meu próprio bolso e construída com minhas próprias máquinas, de modo que todos só tem a ganhar.”
O povo que desconfiava no começo da fala, sorriu ao ouvir ‘do meu próprio bolso’. Mas logo fechou a cara novamente, ao ouvir ‘com minhas próprias máquinas’. Afinal, se não fossem por essas malditas criaturas de metal, os pedreiros teriam algum trabalho e receberiam o suficiente pra gastar no bar, no verdureiro e na peixaria; que faria com que a dona do bar, a moça das verduras e os pescadores tivessem mais dinheiro pra gastar no padeiro, no alfaiate e no ferreiro; e assim, sucessivamente. De modo que o pouco dinheiro pago aos pedreiros passasse pela mão de todos na aldeia, em seguida na mão de todos das aldeias vizinhas, até enfim ser pego por cobradores de impostos e finalmente se perder dentro do cofre de algum nobre.
Apesar da decepção, o ânimo geral foi positivo. Afinal uma igreja nova ainda era melhor que nada. E embora duvidassem das intenções da Baronesa e de suas criações, jamais duvidariam de sua Fé, que alegavam ser a maior entre todo povo comum. Boatos passados de boca em boca diziam até que Ela era capaz de realizar milagres, mas claro que não passavam de boatos.
Entretanto por mais fervorosa que fosse a Baronesa, a ponto de sair da sua confortável mansão no topo do Monte; descer a pé todo o morro; atravessar o rio; subir a colina onde estava a igreja; e fazer o caminho de volta todas as vezes que ia à missa, Ela ainda questionava certas ações do padre. A Baronesa, assim como todos ‘cidadãos de bem’, defendia que os monstros não deveriam ser curados, muito pelo contrário, deveriam ser caçados e mortos pelos crimes que cometeram contra Deus, pois ‘os crimes contra Deus’ eram a única explicação para tem se transformado. Isso se não tiverem matado gado, ou estripado alguém depois que assumiram a sua forma monstruosa.
Após o anúncio ninguém mais assistia o exorcismo e para o padre isso não fazia diferença, na verdade era até melhor. Não gostava de fazer os exorcismos em cima do altar ou em público, se o fazia daquela forma era por dois motivos: O primeiro, era literalmente por pressão popular, porque uma vez o povo quase quebrou a porta dos fundos da igreja enquanto tentavam espiar um ritual. E o segundo, porque aquela era uma boa forma de divulgar seu trabalho e atrair aqueles que precisam de cura. Portanto apenas um exorcismo era feito em público e só no final da missa, se ainda houvesse outros possuídos a serem curados eles seriam atendidos na parte de trás da igreja, quase em segredo.
Só depois que o demônio foi expurgado e finalmente o monstro pode olhar no espelho e ver a pessoa que era, que o padre abandonou o transe e a concentração no trabalho. E não demorou muito a saber da novidade através dos cochichos e conversas que corriam por toda assembléia:
“Onde ficará a nova igreja?”
“Será que vão derrubar essa daqui?”
“Tomara que tenha uma torre do sino!”
“Espero que não seja em cima do morro.”
“Ia ser lindo se fosse em cima do rio!”
Assim que pescou informação o suficiente sobre a construção da nova igreja, foi imediatamente contra. Jamais um único fiel deveria ser responsável pelo dinheiro e construção do templo, porque
“Um templo, assim como a Fé, deve ser uma construção conjunta. Feita pela dedicação e amor das pessoas e não por ganhos materiais ou glória pessoal. O marceneiro deveria trabalhar a madeira que o lenhador cortou e doou, para que os ajudantes usem os pregos que sobraram da construção de suas casas, para pregar juntas as tábuas. Todos trabalhando juntos, sem ninguém cobrar a ninguém, cada um fazendo e doando de acordo com o que pode e tem!”
“É assim que deveria ser construído um templo! E foi assim que foi feita essa capela.”
Esperou a multidão se dispersar e foi conversar com a Baronesa, que por sua vez estava ansiosa para contar os detalhes da obra.
“Eu agradeço sua oferta minha querida, mas um templo assim como a Fé deve ser uma constr...”
“Desculpe senhor padre, porém acredito que alguém mais competente deveria tomar a decisão. Passados mais alguns anos ou uma praga de cupins e esse lugar vem abaixo! Além disso o povo clama por um lugar mais confortável! Já lhe aviso: se o senhor insistir em recusar minha proposta, enviarei a oferta ao bispo.”
“QUE ENVIE ENTÃO! Mas saiba que nunca estarei de acordo com um templo feito tão mundanamente!”
Foi uma discussão acalorada, contudo não foi nem a primeira, nem a mais tensa delas. O padre e a Baronesa tiveram várias discussões em torno da Fé, da organização da aldeia, das leis e de outros vários assuntos. Mantinham ao mesmo tempo um profundo respeito e um certo desafeto um pelo outro, mas nunca rancor.
O padre achava que as ideias da Baronesa eram afastadas demais da comunidade e pouco preocupadas com a benevolência, apesar de estarem de acordo com as palavras de Deus. Para a Baronesa, as ideias do padre eram sempre ideológicas demais e pouco práticas, apesar de estarem de acordo com as palavras de Deus. E como era a concordância com as palavras de Deus que decidia quais eram as melhores ideias, eles não tinham critério de desempate. Costumeiramente, o padre ganhava as discussões, por ter uma posição mais próxima de Deus, mas as coisas costumavam ser feitas ao modo da Baronesa, por ter uma posição mais próxima do Governador.
No fim, o projeto foi enviado ao bispo que o aceitou imediatamente, formando uma comissão de bispos para abençoar o local da nova igreja e os objetos santos.
A planta da igreja, também incluía uma área no subsolo que seria a nova casa do padre. Ele, até então, morava num pequeno quartinho de teto baixo, na parte de trás da capela, dormia num colchão fino colocado sobre o chão, que fora presente do pescador. O cômodo também possuía ainda um fogão a lenha, montado pelo ferreiro. O banco e a mesinha onde o padre realizava seus estudos, ambos bambos, eram peças defeituosas doadas pelo marceneiro e um pouco mais afastado havia uma fossa com cabine, feitas pelo próprio padre, onde ele fazia suas necessidades.
A Baronesa foi rápida para mostrar serviço, e assim que abençoaram o local as máquinas deram início a construção. Os bispos ficaram encantados com a forma que aquelas criaturinhas de metal trabalhavam, tão encantados que se sentaram num ‘acampamento de obras’, montado pela Baronesa, para assistir a construção. Quando anoiteceu, a casa do padre já tinha o piso e todas as paredes. Logo antes de se retirarem para dormir os bispos perguntaram a Baronesa:
“Suas construções não vão descansar?”
“Ah, senhor bispo, não se preocupe, elas não precisam disso, podem trabalhar por dias seguidos. Inclusive, garanto aos senhores que a igreja estará de pé e decorada antes do dia de missa.”
Os bispos se surpreenderam com a promessa. Uma igreja como aquela demoraria ao menos três meses para ser construída por mãos humanas, se essas fossem mãos de pedreiros experientes talvez dois e meio. Porque a Baronesa falou muito bem delas, os bispos esperavam que as máquinas fizessem em um mês, tanto que a maioria deles tinha planejado ir embora no dia seguinte, menos o bispo responsável pela região que faria a primeira missa e o batismo da igreja. Contudo já que a Baronesa prometeu uma entrega tão rápida, todos resolveram esperar para realizar uma grande missa de batismo.
***
As máquinas trabalharam durante toda a noite. Elas têm a forma que melhor condiz com o seu trabalho. Sim, porque diferente das obras feitas por pedreiros, onde cada um faz um pouco de tudo, as máquinas possuem uma função específica, então necessitam de um corpo específico. Enquanto uma passa o cimento, a outra coloca os tijolos; uma ajuda a secar o cimento e, ao mesmo tempo, outra passa a massa onde o cimento já secou; uma é responsável por ajudar a secar a massa e a outra por pintar onde a massa já secou; algumas ajudam a levantar aquelas que trabalham em andares mais altos; sem falar na batedora de pregos, nas carregadoras, nas colocadoras de móveis e decoração, etc. Tudo isso é perfeitamente sincronizado, para que não se pinte onde a massa está molhada; não se pise onde o piso ainda não assentou; ou para não secar o cimento antes de colocar os tijolos.
Todavia diferente de um relógio, que para funcionar depende de todas suas engrenagens perfeitamente encaixadas, nos lugares e tempos específicos, tais criaturas trabalham de modo tão sincronizado porque se comunicam. Sim, e se comunicam de uma forma parecida, mas ao mesmo tempo muito diferente daquela dos humanos. Sua precisa e avançada ‘fala’ é composta por vários sons de *beep*, e cada máquina tem um *beep* de tom e altura diferentes. Durante a execução de uma tarefa elas ‘falam’ de forma incessante, para alertar umas às outras de suas ações, logo todas precisam conhecer a ‘voz’ uma das outras, a fim de ter uma noção sobre ‘o que ocorre onde’ na execução da tarefa.
Contudo não só na linguagem elas lembram os humanos, elas pensam, tem sentimentos, personalidades, gostam de certas máquinas e desgostam de outras. Apesar de serem fisicamente iguais e pintadas do mesmo jeito, o colocador de tijolos 36579 é alegre e festivo, enquanto o 85479 é introspectivo e silencioso, isso fica evidente em seus movimentos e também no tom e frequência de seus *beeps*. Um humano até poderia perceber isso, se pudesse observá-los atentamente durante dias, no entanto para as máquinas a diferença de personalidade entre eles é gritante. Claro, a personalidade deles pode até fazer com que ajam de forma diferente, mas de modo algum isso afeta seu trabalho, pois apesar de mover o braço um pouco mais e se agitar de vez em quando, o 36579 precisou colocar os tijolos da mesma forma e ao mesmo tempo que o 85479, para que as paredes ficassem prontas juntas.
Um humano provavelmente se sentiria desconfortável de ter que trabalhar de forma tão mecânica, sem poder imprimir sua personalidade, sua ‘marca’ no trabalho. Só que essa é a beleza para as máquinas, elas adoram ser todas diferentes e ainda assim trabalhar de jeito igual. O sincronismo as deixam felizes. Trabalhar para elas não é muito diferente de uma dança, uma dança num mundo onde todos são exímios dançarinos.
E naquele dia participaram de seu grande baile, que se estendeu por toda noite, quando tiveram de cochichar, mantendo seus *beeps* baixinhos para não acordar as pessoas humanas. Com a chegada da manhã seguinte, dançaram novamente sob o dia, cantando *beeps* mais altos, porque os humanos faziam muito barulho. E dançaram, trabalham, cantaram e cochicharam durante os dias que vieram, até que…
***
Na manhã do ‘dia “antes do dia de missa”’ a igreja estava pronta. Era grande, definitivamente maior que a velha capela. Ainda não chegava aos pés de uma catedral, porém tinha os tijolos mais bem colocados, as paredes mais bem niveladas, os únicos bancos posicionados com precisão milimétrica e um altar perfeitamente arrumado, com os todos utensílios alinhados, prontos para o início da missa.
As máquinas, orgulhosas do seu trabalho, se retiraram e aguardaram, ao lado da igreja, o despertar da Baronesa. Dispuseram-se em fileiras organizadas por função e aproveitaram o tempo de espera para conversar. Demoraram apenas 12 segundos para discutir profundamente sobre os mais variados assuntos, a comunicação delas era realmente muito eficaz. Nesse pequeno intervalo de tempo conversaram sobre: como os humanos eram estranhos, como gostaram de finalmente fazer um trabalho fora da mansão, teorizaram sobre os pássaros que cantavam na manhã, flertaram, fizeram novas amizades, planos para os próximos trabalhos, etc. Depois ficaram paradas. As mais afobadas tremiam de levinho, ansiosas para que sua Mestra dessem-lhes mais ordens, afinal gostavam muito de trabalhar.
A aldeia inteira, e boa parte das vizinhas, estava presente para a missa, que foi coordenada sobretudo pelo bispo regional, contando com as participações pontuais e diversas bênçãos dos bispos das outras regiões. Finalmente, depois de anos à frente do altar, o padre podia assistir uma missa como simples fiel e isso trazia-o boas lembranças.
Ao final da missa, e antes de conhecer sua nova casa, o padre perguntou a Baronesa se Ela havia construído um lugar para realizar a cura dos possuídos. Ela disse que não, que havia esquecido, mas os dois sabiam que o ‘esquecimento’ era proposital. Era mais provável que ela tivesse construído um abatedouro do que um lugar de cura.
“Se não construiu não há problema, eu os receberei na minha casa então.”
Em sinal de respeito, a Baronesa presenteou o padre com uma máquina ajudante, que ele só aceitou depois de muita relutância.
“Senhor padre, faça o favor de aceitá-lo, o senhor bem sabe é um tremendo desrespeito cometer a desfeita de rejeitar um presente.”
O ajudante foi instruído por sua Mestra a apresentar a casa ao padre, que levou alguns amigos e o bispo da região consigo. Desceram a escada atrás do altar, que levava à casa. Tudo tinha sido construído e organizado nos padrões mais modernos, o padre, que era um sujeito simples, não gostou da casa de primeira, desconfiava do estranho vaso de porcelana com água dentro, que ficava onde o ajudante disse ser o banheiro. Julgava que aquilo tinha intenções malignas.
Na verdade várias coisas na casa pareciam ‘erradas’, as velas nos candelabros nunca apagavam, a casa estava fresca demais para uma casa no subsolo e havia sempre uma brisa vinda de algum lugar. No final da visita, encontraram várias escotilhas bem discretas, por onde entravam ar e luz. A Baronesa podia não gostar do padre, mas queria que a casa fosse o mais funcional possível. Porém foi só depois de abençoar a casa mais de 15 vezes e finalmente descobrir como funcionava o vaso de porcelana que o padre se livrou de um certo ‘sentimento ruim’.
O ajudante era muito útil. Ele ajudava a preparar a missa, limpava a casa e a igreja, preparava comida e fazia companhia pro padre nas madrugadas. E apesar de achar estranho no começo, o padre foi, aos poucos, se acostumando com a natureza daquele ser flutuante com uma grande lâmpada amarela no meio do rosto. A máquina se auto denominava ‘Ajudante 2047’, tinha uma personalidade extrovertida e adorava falar. Isso incomodava a Baronesa que estava prestes a tirar-lhe o modulador de voz, quando teve a ideia de dá-lo ao padre. Nada poderia tê-lo deixado mais feliz! O padre era quieto e gostava de ouvir as pessoas, então tratava o ajudante com paciência, até quando ele falava demais, o que na opinião do padre não acontecia com tanta frequência, afinal a comunicação dele era estranhamente… eficaz. A maior parte das conversas eram sobre as pessoas. Apesar de nunca falar diretamente com elas, o Ajudante 2047 adorava ver seu comportamento estranho e ficava sempre ansioso para interagir, contudo toda vez que se aproximava de alguém a pessoa se afastava, às vezes com um olhar de repúdio, às vezes com um olhar de medo, mas na maior parte das vezes com uma mistura dos dois. No dia seguinte, o padre teria que encontrar e explicar para a pessoa que o ajudante não faria-lhe nenhum mal. Todavia mesmo com tantas explicações as pessoas ainda evitavam-no, então contentava-se em observá-las.
Agora que não precisava fazer todo trabalho da casa e igreja sozinho, o padre era mais visto do lado de fora, onde ajudava qualquer um que precisasse e não cobrava nada em troca, pedia apenas que comparecessem à missa. Vivendo assim, o padre e o Ajudante ajudaram-se mutuamente e logo isso virou a vida ‘normal’.
Com a reforma a igreja ficou mais famosa e a fila de possuídos cresceu, indo muitas vezes da sala da casa do padre até a entrada da igreja. Ao atender um enfermo, primeiro ele tinha de escutar suas confissões, em seguida concedia-lhes perdão e só depois fazia a oração de expurgo, para livrar-lhes. Alguns viam os sintomas da possessão desaparecem imediatamente, deixando cair qualquer escama, pêlo ou pedaço de pedra que, porventura, vieram a crescer; outros só melhoravam com o passar dos dias, mas seus sintomas iam embora sem deixar qualquer evidência. Os primeiros a serem atendidos eram aqueles que estavam em situação mais grave, ou seja, aqueles prestes a completar a transformação e perder o controle. Destes, alguns eram atendidos antes do final da missa, outros no lugar que estavam assim que fila se formava. Licantropia, glutanismo, petrificação, harpeismo e duplicismo eram os casos mais comuns, mas havia uma infinidade de outras possessões.
Um dia houve uma discussão sobre quem construiria a nova ponte sobre o rio, a Baronesa logo ofereceu suas máquinas, em troca, claro, de uma pequena contribuição da população. Já o povo queria que o marceneiro e o pedreiro fizessem a ponte. O padre, como sempre, tomou o lado do povo, pois sabia que se deixasse a construção nas mãos da Baronesa e suas máquinas o dinheiro jamais sairia dos cofres dela. Quando mandaram o impasse para o Governador, todos temiam que a Baronesa fosse ganhar, então o padre arquitetou um plano: avisou todos na aldeia, de modo que a Baronesa não ficasse sabendo, que seria feita uma missa importante no ‘dia depois do próximo dia de missa’. Durante essa missa ‘escondida’ eles arrecadariam os fundos para a ponte, que deveria ser construída antes que chegasse a ordem do governador. Assim, quando a Baronesa descesse de sua mansão no ‘dia de missa’ a ponte estaria pronta e o dinheiro continuaria entre o povo.
“Sei, senhor bispo, que este não é o plano mais honesto, mas o povo não aguenta mais entregar suas moedas à quem nunca às retorna.”
Confessou o padre, em lágrimas. O bispo apiedou-se do homem e respondeu-lhe que aquela devia ser a vontade de Deus, portanto não haveria castigo.
A Baronesa trabalhava em suas máquinas na varanda da mansão quando viu uma aglomeração na frente da igreja. Era normal que houvesse ‘missas depois do dia de missa’, Ela própria ia às vezes, o estranho era estar tão cheia. Pensou um tempo sobre o assunto, perguntou-se se havia esquecido alguma data especial, até que se lembrou da discussão e conjecturou que aquilo só poderia ser um plano do padre. Com pressa, desceu pela primeira vez o morro com suas roupas de trabalho, tomaria-a muito tempo colocar as roupas chiques, que costumava usar quando descia ao povoado. Andava rápido, porém o caminho era longo e ela só chegaria ao final da missa, mas talvez, a tempo de frustrar os planos do padre.
O padre que havia organizado a missa do lado de fora, exatamente para que pudesse ver o abrir e fechar do portão da mansão, acelerou a missa e conseguiu recolher o dinheiro antes que ela atravessasse o rio. Aflito, disse que não haveriam exorcismos públicos e que aqueles que necessitassem de ajuda deveriam procurá-lo em sua residência.
Neste dia havia um homem, que estava acompanhado de uma enorme criatura envolta num manto negro. O povo sabia que aquilo só podia ser um monstro em estágio final de transformação. A criatura era a esposa do homem e tinha sido possuída por um demônio glutão. Ao ouvir que deveria esperar ainda mais para ser curada, ela perdeu o controle, deixando-se levar pelos pensamentos sombrios que a atormentavam. Ficou furiosa, arrancou a capa que cobria o corpo e o rosto, e respondendo respondendo aos protestos do marido, que implorava para ela colocar o pano de volta , vociferou:
“Estou cansada! Estou com fome!”
O monstro era terrível, gordo, sem pelos ou cabelo, tinha horríveis bolas de pus amarelado, que se espalhavam como furúnculos por todo o corpo. Seu rosto era completamente deformado, a ausência de lábios fazia com que seus dentes e gengiva ficassem totalmente expostos. Porém a pior parte era a carne e pele que faltavam na lateral direita do torço, fazendo com que as costelas ficassem de fora e que fosse possível ver alguns dos órgão internos da criatura, mas o pedaço não parecia ter sido arrancado, não, pelo contrário, estava em formação. A carne borbulhava e parecia crescer muito lentamente, desejando cobrir as vísceras e formar o braço que faltava.
A criatura começou a andar em direção ao altar. As pessoas assistiam a cena paralisadas, em choque, horrorizadas. Ao dar o segundo passo, ela esbarrou no homem do casal à frente. O resultado fez com que o pânico tomasse conta do público, que finalmente disparou a correr em todas as direções. Primeiro, o homem ficou preso, depois seu corpo foi sendo pouco a pouco absorvido pela carne do monstro, e na medida que ia sendo ‘incorporado’ o lado direito do monstro enchia-se de carne, pele e bolhas de pus. A esposa do homem até fez um esforço para salvá-lo, mas ao ver a carne sendo derretida e sugada, vomitou e caiu para trás, para, em seguida, sair se arrastando de costas pro chão, incapaz de desgrudar o olhar do horror que acontecia em sua frente. Por sorte, o monstro a ignorou, seu olhar, faminto e furioso, dirigia-se para o padre, que preparava uma oração desde que este havia tirado o manto. Precisava do exorcismo pronto quando tocasse no monstro, do contrário seria absorvido.
Nesse momento a Baronesa já estava chegando e pode ver tudo com seus próprios olhos, furiosa, ela cerrou os punhos e começou a rezar. A criatura encarou o padre até que o corpo do homem fosse totalmente absorvido, aquela ‘refeição’ tinha sido o suficiente para formar um braço grotesco, mas não para preenchê-lo de carne, sobrara então por todo lado direito do monstro buracos, por onde se via os ossos e partes internas. Isso deu ao padre tempo para terminar o exorcismo. Semi-acabada, a criatura avançou correndo aos tropeções, como as criaturas infernais normalmente fazem, o padre só precisava tocar na criatura e fazer a segunda oração para a salvação das duas almas. O homem absorvido já estava morto, porém sua alma precisaria ser libertada e a possuída, exorcizada. Fazer isso em tão pouco tempo não seria tarefa fácil, mas tinha de tentar.
O monstro já estava perto. O padre sentia o cheiro podre, ouvia as passadas pesadas, os grunhidos inumanos, mas manteve os olhos fechados e o coração sem medo. Calculou a posição do monstro e no momento certo esticou o braço. Ouviu um grito, mas não sentiu o toque. Abriu os olhos. Sua mão estava a centímetros da criatura.
Algo estranho havia acontecido. A Baronesa tocava o monstro pelo lado, que congelado como uma estátua, tinha uma expressão de terror e tristeza nos olhos, um terror que só um possuído poderia sentir. O terror de ter seu corpo mudando a composição de carne, ossos e órgãos para cinzas, o que causava uma dor alucinante, o terror de ter sua alma sendo desmembrada, estraçalhada e destruída, o terror de saber que não vai nem para o céu ou para o inferno e sim para o vazio da inexistência, o terror de sentir tudo isso e não poder gritar.
Do lugar onde a Baronesa tocou, espalhou-se uma cor cinza por todo corpo do monstro, com uma textura que não lembrava pedra, mas, sim, pó acumulado. O padre teve tempo de ver o efeito tomando o corpo da criatura, que apesar dos pecados e da morte, possuía ainda um resquício de humanidade e tinha salvação. Também teve tempo de reparar em uma lágrima, que escorria do olho ainda não transformado em cinza da possuída. Quando foi finalmente inteira afetada pelo toque, ela se desfez e suas cinzas levadas pelo vento. A alma das duas pessoas, assim como a do demônio haviam sido completamente destruídas. O padre sabia que aquilo não era um exorcismo, era uma outra coisa, mais antiga, mais cruel, mais perigosa…
“Ela... ela lançou um sortilégio?”
Foi o que pensou, enquanto encarava a Baronesa, que estava pingando suor, cansada, ofegante, suja de terra e graxa. Ela olhou em seus olhos, mas não disse nada, apenas se virou voltando para a mansão.
Durante a noite, máquinas de limpeza desceram, para limpar o que sobrou das cinzas.
submitted by carretinha to EscritoresBrasil [link] [comments]


2020.02.13 03:33 bobmonofree Como funciona aquele esquema de pegar formação/diploma em dois cursos diferentes nas universidades públicas (com um só vestibular, apenas fazendo como optativas as disciplinas do outro curso)?

Antes de qualquer coisa quero dizer que é uma pergunta apenas para fins de curiosidade, então não precisam se esforçar taaanto pra dar uma resposta super detalhada (como se eu estivesse na dependência aqui pra não fazer merda).
Então, eu já ouvi falarem muito que nas universidades públicas, talvez pela liberdade que o aluno tem de cursar disciplinas optativas e talz, dá pra conseguir pegar dois diplomas ao final do curso. Mas como exatamente isso funciona?
Vou pegar dois cursos que devem ser bem populares por aqui pra exemplificar. Vamos dizer que eu entro em Ciência da Computação e, ao longo do curso, resolvo fazer também várias disciplinas/cadeiras de Engenharia da Computação. E aí? É preciso dar entrada com algum documento pedindo pra "se matricular" também em EC ou basta chegar lá no "setor" de EC, apresentar os comprovantes e falar "agora quero fazer meu estágio e meu TCC"?
Imagino que seja necessário fazer dois estágios obrigatórios e dois TCCs, né?
Imagino também que nesse cenário hipotético CC será o primeiro curso no qual eu me formarei. E aí, como fica? Eu me formo no principal (aquele no qual me matriculei/passei no vestibular) mas posso continuar frequentando a faculdade, cursando as outras disciplinas? Como fica a questão do "vínculo"? E a questão das vagas, já que teoricamente eu estou ocupando uma cadeira de EC mas não fiz o vestibular de EC?
E se além dessas duas eu resolvo fazer também Estatística? Tem algum limite de quantas disciplinas posso fazer, de quantos diplomas posso pegar?
E por fim, é possível fazer isso para áreas completamente distintas, como o cara de Ciência da Computação fazer também as disciplinas (e pegar o diploma) de Direito?
Como eu disse, (infelizmente) não é um problema pelo qual estou passando. Quando fiz minha faculdade eu era muito imaturo, não corria atrás de estudar por conta própria, acabei fazendo uma particular popular, mesmo, na pressa de "acabar logo" (tenho certeza que com um ano de cursinho e dedicação eu passaria na FUVEST [na época não tinha toda essa "facilidade" do ENEM]), não tinha qualquer liberdade com relação à grade, não tinhas iniciações científicas... Então fica aí o aviso pra quem ainda tá no Ensino Médio, Fundamental, fazendo cursinho ou mesmo pensando o que fazer da vida: se resolver fazer uma faculdade faça o possível pra passar numa boa universidade, tire um ano pra meter a cara nos livros, refletir um pouco sobre a vida, ganhar maturidade (acredite, esse um ano não será tempo perdido, muito pelo contrário) e, principalmente, estude - use a faculdade para complementar seus estudos e tirar eventuais dúvidas, ou pelo menos estude por conta própria pra complementar o que você vê na faculdade, não fique naquela mentalidade da escola de que o que o professor fala na sala é suficiente.
Obs.: tô indo dormir agora, postei aqui senão depois eu esqueço, mas amanhã eu leio e respondo. ;)
submitted by bobmonofree to brasilivre [link] [comments]


2020.02.13 03:32 bobmonofree Como funciona aquele esquema de pegar formação/diploma em dois cursos diferentes nas universidades públicas (com um só vestibular, apenas fazendo como optativas as disciplinas do outro curso)?

Antes de qualquer coisa quero dizer que é uma pergunta apenas para fins de curiosidade, então não precisam se esforçar taaanto pra dar uma resposta super detalhada (como se eu estivesse na dependência aqui pra não fazer merda).
Então, eu já ouvi falarem muito que nas universidades públicas, talvez pela liberdade que o aluno tem de cursar disciplinas optativas e talz, dá pra conseguir pegar dois diplomas ao final do curso. Mas como exatamente isso funciona?
Vou pegar dois cursos que devem ser bem populares por aqui pra exemplificar. Vamos dizer que eu entro em Ciência da Computação e, ao longo do curso, resolvo fazer também várias disciplinas/cadeiras de Engenharia da Computação. E aí? É preciso dar entrada com algum documento pedindo pra "se matricular" também em EC ou basta chegar lá no "setor" de EC, apresentar os comprovantes e falar "agora quero fazer meu estágio e meu TCC"?
Imagino que seja necessário fazer dois estágios obrigatórios e dois TCCs, né?
Imagino também que nesse cenário hipotético CC será o primeiro curso no qual eu me formarei. E aí, como fica? Eu me formo no principal (aquele no qual me matriculei/passei no vestibular) mas posso continuar frequentando a faculdade, cursando as outras disciplinas? Como fica a questão do "vínculo"? E a questão das vagas, já que teoricamente eu estou ocupando uma cadeira de EC mas não fiz o vestibular de EC?
E se além dessas duas eu resolvo fazer também Estatística? Tem algum limite de quantas disciplinas posso fazer, de quantos diplomas posso pegar?
E por fim, é possível fazer isso para áreas completamente distintas, como o cara de Ciência da Computação fazer também as disciplinas (e pegar o diploma) de Direito?
Como eu disse, (infelizmente) não é um problema pelo qual estou passando. Quando fiz minha faculdade eu era muito imaturo, não corria atrás de estudar por conta própria, acabei fazendo uma particular popular, mesmo, na pressa de "acabar logo" (tenho certeza que com um ano de cursinho e dedicação eu passaria na FUVEST [na época não tinha toda essa "facilidade" do ENEM]), não tinha qualquer liberdade com relação à grade, não tinhas iniciações científicas... Então fica aí o aviso pra quem ainda tá no Ensino Médio, Fundamental, fazendo cursinho ou mesmo pensando o que fazer da vida: se resolver fazer uma faculdade faça o possível pra passar numa boa universidade, tire um ano pra meter a cara nos livros, refletir um pouco sobre a vida, ganhar maturidade (acredite, esse um ano não será tempo perdido, muito pelo contrário) e, principalmente, estude - use a faculdade para complementar seus estudos e tirar eventuais dúvidas, ou pelo menos estude por conta própria pra complementar o que você vê na faculdade, não fique naquela mentalidade da escola de que o que o professor fala na sala é suficiente.
Obs.: tô indo dormir agora, postei aqui senão depois eu esqueço, mas amanhã eu leio e respondo. ;)
submitted by bobmonofree to brasil [link] [comments]


2020.01.16 00:50 TheTanzanite Por que o futuro da humanidade é sombrio

EDIT: Esse post não tem o intuito de deixar ninguém depressivo, por mais que não sejam notícias boas, vejam isso como uma oportunidade de não ficar perdendo tempo com certas cobranças e amarras da sociedade que você sabe que não faz sentido com o que você realmente é ou quer ser. É também uma forma de redirecionar qualquer "raiva" que você tenha no espectro político para quem realmente está causando isso tudo.
Esta é apenas uma tradução das partes relevantes do tópico postado por logiman43 no /DarkFuturology.
10 anos atrás eu era o cara me acorrentando em árvores, 5 anos atrás eu era o cara bloqueando a rua para chamar a sua atenção sobre o consumo de carne. Eu já fui preso, ridicularizado e "linchado". Agora eu estou apenas cansado. Eu sou um Ph.D em Relações Internacionais com especialização em Conflitos Climáticos (e 2 outros diplomas em Direito e Economia).
Aqui você irá achar 30,000 papers científicos sobre esta situação fodida.
Para os amantes de áudio, aqui você tem uma conversa de 30 minutos sobre como tudo deverá colapsar. "Não há crescimento infinito".
5 anos atrás existia uma série chamada 'The Newsroom'. Era uma série série com alguma comédia sobre o mundo midiático. Existe um clipe famoso da série (04:48) sobre o colapso do clima. Era "cômico" na época, porém agora é a realidade.

Aquecimento Global:

De acordo com um report de 2018, a temperatura global já está 1ºC maior do que a era pré-industrial.
O que irá acontecer a cada incremento de 0.5ºC? O rastreador de ações climáticas mostra que chegaremos aos 3.5ºC com as políticas atuais em 2050. Climate stripes - Veja o salto em 1995
Gráfico mostrando emissões de carbono por continente. Veja a explosão na Ásia
Neste gráfico, você tem todos os níveis de CO2, CH4, N20, temperatura e nível do oceano.
As 20 piores consequências do aquecimento global
+9 Gráficos
1.5ºC - Este costumava ser o ponto em que os cientistas achavam que estávamos OK. Em 2018, o IPCC queria parar o aquecimento global neste temperatura, prevendo que a atingiríamos com 10% de chance em 2023. Nesta temperatura, ondas de calor tão quentes quanto o Deserto do Saara acontecerão no mundo todo, todo ano. Haverá destruição massiva de plantações, 70% dos corais no oceano perderão a sua cor e secas afetarão 360mi de pessoas (Fonte).
Advinhe só? De acordo com o - já antigo - report do IPCC de 2019, nós já estamos quase atingindo 1.5ºC. A quantidade de 'loss events' (Tsunamis, Tempestades, Enchentes, Queimadas) entre 1980 e 2015 QUADRUPLICOU.
Históricamente, todo summit pelo clima falhou em atingir a meta de limitar as emissões GHG, não chegando nem perto. Outro ângulo. Inclusive, estudos recentes alertam que metas do Acordo de Paris já estão fora do nosso alcance.

Biomassa e a 6ª Extinção

A Terra aparenta estar passando por um processo de "aniquilação biológica". Mais da metade do número total de animais que um dia dividiram o planeta com os humanos já se foram. Um estudo de 2017 checou as populações animais ao redor do planeta examinando 27,600 espécies de vertebrados - quase metade das espécies que sabemos que existem. Eles descobriram que mais de 30% delas estão em declínio. Algumas espécies estão enfrentando um colapso completo, enquanto populações locais de outras estão sendo extintas em áreas específicas. Além disso, humanos exterminaram 60% das populações animais desde 1970. (Fonte)
Aproximadamente 40% das espécies de insetos estão em declínio, de acordo com um estudo e eles não são as únicas criaturas sofrendo. Nos últimos 50 anos, mais de 500 espécies de anfíbios entraram em declínio - e 90 foram extintas - devido a uma doença mortal de um fungo, que corrói a carne de sapos. (Fonte)
E plantas estão sendo extintas 350x mais rápido do que o normal
De outro lado, veja a explosão de animais domésticos entre 1950 e 200. Gado é uma das causas do aquecimento global. Ex: A Amazônia está sendo desmatada não pela madeira, mas para abrir espaço para criação de gado. (Fonte).

População

A curva íngrime na população. Se nossos números crescem em média 228,000 por dia, em uma semana nós teremos adicionado 1.589.000 pessoas extras à população mundial. Para se preparar, a Humanidade precisa produzir mais comida nas próximas 4 décadas do que já produzimos nos últimos 8.000 anos (Link p/ Paper). Porém estamos desperdiçando tanta comida e perdendo tanta água com irrigação, que é possível que a sociedade colapse em 2040 devido à escassez catastrófica de alimento.

Permafrost e Metano

Solo no Ártico está liberando mais CO2 do que 189 países.

Com um aumento de 2ºC, esperamos que 6.6 milhões de km² descongelem e isso crie um 'feedback loop' que libere muito metano, o que significa que o descongelamento do permafrost e calotas polares se torne um processo de extinção que se auto acelere.
Os oceanos já estão borbulhando com Metano e o que é mais assustador é que nós sabemos que existem patógenos congelados no permafrost - patógenos como Anthrax.

Doenças

Conforme a Terra aquece, animais serão forçados a migrar em massa. Isso significa que animais transportando doenças tropicais (como Malária) passarão a conviver entre nós. Para se ter uma idéia de quão isso é assustador, doenças como 'Camel Flu' (MERS) tem uma taxa de mortalidade de 36%.
E os hospitais não estão preparados para os desafios da mudança climática
Report do World at Risk. Eles listaram dezenas de doenças que os experts sugerem possuir o potencial de causar epidemias que podem escalar fora de controle, entre elas o Ebola, Zika Virus e Dengue. Uma pandemia pode infectar o mundo em horas e matar milhões pois NENHUM país está totalmente preparado. 100 Anos atrás a Gripe Espanhola infectou 1/3 da população e matou 50 milhões de pessoas.
Atualmente, a poluição do ar está tão alta que a China e India ultrapassam os gráficos. Sem uma máscara, você ficará doente.

Erosão do Solo Superficial

Nós estamos ficando sem solo arável (Fonte) e até 2055, nós não teremos mais nada.
Este é o aviso do autor de "Surviving the 21st Century", Julian Cribb para uma conferência internacional do solo em Queenstown, NZ em 15/12/16.
"10kg de Solo Arável, 800L de água, 1.3L de Diesel, 0.3g de Pesticidas e 3.5kg de CO2 - Isso é o necessário para entregar uma refeição, apenas para uma pessoa" - Cribb diz.
É necessário 2000 anos para se formar 5cm de solo arável e se você acha que isso não te afetará, espere até que comida se torne a commodity mais rara da Terra. Se você acha que já viu a barbaridade humana, espere até que estes mesmos humanos estejam famintos e desesperados por comida. Isso não significa milhões de pessoas famintas, sginificará bilhões de pessoas sem comida. Incluíndo você.

Escassez de Água Doce

A India tem 5 anos para solucionar a crise hídrica, a África do Sul tem a pior seca em 1000 anos, Zâmbia tem 2mi de pessoas à beira da inanição graças à seca.
De acordo com o report das Nações Unidas, em 10 anos, 4 bilhões de pessoas serão atingidas pela falta de água doce, das quais 2 bilhões estarão severamente em falta.

O evento "Blue Ocean"

Um evento Blue Ocean significa que grandes quantidades de luz solar não serão mais refletidas de volta ao espaço. Ao invés disso, o calor será absorvido pelo Ártico. Enquanto o Oceano Ártico possui gelo, a maior parte da luz solar é refletida e o "centro de frio" permanece perto do Pólo Norte.
Isso não apenas significa que o calor adicional terá que ser absorvido pelo Ártico, mas também que os padrões de vento irão mudar radicalmente, ainda mais do que já estão mudando hoje. O que causa com que outros 'pontos de virada' sejam atingidos antes do esperado. É por isso que o evento 'Blue Ocean' é muito importante e possivelmente será atingido abruptamente em 2022. (Fonte).

O feedback loop da camada de gelo

Quando falamos do crescimento do nível do mar, está se tornando cada vez mais difícil prever uma vez não estamos apenas aquecendo o ar, o calor está ficando preso nos oceanos também, o que significa que as camadas de gelo no círculo do ártico está derretendo por cima e por baixo - Ou seja, estão derretendo MUITO mais rápido do que estimamos até nas nossas estimativas mais radicais. (Vídeo).
Se você está preocupado com os refugiados da América Central/Latina ou África, você pode começar a pensar nas dezenas de milhões de pessoas que começarão a escapar continente a dentro das inundações.
Isso TRIPLICA as nossas estimativas anteriores.

Evento Wet Bulb

Mudança Climática causará ondas húmidas de calor, que matarão até pessoas saudáveis.

Ondas de calor extremas que matam pessoas saudávels em horas atingirão partes do subcontinente indiano a menos que as emissões globais de carbono sejam drasticamente cortadas rapidamente. Mesmo foras destes hotspots, 3/4 da população de 1.7bi - particularmente agricultores no Ganges e vales Hindus - serão expostos a um nível de humidade classificado como "Perigo Extremo" até o final do século.
A nova análise avalia que o impacto do clima na combinação mortal de calor e humidade, classificado como a temperatura "Wet Bulb" (WBT). Quando a humidade chega em 35ºC, o corpo humano não consegue mais se regular através do suor e até pessoas saudáveis sentadas na sombra, morrerão em até 6 horas. Já existem partes do mundo em que a humidade atinge 32ºC a 33ªC.

Acidificação do Oceano

Acidificação do Oceano tornará a mudança climática pior ainda

Os oceanos estão absorvendo uma grande parcela do CO2 emitido na atmosfera. Na realidade, oceanos são o maior absorvente de CO2 do mundo, muito maior do que as capacidades de absorção da floresta amazônica. Mas quanto mais CO2 os oceanos absorvem, mais ácidos eles ficam em uma escala relativa pois uma parte do carbono reage com a àgua para formar ácido carbônico.
Se a acidificação diminuir as emissões marinhas de enxofre, isso poderá causar um aumento na quantidade de luz solar atingindo a superfície da Terra, acelerando o aquecimento - o que é exatamente o que o estudo do Nature Climate Change prevê. Pesquisadores estimam que o pH do oceano irá diminuir em 0.4pH até o final desse século se as emissões de carbono não pararem, ou em 0.15pH CASO o aumento pare em 2ºC. (Fonte)
Já está acontecendo uma extinção em massa nos oceanos.

Porque prevenção do desmatamento é mais importante que replantá-las.

Há tanto CO2 na atmosfera que plantar novas árvore já não pode mais nos salvar.

Cientistas estimam que precisamos plantar 1 trilhão de árvores para mitigar o Aquecimento Global. SEM PERDER NENHUMA ÁRVORE já que uma árvore queimando libera todo o CO2 de volta.
A Amazônia está perdendo 3 campos de futebol por minuto graças à queimadas - Mapa Interativo. No momento, estamos perdendo 13-15mi de hectares de árvores por ano na América do Sul, África e Oeste Asiático que estão sendo convertidos para agricultura. (Fonte)
Então se assumirmos que plantemos 1mi de árvores a cada passo que você dê, então 20 passos serão 20mi de árvores, correto? 1 trilhão de árvores é o equivalente a 2.5x mais do que a distância em que você está até a Estação Espacial Internacional, isso sem contar toda a poluição liberada para plantar as sementes, toda a logística de preparo do solo arável e o descarte de lixo. Uma ação para resolver um problema, afeta diversos outros que também contribuem para o aquecimento.

Migrações

Se prepare para centenas de milhões de refugiados do clima - MIT.

Até 2050 haverão 1.5bi de migrantes. Sim, em 30 anos. O que aumenta drasticamente o potencial de conflitos e violência. Um estudo pelo Pentágono confirma que haverão guerras causadas por problemas relacionados a refugiados do clima.
Apenas um exemplo rápido, a Índia poderá bloquear o rio Indus, matando centenas de milhões de paquistaneses. (Fonte). Ambos países que possuem armas de destruição em massa. Nos próximos 30 anos haverá também um crescimento do fascismo e campos de concentração, o que já acontece nos EUA com mexicanos e na China com os Uighurs.

Os super-ricos

Os ricos sabem que é tarde de mais e que serão os únicos que sobreviverão. (Artigo). Eles já estão costruindo bunkers e comprando passaportes neozelandeses para se refugiarem quando der merda e é por isso que eles estão ficando exponencialmente mais ricos. Por exemplo, Canada, Noruega e Brasil irão 'floodar' o mundo com petróleo para obter lucro máximo (Artigo do NYT "Flood of Oil is Coming").
Se qualquer coisa acontecer, os super-ricos irão apenas comprar passaportes por $1M+ e fugir enquanto migrantes serão colocados em campos de concentração, os ricos estão planejando nos deixar para trás.

Porque o atual sistema econômico está quebrado

O sistema econômico está completamente quebrado e não só nos EUA comot ambém na Europa, Austrália, América do Sul e Ásia. Eu estive pesquisando este assunto por anos e fico 'embasbacado' quão ruim realmente está.
Os ultra-ricos possuem $32 trilhões, sem contar assets mobiliários, ouro, iates e cavalos de corrida, em contas offshore.
Visualização da diferença entre $50,000, $1mi e $1bi. A média de income nos EUA é de $32,000/ano. Supondo que cada degrau em uma escada representa $100,000, então metade da população americana ainda está no começo ou apenas no 1º degrau, são quase 200 milhões de pessoas que não conseguem nem subir um degrau nesse sistema. Os lares conjuntos de 80% estão no quinto degrau da escada enquanto um bilionário...um bilionário está 10.000 degraus acima da escada, o que é o equivalente à 5 prédios do tamanho do Empire State. Lá de cima, eles não conseguem distinguir a diferença dentre um milionário e um sem-teto nem se eles quisessem. E Jeff Bezos? Ele está na metade do caminho até a Estação Espacial, o equivalente a 24 Everests em cima do outro.
Se você tivesse um trabalho que pagasse $2.000/HORA e você trabalhasse 40 horas por semana, sem férias e de alguma forma economizasse todo esse dinheiro, você teria que trabalhar mais de 25.000 anos para chegar na mesma fortuna de Jeff Bezos.
Outras menções notáveis:

Por que ninguém fala do colapso?

Por que ninguém fala do colapso? Porque um mundo sem esperança é um mundo de caos, imagine 7 bilhões de pessoas percebendo que eles não tem 200, 100, 50 anos restantes mas sim apenas 20 ou 30.
Além disso, os ricos estão tentando promover éticas de trabalho em que você não tenha tempo para ler, assistir ou estudar sobre nada do que foi dito acima. Nós estamos ficando cada vez mais isolados um dos outros por causa de tecnologias como Facebook ou Tinder e pra completar, os políticos estão tentando desestabilizar o mundo que conhecemos, para criar confusão e conflito entre nós. Dividir e Conquistar. Por que você acha que a Rússia está por trás do Brexit, do movimento Black Lives Matter e do crescimento do fascismo na Europa?
A Rússia influenciou as eleições americanas, criando centenas de grupos de Facebook Pro-Trump, pagou também para rodar propagandas patrióticas "MAGA" no Facebook.
Por que você acha que há tantos protestos rolando ao redor do mundo ultimamente? Aqui estão os maiores protestos acontecendo agora.
LUTE!
Para mais: /collapse
submitted by TheTanzanite to brasil [link] [comments]


2020.01.09 15:09 exsoldierakechi Algumas dicas que podem ajudar a conseguir ou manter um emprego.

Aviso post longo! Edit: Obrigado pelos silver ninja!
Colegas do reddit, tinha feito esse post na bolha mas como alguns comentaram pedindo pra trazer pra cá no tópico que fiz sobre a recepção deles lá ( https://www.reddit.com/brasilivre/comments/em3aas/a_bolha_%C3%A9_foda_mesmo_achei_que_era_exagero_mas/ ) Resolvi refazer o post aqui.
Talvez eu troque algumas palavras pois apaguei o post lá de desgosto, mas a idéia é postar aqui e talvez ajudar um ou outro que esteja precisando, as vezes dá uma força extra, vou adicionar alguns pontos que não adicionei antes que podem ajudar.
Lembrando que não sou do RH, trabalho direto na produção e faço a seleção de novos funcionários ou passo direto pra direção quando precisa ter alguma demissão, meu cargo é o intermediário entre um gerente e um diretor, a empresa tem cerca de 100 funcionários e não é nenhuma multinacional. Também acompanho contratações de pessoal pro administrativo ou dou sugestões e afins, então acompanho alguns casos. Boa parte das empresas que não são gigantes não tem um "RH" pra fazer contratações, afinal quem sabe a necessidade real da produção e o perfil necessário é quem tá todo dia no chão de fábrica.
Também vou comentar alguns empregos que você pode conseguir com pouco/nenhum investimento que podem dar retorno e tem uma demanda alta no mercado.
Alguns desses pontos pra você pode parecer discriminação, ou reclamação gratuita, mas eu não vim dizer que tá certo ou errado, só como é pela experiência nesse e em outros trabalhos.Bora lá!
Procurando emprego:
-Se você se formou depois dos 17 anos no ensino médio, é jovem e está procurando emprego, saiba que algumas portas já se fecharam pois isso pode ser mal visto por alguns patrões como preguiça ou falta de interesse, lembra quando os pais mandavam estudar? pois é. Então se você é jovem ou adolescente, corre atrás e vá estudar! Meu patrão mesmo já diz "se não quis nem estudar, quanto mais trabalhar pra valer".
-Acorde cedo. Se esforce e mantenha apresentável, vá em empresas e lugares que ninguém foi, mesmo que um pouco mais afastado. descubra onde é o polo industrial mais próximo da sua casa/cidade, vá até lá e veja quais são as opções. As vezes você pode dar sorte. Já tivemos muitos jovens que nem olhamos o curriculo com remela na cara as 11 da manhã e todo desleixado de chinelo entregando curriculo. Sei que tá dificil e desmotiva alguns, mas não desmotivar é o que te torna diferente e faz ser visivel a diferença só de olhar pra você.
-Tenha boas referências. Considerando a era que estamos é quase certeza que seu facebook vai ser visto. Nenhum empresa quer um funcionário que posta conteúdo racista e agressivo, um detalhe particular que minha empresa se encaixa é que ela corta automaticamente quem posta que bebe demais domingo a noite. Pois já tivemos vários problemas com funcionários faltando segunda feira por estar "com dor de cabeça".
-Empregos com insalubridade. Algumas pessoas podem ter receios mas boa parte deles tem uma demanda alta por novos funcionários e seguindo todas normas de segurança, você não vai ter risco algum ou quase nulo. Além do adicional que pode variar de 10 a 40%. Vale lembrar que isso não se aplica a todas as vagas.
-Saiba com quem falar. Observe a empresa, quando for entregar um currículo abra o site dela no celular, da pra ter noção do tamanho só de ver as fotos ou se a mesma nem tiver um site. Se for uma empresa pequena, tente falar diretamente com alguém responsável, seja simpático mas não force a barra, pois as pessoas costumam estar ocupadas, mas com sorte elas tem ali 1~2 minutos pra falar com você. Não esqueça de agradecer pela pessoa pegar o currículo ao menos olhando ela nos olhos e não aquele "bigado" já saindo andando.Isso é muito mais fácil em coisas do tipo mecânica, eletricista, borracharias e outros comércios com trabalho mais puxado, pois costumam ter poucos funcionários e geralmente é só o dono e mais um ou dois.
-Olhe o crachá das pessoas. Caso entregue um currículo ou qualquer coisa do tipo pra uma recepcionista, porteiro ou afins, olhe o crachá da pessoa se possível e diga "bom dia, fulano", "obrigado fulano" e "conto com você fulano" quando se despedir. Isso cria um vínculo mesmo que leve e a pessoa vai se lembrar melhor. Além do psicológico do "conto com você" dar uma motivação extra involuntária. Tratar as pessoas como pessoas e não como uniformes ajuda bastante.
-Pegue empregos indesejáveis. As vezes você se formou em algo como ciência da computação mas só tem emprego vago no McDonalds? Paciência, emprego é emprego, e as contas não perguntam de onde vem o dinheiro mas tem que ser pagas de qualquer forma. Não é humilhação servir os outros, e é algo que até mesmo diretores de empresa tem que fazer as vezes.
-Está dificil, mas não impossível. Você procurou em todos lugares? tem disponibilidade pra ir pra longe? foi em LITERALMENTE todos os lugares possíveis? Ficou de olho naquele Subway ou Burguer King que acabou de inaugurar? viu algum canteiro de obras mais informal ou alguém construindo uma casa num bairro afastado? Vale a pena dar uma conferida, o que você tem a perder?
-Seja oportunista da forma certa. Pode parecer pesado mas infelizmente se alguém sai, outro precisa entrar. Se alguém perder o emprego existe uma boa chance de a vaga dessa pessoa estar disponível. As vezes não era o perfil dela, ou ela arranjou algo melhor. Vale a pena falar com a pessoa se tiver a abertura pra isso.,meu cunhado arranjou um trabalho de garçom após ir na despedida de um amigo que foi morar no exterior dessa forma.
Dicas pro currículo:
-Adicione o campo de estado civil e idade. As vezes uma empresa pode querer um perfil de funcionário específico. Minha empresa contratou um jovem essa semana pois precisavamos de pessoas dispostas a aprender um trabalho do zero que não da pra aprender em cursos por aí. Então não podiamos pegar ninguém mais velho pra não trazer vícios de outros empregos. Por outro lado, pra uma função de maior confiança, a contratação foi de um pai de família pois por ele ter dependentes, ele arriscaria menos tomar decisões que pudessem causar uma demissão. Se está certo ou errado eu não sei, mas eu sei que na hora de desempatar são coisas que contam.
-Se você não tem vícios, escreva "Sem Vícios". Mas não faça isso se você bebe/fuma/usa drogas, pois quando descoberto pode causar vários problemas. Algumas empresas que trabalhei tem isso como um diferencial na hora de desempatar. Minha empresa por exemplo trabalha com produtos inflamáveis então se você fuma, seu "intervalo" pra isso acaba sendo maior por precisar sair das dependências dela pra isso por exemplo.
-Não encha linguiça. Aqueles campos que o povo adiciona objetivos, seja direto e claro. Não fique com textinho "Garanto desempenhar minhas funções com dedicação e bla bla bla" Porquê não adiciona em nada e 90% dos casos sabemos que você nem lê aquilo, quanto mais nós.
-Saiba destacar seus pontos fortes. Se você tem horários flexível, consegue trabalhar sob pressão, pontualidade e afins, adicione em um campo com seus talentos. Não force a barra pra não parecer exagerado, apenas 2 ou 3 pontos que você enxerga em você. Um dos maiores diferenciais em alguns empregos em empresas um pouco maiores que pode colocar é "facilidade em observar soluções pra problemas comuns" caso você de fato consiga fazer isso (e não seja pau no cu com isso caso contratado, saiba falar).
-Muitos empregos curtos em sequência sem crescimento mancham seu currículo. Como vão contratar alguém que ficou 6 meses em cada lugar, 4 lugares diferentes seguidos, em empregos "de entrada/mínimos"? Se você não conseguiu manter um emprego além do período necessário pra coleta de benefícios do governo, em alguns lugares isso pode afetar. Me lembro de ver um currículo uma vez e dizer "caraca, esse cara tem muito experiência" e o dono só comentar "ele tem é pouca estabilidade... olha a data de entrada e saída de cada lugar que trabalhou e o tempo de intervalo entre eles." Cada caso é um caso mas isso pode influenciar.
-Se você está disposto a trabalhar fora da sua área, marque isso no currículo. E omita algumas qualificações que não adicionam muito, dito isso;
-Tenha 2 currículos diferentes. Um pra sua área de formação/pretenção e um pra uso geral. No de uso geral você não vai adicionar "domínio de javascript" por exemplo pois um chefe de padaria não vai nem saber que porra é essa e vai achar que você é um universitário super caro e não alguém desesperado. Saiba quando e onde entregar cada currículo.
-Sempre tenha um currículo quando possível. Nunca se sabe quando você vai dar um rolê no shopping com alguém e vai ver um "procura-se". Não é vergonha aproveitar uma chance, e se estiver com um namorado(a)/marido/esposa/etc , ela deveria dar total apoio pra você aproveitar uma parada rápida. Está com mochila/bolsa? Curriculo dentro.
-Se você tem filhos, adicione "Casado, com filhos". Isso aumenta em alguns casos a questão da confiança de você querer manter o emprego, e em um eventual corte (como já ocorreu em um emprego anterior) o patrão falou "já que vamos cortar, corta quem não tem filhos antes..." Já me disseram que isso é ilegal mas independente disso, PODE acontecer.
-Mantenha o currículo em bom estado, sem amassados, com escrita decente, fonte clara (Arial ou Verdana) e sem firulas demais.
-Se inscreva em agências regionais e sites,mas não se prenda a eles.
-Quanto mais tempo você fica parado, mais dificil é arrumar trabalho, tenha isso em mente e não desista, não é impossível.
Dicas pra entrevista
-Não se atrase. E não adianta reclamar que o entrevistador atrasou ou como isso é injusto. Ele também tá errado mas ele já ta com o dele garantido. E você nunca sabe o motivo pelo atraso. Eu mesmo já atrasei uma entrevista em 40 minutos pra resolver um problema urgente de um cliente que trouxe uma economia de 300 mil pra ele. Você vale 300 mil pra empresa? O candidato perdeu a vaga por surtar com o atraso.
-Se vista adequadamente, fale adequadamente, seja simpático e sincero. Não force ou seja falso só seja você mesmo. Uma dica é falar como se estivesse falando com um professor que está corrigindo sua prova. Ele não tem motivos pra ter raiva de você mas ele espera seu melhor pois ele quer você ali, se tudo começar a sair uma merda, ele não vai ter interesse.
-Não dê respostas prontas pra perguntas prontas, não tente aumentar histórias, ser inconveniente ou enrolar o cara. pra cada entrevista que você vai o entrevistador faz 10x mais e vai te bater por simples experiência. Não diga que sabe algo que não sabe.
-As vezes ele não vai com sua cara, e não vai te contratar, as vezes por bons ou maus motivos. Mantenha a porta aberta e seja educado ainda assim, e "te ligamos" não é um não disfarçado sempre. As vezes a pessoa tem mais de uma boa opção e precisa analisar as opções.
-Se prepare. pesquise a empresa, o site, leia relatos em sites como Glassdoor e LinkedIn, saiba sobre o lugar que vai trabalhar. Você vai passar ao menos 1/3 do seu dia lá dentro.
Dicas após contratado:
-Não se atrase, não falte, não enrole, faça seu trabalho. Não tente ser esperto, não vacila!
-Não é porque existe "atestado médico" que a direção é troxa e não sabe que você está abusando. Use com bom senso pra não ficar queimado.
-As vezes você vai fazer coisas que não são da sua área. Isso faz parte e muitas vezes não é ideal, mas 5 minutos a mais no fim do dia quando você vê seu chefe carregando algum material urgente ou precisando imprimir alguma coisa e levar em outro setor urgente não vão te custar nada e dão destaque. Só não pode ser algo diário, mas em exceções é o que faz a diferença.
-Aprenda sobre o trabalho dos outros. Se você tem flexibilidade pra andar por outros setores, falar com funcionários (falar, não enrolar), observe o trabalho, pergunte como faz, se mostre interessado. Ajude o setor que empacota a fechar caixas, passa durex, da uma força. São esses funcionários que fazem a diferença. Vale lembrar que isso não se aplica a todas vagas ou lugares. Na empresa onde trabalho a moça que entrou com salário de 700 reais como recepcionista 15 anos atrás hoje é a administradora geral que cuida de todo escritório, RH e financeiro, e tem salário de mais de 6000 só com uma graduação de adm, e um dos pontos que ela sempre comentou foi "no final do dia eu anotava tudo que fiz no dia em um caderno e tudo que ia ter pendente no dia seguinte, assim eu sempre sabia o que precisava e um dia tinha uma informação crítica aqui que passou despercebido por uma das vendedoras. Fui promovida na hora".
-Nunca dê 100% de si, dê 90%. Assim quando a empresa passar por uma correria, ou aperto, você pode dar 100% sem se desgastar e pode fazer a diferença.
-Aproveite as oportunidades de horas extras quando puder. Além do dinheiro extra, você se mostra alguém comprometido.
-Não fique pendurado no celular, enrolando no banheiro, ou fazendo coisas que claramente você perde tempo. Ninguém é burro de não perceber a longo prazo. Caso tenha necessidade disso por emergência ou dor de barriga, discretamente comente com um superior ou alguém responsável como "nossa, comi alguma coisa que pesou, seloco" ou algo do tipo. Ou se está esperando o contato de alguém importante.
-Siga as regras. Não roube materiais da empresa pois você vai se queimar nela e em várias oportunidades futuras. Não assedie os/as colegas de trabalho, não importa o quão bonito/a ele/a seja. Mantenha o profissionalismo (E se a empresa autoriza relacionamento entre funcionários E for reciproco, mantenha fora do local de trabalho).Não grite por mais que seu chefe grite ou aja igual babaca, mantenha o nível, saiba respeitar e exija respeito.
Dicas de bons empregos pra se procurar:
-Professor de Inglês : boa parte do reddit ao menos tem um inglês razoável. Se você consegue falar bem e explicar a um nível aceitável, Escolas de inglês SEMPRE estão procurando professores. E eles vão te treinar totalmente sobre como fazer isso. Escolas mais fuleiras (como a DataByte ou Microlins) costumam pagar entre 10 e 15 reais a hora, e em minha entrevista ele estava tão desesperado que não tinha ninguém pra fazer a entrevista em inglês e só pediu pra ler 2 paginas de um livro e já era. Em escolas intermediárias (PBF, CNA, etc) o salário pode ser de 12~18 reais por hora (alguns sendo registrado por dias, como empregos convencionais) e a entrevista geralmente é um teste escrito e uma curta conversa. Em escolas de mais nome (Cultura Inglesa, Wizard-onde trabalhei-) O salário inicial é na faixa de 18~19 reais a hora, após 6 meses se dedicando é normal te darem turmas pra cargas de até 100~120 horas mensais caso você tenha interesse. Isso sem experiência anterior, sem certificado ou requisitos absurdos, só saber falar e explicar, e eles ainda te dão curso/treinamento completo caso precise sobre postura em sala, liderança e afins. Quando saí de lá após 4 anos já tinha salário de 26 reais a hora, MUITOS contatos com ex alunos, colegas e pessoas legais e ajudou muito no crescimento profissional. Nada mal pra um emprego que não exigiu experiência, todo semestre tinha 2~3 contratações e um ambiente extremamente aconchegante e animado de trabalho(porém puxado). Muitos colegas tiveram seu primeiro emprego lá e acabaram pegando amor pelo trabalho e hoje são excelentes professores. Faça um simulado de TOEIC online e se você acertou 60~70%, muito provavelmente você já tem o nível necessário pra dar aula, ao menos da língua. Além de desenvolver MUITO meu vocabulário com detalhes novos, eu e outros professores não tinhamos problema algum em tirar duvidas bobas ou formas de explicar pra colegas menos experientes.
-Lanchonetes de fast food: Não preciso nem dizer pois é o emprego de entrada, quase sempre tem vagas, mas é um trabalho miserável, porém da pra pagar as contas.
-Aux de Enfermagem: Involve um custo inicial pra estudar, mas tem muita oferta de trabalho em UPAS (eles terceirizam alguns funcionários pela rotatividade alta), é um trabalho DOENTE de puxado mas rende um salário bom geralmente em escala 12/36. Além de te dar experiência invejavel pra area da saúde. Vale a pena se você não sabe o que quer da vida e tem vontade de entrar nessa área.
Técnico em Química: Isso depende muito da região mas minha empressa é dessa área, e sofremos MUITO, MUITO MESMO com a falta tanto de profissionais qualificados quanto de gente começando na área. Já tivemos funcionarios com seus 19 anos, que oferecemos pra PAGAR os estudos pra ele subir de cargo da expedição pro laboratório e ele não quis por "ser complicado", não é um curso fácil mas não é um bixo de sete cabeças. A técnica mais antiga aqui tem salário de 5000 reais e não tem faculdade. Inclusive vale analisar que alguns cargos da area simplesmente não tem um curso preparatório e precisam ser aprendidos em campo e com o tempo, então tudo nessa area tem uma boa perspectiva de carreira.
Empregos "Trades": Encanador, Eletricista, Mecânico e afins de qualidade sempre estão em falta. E muitos deles estão abertos a ter um "aprendiz", se você as vezes tem seus 15~16 anos, e conhece algum daqueles pequenos de bairro, ofereça pra ficar 2~3 horas depois da aula alguns dias só pra aprender como é, são empregos que pagam bem e tem falta de bons profissionais. Além de abrir uma porta pro futuro.
Bom é isso ai, espero que seja útil pra alguns de vocês, qualquer duvida posso tentar responder aqui e desejo boa sorte na caçada de 2020!
submitted by exsoldierakechi to brasilivre [link] [comments]


2019.08.12 07:24 echimenes SOBRE O LADO COMPLICADO DAS RELAÇÕES - HOMOAFETIVAS OU NÃO

Ok, isso é literalmente um desabafo. Acho que já passei da fase das reclamações - e essa nem seria a função desse grupo. Mas aviso desde já: história longa a frente.
Primeiro, vou contextualizar vocês:
Eu tenho 22 anos de idade. Formado em Contabilidade em uma universidade federal. Me considero bonito, tenho boas comunicações sociais no ramo profissional e já trabalho na minha área de formação a quase 2 anos.
Sou gay. Não assumido para familiares - não por escolha, mas simplesmente por que não me preocupo com o que vão pensar de mim. Eu sou o que sou e tenho pleno orgulho de mim. Não preciso ficar anunciando a ninguém. Quem já sabe, e algumas pessoas mais próximas a mim já sabem, me aceitam sem complicações ou preconceitos imaturos.
Sempre fui mente aberta, porém apenas me reconheço como homossexual a pouco mais de 3 anos. Morava em uma cidade minúscula até mudar definitivamente para a cidade onde a minha universidade se localiza, uma das maiores do estado. Aqui, terminei minha graduação e consegui um bom emprego. Viver com a minha avó, depois do falecimento da minha mãe aos meus 11 anos, me fez crescer livre, embora minha timidez excessiva na adolescência não me permitiu ser um cara de festas e baladas, ou bebidas e outras drogas lícitas. Não sou de muitos amigos até hoje, embora seja mais extrovertido do que jamais fui.
Gosto de escrever. Muito. Meu sonho é ganhar dinheiro escrevendo um dia, seja livros ou roteiros de novelas e filmes - confesso: eu penso alto, embora meus pés estejam bem firmes no chão. Sou nerd quando o assunto é ciências, filmes, séries, livros e coisas dessa área pop. Gosto de fazer amigos que curtam o mesmo que eu.
Agora vamos ao "problema":
Eu me apaixonei por um garoto. Um ano mais velho que eu. Nem um pouco nerd e de personalidade extremamente mais dominante, mais autoritária. Um cara mandão, do tipo que não aceita "nãos" como resposta para nada.
Eu, que cresci sendo mimado pelas mulheres da minha família, jamais pensei que fosse me desarmar por outra pessoa como aconteceu. De verdade, pensei que eu fosse ser um grande babaca quando encontrasse o amor da minha vida.
"Grande engano o seu!" - disse o coração.
Pois é, o amor veio. Jamais senti o que senti por ele quando nos conhecemos. Foi bem na época em que eu "soube" que gostava de garotos e esse cara literalmente me ensinou, me introduziu ao mundo LGBTQ+. E só Deus sabe o quanto eu adorei isso. Aprendi a perder o pouquinho de preconceito que eu ainda trazia comigo desde antes de me ver nesse meio. Ele cuidou de mim, me ajudou a me adaptar nessa nova cidade e me fez pensar estar num sonho.
Obs.: sem contar que tudo o que sei 'na cama', adivinhem? Foi ele também que me ensinou. Virgem até os 20. Pronto, falei.
Eu realmente espero que outros homossexuais que lerem esse texto se identifiquem com a minha história. Eu não acho que seja tão incomum assim passar pelo que eu passo.
Começamos a namorar. Eu conheci a família dele. Passei a frequentar muito sua casa e a dormir lá mais vezes do que eu dormia na minha própria durante a semana. Seis meses haviam passado e já fazíamos planos ousados de irmos morar juntos dividir um mesmo aluguel e um mesmo lar. Ter nosso próprio doguinho.
Logo quando encontramos nossa nova casa, com menos de um ano que nos conhecíamos, resolvemos fazer nossa "lua de mel". Compramos juntos uma viagem para o Nordeste, onde ele viu o mar pela primeira vez comigo - eu já havia visto antes, durante um Simpósio no sul em que fui com minha turma da faculdade.
Foi durante essa viagem que senti as coisas começarem a desandar. Eu soube desde o início que ele era obsecado por sexo. E não me entendam mal, eu também gosto, mas no caso dele - ser assumido desde muito pequeno, ter conhecido o mundo do sexo logo com seus 14 anos de idade e nunca ter sido muito controlado pela mãe que o criou para ter cuidado com esses assuntos, creio que isso mexeu com a cabeça dele -, imagino que isso o deixou ser mais guiado pelo lado irracional da coisa.
Eu sei que muitos casais passam por isso. Apimentar a relação, encontrar uma forma nova de fazer. De repente, um brinquedo ou um até mesmo um terceiro. Sim, hoje eu sei que isso é a coisa mais normal no mundo. Não é um bicho de sete cabeças. Não é um BIG DEAL. É o ser humano. Somos nós. Cansamos do mesmo corpo, dos mesmos lábios, dos mesmos assuntos. Não tem a ver com amor. Tem a ver com adrenalina. Precisamos sempre de renovações, de viver novas aventuras. É maior do que nós. Pessoas desimpedidas passam por isso dia após dia. Mas chega a ser um tabu para os casais. E não estou falando apenas de homossexuais. Homens e mulheres se machucam o tempo todo quando chegam nesse estágio do relacionamento. É triste e desencorajador, mas devo dizer que para quem passa por isso, pode ser um grande ensinamento de vida.
Não sei se é por sermos dois homens ou se é por termos feito as coisas muito rápido, mas com menos de um ano de namoro, cansamos um do outro. O amor não diminuiu, pelo contrário, ainda é o mesmo. O que mudou foi a falta de novidade. Ele já tinha tido muito mais experiências do que eu. Havia passado por loucuras que rezo para nunca ter que passar. Mas eu, em termos, ainda sou um iniciante nesses assuntos. Ele queria mais do que isso.
Sugeri um terceiro. Sou MUITO mente aberta. A ideia não me magoou no início, embora tenha me assustado, confesso. Ele prontamente aceitou e aconteceu ainda nesse viagem. Minha primeira experiência a três, mas não a primeira dele, claro. Embora eu não tenho dito nada a princípio, isso mexeu comigo. Não soube como reagir. É estranho ver a pessoa que você ama com outro. Okay, eu deixei, eu permiti aquilo, mas quando aconteceu, fui invadido por um sentimento totalmente novo.
Depois da viagem, as coisas não melhoraram muito. Fizemos a "brincadeira" outras várias vezes, mas parecia não ser certo. Eu vejo pornografia online diariamente como todo garoto da minha idade. Isso nunca me afetou ao ponto do vício.
Então as desconfianças começaram.
Eu ia para o trabalho nos dias em que ele tinha folga e ficava imaginando o que ele estaria fazendo em casa. Ou com quem ele estaria. Vejam bem, não sou ciumento, mas eu já sabia do que ele era capaz por causa do sexo. Aliás, não se trata de ciúmes; é algo mais... ético. Poxa, somos um casal. Praticamente casados com alianças e tudo. Já fizemos ménage antes e não haveria por que pensar que pudesse haver traição no meio. Eu tinha esse sentimento dentro de mim - ainda tenho -, de querer conhecer alguém diferente, me envolver como me envolvi com ele. Sabem? Me sentir como me senti no começo com ele. Quando a chama da paixão era ardente e incontrolável. Mas não poderia deixar nada mesquinho aflorar de dentro de mim. Eu amo ele. Ponto.
E foi então que eu descobri. Eu já estava às vésperas de me formar na faculdade. Estava com emprego novo e tudo parecia correr as mil maravilhas. Eu soube através de um meio anônimo que ele estava saindo com outros caras. Não poderia dizer quantos, mas sabia que eram mais do que um. Meu mundo só não caiu por que sei me virar em situações de emergência. Sei alinhar meus pensamentos. Sei administrar o que é racional do que não é.
Não joguei nada na cara dele. Deixei as coisas fluirem. Continuei a trabalhar durante o dia e pegar o ônibus para ir a faculdade a noite. Nos finais de semana, eu limpava a casa e lavava nossas roupas. Por ter poucos amigos, praticamente não saia nas folgas.
Não demorou muito para eu também começar a sair com outras pessoas. As escondidas, claro. Era só sexo. Nada de contatos. Apenas satisfação da carne. Ele fez, por que eu não podia? Também sou jovem, bonito, por que bancar a Cinderela com a madrasta e as primas más? Podem me julgar a partir daqui, mas me senti revigorado. Senti a chama de novo. Não me senti me vingando, estava muito além disso.
As vezes ainda fazíamos nossos trios, mas com frequência menor do que antes. Então um dia, ele descobriu que eu também pulava a cerca como ele. O cara com quem eu havia saído numa folga minha em que ele trabalhou, não sei por qual motivo - talvez para ver o circo pegar fogo - mandou prints de nossas conversas para ele e aí... bem, não foi tão frio quando eu fui. Brigamos como nunca. Claro que já havíamos brigado antes por vários motivos diferentes - inclusive por sexo -, mas essa briga em especial foi a maior. Decidimos nos separar. Ele jogou varias hipocrisias na minha cara e eu, bem, eu aceitei. Foram sete dias sem nos vermos. Eu já estava pensando em me mudar para a casa de um primo até saber para onde iria, quando tivemos uma última conversa. Abri minha alma, expliquei o que eu havia feito e por quê. Lembram do que falei sobre não aceitar "nãos" como resposta? Pois é, isso vale para não aceitar que a culpa recaia sobre você também. Foi uma conversa difícil. Tínhamos um cachorro para cuidar. Uma casa alugada com um contrato de aluguel ainda longe de vencer e dívidas contraídas juntas para liquidar. Talvez tenha sido a junção de tudo isso, daquela dívida moral que eu sempre vou ter com ele por ter me ajudado tanto no começo, mas reatamos.
Continuamos juntos, embora elefantes ainda caminhem pela nossa casa. Eu sei perdoar. Já perdoei várias coisas e pessoas antes dele. Não guardo mágoas, pois sei dos malefícios que se dão com isso. Não gosto de atmosféras tóxicas dentro de um relacionamento, seja ele amoroso ou não.
Agora, sinceramente já não ligo para as folgas dele. Não ligo para o fato de quantos caras ele vai levar para a nossa cama enquanto eu Não estou por perto. Eu sou mente aberta ao extremo. Talvez se ele tivesse me pedido antes de fazer, eu tivesse deixado. Não estou decepcionado e não me sinto traído. Não choro por isso a noite depois que ele já dormiu. Minha consciência está, acreditem vocês, tranquila. Certa vez, num banheiro público, li a seguinte frase:
"Você tem certeza que não está colocando vírgulas ainda deveria estar colocando pontos finais?"
Pois é, eu sei que estou colocando vírgulas. Muitas. Sinto que metado de mim iria embora no momento em que nos separassemos definitivamente. Pois mudei muito depois que o conheci.
Mudo a cada dia estando perto dele e sabendo do que aconteceu. Me sinto preso. Preso em algo que já parou de andar. Isso me faz querer me odiar, mas eu também tenho amor próprio. Ou será que acho que tenho por pensar assim e fazer algo totalmente diferente?
Eu sou um garoto e a outra pessoa também é. Somos um casal homossexual vivendo num país predominantemente homofóbico e intolerante. Mas eu sei que essa minha história é a mesma que muitos outros casais vivem ou já viveram por aí. Eu amo esse cara. Amo ao ponto de ainda estar com ele depois de tudo. Amo ao ponto de saber que estaríamos melhor separados. Mas me faltam forças para dar esse passo.
submitted by echimenes to desabafos [link] [comments]


2019.07.24 21:08 Gueixa Conselhos de uma ex-garota de programa sobre sexo e relacionamentos

Olá a todos meus queridos e queridas do Reddit! Eu sou a Gueixa e já fiz um desabafo aqui antes:
https://www.reddit.com/desabafos/comments/c24bdn/fui_garota_de_programa_e_não_me_arrependo/

Nesse meu segundo desabafo eu vim aqui comentar sobre um pouco do que tenho lido nessa maravilhosa comunidade.
AVISO!!! OLHA, vou avisar que é um TEXTÃO. Desculpe por escrever tanto, sei que muita gente não gosta, prometo q será a última vez que escreverei tanto assim. Mas eu quis abordar alguns tópicos q vi aqui sendo recorrentes e responder aqui dúvidas que recebi inbox e no chat.
Vejo muita gente com problemas de relacionamento, querendo aprender sobre sexo, perder a virgindade e outros temas, infelizmente não posso acompanhar todos. Sempre que posso leio e comento, mas a vida de mãe solteira não me permite sempre porque meu filho ta sempre aprontando e eu preciso ficar de olho, amo muito ele. S2
Mas deixando o meu lado mãe coruja de lado, eu vim aqui pra dar uma palavra amiga a vocês que estão com problemas de relacionamento e estão se encontrando no sexo.
Como ex garota de programa, o q eu aprendi dos homens que me procuravam: virgens, casados, solteiros, viúvos é que a conexão é o que faz as pessoas ficarem juntas. O q muitas vezes mantem a relação mais do q sexo são os laços construídos, as memórias, momentos.
Então pra quem está se relacionando ou quer se relacionar, tente sempre criar boas memórias, bons momentos juntos com a pessoa q vc gosta ou está interessada, fuja da rotina, inove no que puder. Seja sempre que possível transparente, converse, ouça, preste atenção, mostre que está junto com a pessoa.
Pode parecer bobo, mas faz toda a diferença. As vezes um beijo, um carinho valem mais que mil palavras. Mostre que vc gosta, mas não esqueça de vc também, NÃO VIVA PARA A PESSOA, MAS COM A PESSOA.
Meninos virgens: calma! Sexo não é tudo! Ser virgem não é o fim do mundo! Vc não precisa se preocupar em perder a virgindade cedo pq seus amigos perderam antes de vc. Relaxa. Não se apresse, pesquise sobre como dar prazer a uma menina, quando chegar ao momento, curta e não fique apressado em gozar ou meter. Escute a Tia Gueixa pq sabe das coisas, rs.
Se for perder a virgindade com uma garota que NÃO FAZ programa, seja sincero com ela, vá devagar, esqueça tudo q vc viu nos filmes pornos, aquilo lá não é realidade!
Vc não é o Kid Bengala e nem precisa ser. Um pau daquele tamanho machuca e assusta as mulheres normais. Quanto ao tamanho do pinto, não se sinta mal, saiba usar tudo q Deus te deu como a boca, dedos, tenha pegada q conta muito. E esteja cheiroso. Cheiros é muito importante pra nós, mulheres, ao menos pra mim é , rs.
Quando for transar, aproveite o corpo dela. Mostre q está gostando. Elogie o corpo dela, seja gentil e carinhoso. JAMAIS FORCE. Vai por mim, mulheres gostam de serem bem tratada, afinal quem não gosta?
Pense que é um parque de diversões e explore. Beije a boca com vontade, o pescoço, atrás da orelha, beije os mamilos dela, a barriga, a vagina, o bumbum, explore o corpo dela. Não pense só em meter.
Capriche nas preliminares!Se puder, aprenda a fazer massagem q é um diferencial! (eu por exemplo, adoro!)
Se for perder a virgindade com uma garota de programa pesquise preços, lugares acessíveis a vc, q tipo de serviço ela oferece, formas de contato, de pagamento e etc.
Uma boa ferramenta pra isso são os fóruns de garotas de programa. Existem alguns conhecido como o Gp Guia, Fórum X, Gp Arena, Fórum Cutuca, Fórum SD, Fórum Gp Luxúria.
Tem garota de programa q anuncia no Twitter, Facebook, procure lá pra se informar sobre elas. Procure sites de anuncio como Rio Encontro, Amantes e Cia, Photoacompanhantes, Viva Local.
Entre em contato, seja gentil e tire as dúvidas com ela. Não tenha medo de parecer inexperiente. Ninguém nasce sabendo!
Meninas: masturbem-se, conheçam seu corpo, não tenham vergonha, se deem prazer pq devemos nos amar em primeiro lugar.
E claro, quando transarem deem prazer aos meninos pq sexo é feito por 2 (ou mais) pessoas então TODO MUNDO TEM QUE GOZAR.
Reciprocidade é importante. Quando fizer oral dê aquela chupada olhando eles, capricha chupando toda a area do pau, lambendo a cabeça, o saco...Ele adoram! E se o cara curtir faz beijo grego, fio terra. Nada que der prazer COM consentimento é errado. Mas só se eles derem brecha, NÃO FORCE, se não derem continue com o que ele gosta. A reboladinha na sentada é certeira, dar uns sussurros, gemidos, até arrepia, ai ai...
O q aprendi nesse meio é que os homens gostam de serem ouvidos, gostam de atenção. Deem carinho a eles, escutem pq tem muito menino frustrado e desacreditado no amor e nos relacionamentos. Mas nunca se esqueçam q vc só deve fazer algo se vc se sentir bem.
Não curte anal, então não faz. Vc não existe só pra satisfazer outra pessoa. Ele terá que entender, afinal o cu é seu, rsrssrsrsrs
Não faz nada que vc NÃO curte, deixe isso claro. Agora se quiser experimentar algo novo, converse, pesquise e vai a luta!Sempre converse sobre fantasias, sempre deixe bem claro seus gostos.É melhor sempre ser transparente pra não haver mal entendido depois. Acima de tudo, divirta-se! Relaxa e goza!
Desculpem o textão, me desculpem quem não curte textos longos, se esqueci de algo depois falo.Agradeço a todos vcs pelo carinho, pela atenção, por me lerem, por serem tão gentis
.A partir de agosto vou ficar ausente aqui, então quis deixar algo pra vcs se lembrarem e se sentirem um pouco melhor. Beijos pra todos vcs!!!!
submitted by Gueixa to desabafos [link] [comments]


2019.07.22 03:17 TYagami Domadores de Almas - Destino, Espiritualidade e Apocalipse

Não acho que o nome tenha te trazido até aqui, mas se você não segue nenhuma religião, mas tem uma crença, e ainda por cima tem contato com espíritos, acho que já podemos começar nossa conversa.
Primeiramente, muito prazer.Eu nem sei o que eu estou fazendo aqui pra começo de conversa porque jamais me imaginei fazendo isso...
Caí aqui no Reddit meio que de paraquedas. No meio de uma conversa com um amigo meu, ele me disse para vir aqui e criar um post contanto minha história porque querendo ou não, tem mais pessoas envolvidas e muitas delas já sabem também que foram escolhidas para um "algo maior". Mas... Ao invés de enrolar mais, vou explicar do começo.

Meu primeiro contato com algum espirito foi aos 3 anos de idade. Eu me lembro de ter visto uma mulher de pele clara, cabelo comprido preto e usava uma roupa branca, parecia uma camisola. Uma criança normal se assustaria, já eu... Por algum motivo eu decidi falar com ela.
- Quem é você? - Perguntei.
- Um alguém. Só um alguém. - Respondeu. - Quer ser meu amigo? Sorriu a moça.
- Tá. - Respondi.
No momento em que eu respondi, ela sumiu e eu apaguei.
Alguns anos se passaram e nunca mais tinha visto aquela moça. Pra mim, aquilo tinha sido apenas um sonho. Engano meu.
Não entrarei em detalhes sobre a moça no momento para não deixar a história muito extensa e principalmente pra mim não perder o foco do post. E antes que perguntem, sim, ela ainda está comigo.
Eu sempre fui uma criança bem extrovertida, de uma imaginação muito fértil e sempre amei desenhar. Então, por conta da criatividade, as coisas que eu via/ouvia/sentia que eu não podia contar pra ninguém, eu decidi começar a escrever uma história: Domadores de Almas. Não, não são pessoas que controlam almas... Na verdade, são espíritos que são mandados para a Terra (o carnal) para encontrar pessoas capazes de receberem certos poderes/habilidades e também para que até esses espíritos ficassem mais fortes, conseguindo liberar até mesmo 100% de seu poder total. O porque desses espíritos terem vindo até nós? Um mal ia nascer a partir dos 7 pecados e esse mal irá destruir os dois lados, por isso eles receberam essa missão.
História legal, né? kk
Só que parecia que algo ou alguém não queria que eu escrevesse essa história porque sempre que eu ia escrever o capitulo 4, algo acontecia. Se fosse no caderno: A folha rasgava por conta da borracha, a ponta do lápis quebrava, a caneta estourava... Se fosse no computador: O word travava, o pc travava e até a força chegava a cair!
Ainda não "acreditou", né? Tá bom.
Com 19 anos me batizei na igreja evangélica. Pois é. Sou evangélico. Mesmo com tudo o que sempre aconteceu na minha vida, decidi seguir a Cristo rs e não me arrependo. A história? Bom, estava parada. Nunca dava pra continuar, então deixei ela de canto. Mentira. Eu pensava que era algum bloqueio meu e tentava de novo, mas ai era desde o começo e com isso as mudanças e alterações vieram, coisas que deixaram a história mais real e um pouco mais pesada também.
Toda pessoa quando cria ou faz algo tem a vontade de mostrar para a família, né? Desde os 12 anos quando eu comecei a escrever essa história eu sempre quis mostrar ela pra minha mãe e pra minha irmã mais velha. Meu pai nunca ligou muito. Sabem o que elas falavam? "Que era do demônio". Gente, como é do demônio se eu nunca li, vi, estudei ou até mesmo procurei sobre algo do tipo? Mesmo vendo e ouvindo coisas, eu tinha medo! Não gostava! Mas não quer dizer que eu procurava. ME DESCULPA SE QUANDO PASSAVA DRAGON BALL Z EU GRITAVA "SATAN, SATAN" NA SALA COM A MÃO PRA CIMA, MAS ACREDITA EM MIM, EU NUNCA PESQUISEI! E MR. SATAN É O NOME DO TIOZINHO ALI!!
Lembram? Me converti, entrei pra igreja e fui conversar com meus pastores sobre o assunto. Resumindo? Apaguei a história e queimei todos os meus desenhos referentes a minha história. Todos que de acordo com o espirito santo tinham que ser queimados/destruídos.
Eu, minha mãe, minha irmã mais velha e meus pastores descemos para uma rua aqui perto de casa que é calma e levamos os desenhos (todos que achamos), uns tapetes e uma mesa de plastico branca que íamos jogar fora. Aproveitamos pra queimar tudo junto. Peguei uma folha, molhei com álcool Zulu na ponta, peguei o esqueiro e acendi. Tava lá, a chama azul, toda bonitinha e o papel ainda branco. Branco. Não queimava. O papel não queimava. Ok, álcool de cozinha é fraco. Vamos na ponta seca. ... ... ... ... É... Acho que o problema não era o Zulu. O papel não quer pegar fogo mesmo. Parti pro tapete. Fui e pensei: "Pelo menos os fiapinhos vão pegar fogo...". Nem os fiapos do tapete pegavam fogo. A chama azul lá parada e nada acontecia. Ninguém tava acreditando. Meus pastores pegaram o carro deles e levaram tudo para o monte onde lá pegou fogo sem exitar.
Quase entrei em depressão depois disso. Eu não desenhava mais. Não escrevia mais. Nunca fui fã de copiar desenhos, sem gostei de criar os meus. Aí, num certo dia eu tive um sonho. Era muito real pra ter sido só um sonho. Eu estava num campo. Um lugar lindo. Um céu limpo com poucas nuvens, uma brisa gostosa. Do meu lado direito tinha uma montanha que por ela descia uma cachoeira e do lado esquerdo era só campo. Na minha frente tinha alguém, mas eu não conseguia ver seu rosto. Era como se o Sol estivesse atrás dele impedindo com que eu visse sua face. Ele usava uma roupa branca com uns detalhes amarelos ou eram dourados. Ele me olhou, esticou a mão em minha direção e disse:
- Vem. Vamos conversar.
Sua voz era calma. Forte, mas passava tranquilidade. Por algum motivo eu não conseguia falar e então ele continuou.
- Sabe... Tem muita coisa que gostaria de falar, mas a principal é... Sabe o porque de não conseguir escrever a história do capitulo 4 em diante? O porque de tudo isso acontecer? - Perguntou e esperou. - Porque do capitulo 4 em diante você envolveria pessoas reais. Seus amigos, os que você colocou como personagem, todos eles passariam pelo mesmo que você passa e poderia ainda acontecer coisa pior por conta da história deles. Compreende agora? - Apenas assenti que sim. - Agora sobre seus desenhos, você pode dar continuar com eles, mas com um porem. Vamos usar o ser humano como exemplo. Um homem comete vários crimes em sua vida, mas num certo ponto ele decide mudar. Ele decide ser diferente. Se arrependeu de tudo o que fez e agora segue uma vida ajudando as pessoas, fazendo a diferença. Entendeu onde eu quis chegar? Mesma pessoa, mas com atitudes diferentes. Seus personagens, ainda pode fazê-los, mas eles não podem voltar a ser quem eram. Tudo bem?
Antes que eu pudesse pensar em responder, fui acordado.
Depois disso voltei a desenhar e comecei uma história nova, mas uma coisa começou a acontecer e eu estava com medo de contar pra alguém e ser taxado de louco. mais ainda
No dia 3 de Fevereiro de 2018, no primeiro final de semana de Carnaval, foi onde "tudo começou".
3 amigos meus estavam comigo aqui em casa. Íamos pro bloquinho tanto no Sabado quanto no Domingo, mas alguma coisa tinha acontecido que não fomos no Sabado e íamos no domingo. Eu então recebi uma mensagem de um amigo meu me chamando para ir na casa dele comer pizza e beber alguma coisa, disse que estava com uns amigos, ele disse que não se importava e fomos todos. Nos dividimos em "2 grupos". Eu, Ele e um amigo meu fomos comprar bebida. A mulher dele, e os meus dois outros amigos ficaram lá com ela. Do nada, no meio da caminhada, entramos no assunto espiritualidade. Assim que chegamos na casa dele, ele me olhou e pediu pra perguntar sobre o que eles estavam conversando e em que parte eles estavam. Quando perguntei, sim, eles estavam na mesma parte que a gente, e foi ai que o assunto "bombou" e ficamos conversando sobre isso o resto da noite. No meio da conversa, ele me olha e diz:
- Tá, vamos lá. A sua moça tá aqui na minha direita dando em cima da minha entidade, né? - Perguntou ele.
- Como você? Como é que você sabe? - Perguntei.
- Ele... Isso não tem graça! - Respondeu minha moça toda sem jeito.
- Agora... - Ele então continuou. - Aquele ali é seu outro, não é? - Perguntou apontando para frente.
- Espera. Ela eu entendo você saber porque as vezes eu não resisto as piadas dela e olho pra ela sem graça, mas ele? Eu nem olhei pra ele e você sabia que ele tava ali? - Perguntei. Eu não estava acreditando.
- Do que ele tá falando? - Perguntou um amigo meu.
- E que moça? - Perguntou uma amiga minha.
Foi nessa noite que meus amigos souberam dos meus amigos. E foi nessa noite que eu descobri também que não eram amigos imaginários e que tudo o que eu tinha vivido, era 100% real.
Contei pra ele dos meus desenhos, da história e de como tudo acabou e ele ficou nervoso. Muito nervoso.
- Porque você fez isso? Apagar sua história e queimar seus desenhos? Pra que? Se tinha algo te atrapalhando era só falar comigo que eu eliminava esse ser.
- Então... Eu não fiz porque 1°: Pensei que fosse Disney minha e 2°: Não sabia de você e muito menos de mim.
- Tá, mas de verdade? Eu tenho certeza que você foi destinado a escrever essa história e sabe o que eu acho? Que depois que você apagou a história, você tá vendo todas as cenas acontecendo de verdade na sua frente. Do mesmo jeito que você tá me vendo agora, você vê as cenas. Tô mentindo? - Sorriu ele.
Ali meu mundo caiu. Lembram ali em cima quando disse que algo começou a acontecer depois que eu parei com a história? Então. Foi isso. E eu não tinha contado isso pra ninguém. E eu não conversava com esse meu amigo mais.
Depois dessa noite muita coisa na minha vida mudou. Eu precisei incorporar meus dois amigos porque esse meu outro amigo queria conhecê-los porque precisava saber se iam me fazer mal ou não. Ele queria falar com eles e esse teria sido o único meio ali já que eu já tinha dado abertura para os dois. Depois disso, além de ganhar alguns "dons" acabei ficando sem asma e meu problema de coluna.
2 meses depois enquanto voltava para o escritório depois do almoço, tem um galho abaixado, muito caído no meu caminho e uma das suas folhas ia me acertar se eu empurrasse ela ou me abaixasse. Eu bati na folha e com isso o galho levantou, mas voltou depois pro lugar que tava. De repente...
-Ai... - Ouvi uma voz infantil vindo de trás de mim.
- Acho que batemos em alguém. - Respondeu um dos meus amigos.
Quando eu olho para trás, atrás daquela folha tinha alguma coisa. Eu parei, olhei, vi duas mãozinhas segurando a folha, ele estava escondido.
- Cês tão vendo isso também? - Perguntei e eles disseram que sim.
Fui devagar até a folha e quando estava chegando, vi uma cabecinha me olhando e assim que percebe que eu a percebi ela volta pra trás da folha.
- Tem alguém ai...? - Perguntei.
- Por favor não me bate de novo, eu não fiz nada, eu só tava aqui na minha folhinha.
- Calma, eu não vou te bater e me desculpa, foi sem querer. Eu não sabia que você estava aqui.
- Ah, tudo bem então. Sua energia é boa. - Sorriu ele saindo de trás da folha. - Só a do seu amigo aí que me assusta. A energia dele é pesada. Me dá medo.
- QUE COISINHA FOFA! - Ouvi minha amiga gritando saindo de dentro de mim e indo pra cima dele apertando suas bochechas.
Vou cortar o dialogo...
Depois de conversarmos um pouco, acabei chegando na história. A reação dele não foi uma das melhores...
- O QUÊ? VOCÊ É UM DOS ESCOLHIDOS? - Gritou o pequeno. tem 19 centímetros ele.
- Escolhidos? Do que?
- Do Apocalipse. Um dos que vão ficar aqui pra batalha.
- Isso é real? Porque assim... Quando eu era pequeno que eu tinha lido apocalipse e pedia nas minhas orações pra estar na Terra ao lado de Deus e tudo mais, eu não esperava que fosse real ou que fosse dar certo.
- Não importa como foi! Eu quero ficar com você. Vou te proteger. Você me aceitando como parceiro ou não, vou te proteger. Passei muito tempo nessa arvore esperando um motivo pra sair dela e finalmente achei. Vou com vocês.
Só que... Parece que alguém mais ouviu nossa conversa...
No dia seguinte eu acordei com um grito de uma criança de madrugada.
- O que aconteceu? - Perguntei. Eu sabia que não era um sonho, porque quando sou acordado por eles é diferente.
- Nossa conversa ontem... Ouviram.
- Como assim "ouviram", pirralho. Desembucha. - Disse meu amigo rosnando.
- Calma. Me explica isso melhor.
- Eu não sei o que aconteceu, mas deveria ter alguém seguindo vocês já e agora o mundo inteiro já tá sabendo de você e que "você tá montando um exercito pro apocalipse".
- Exercito? Eu só queria escrever uma história...
- Desculpa, a culpa foi minha da gente ter conversado na rua e eu nem lembrei de fazer uma barreira também.
- Agora já foi. - Rosnou meu amigo.
No dia seguinte, no meu grupo do WhatsApp grupo do tinder rs. Entrou um rapaz do DDD 81 que depois que viu minha apresentação no grupo me chamou no privado e depois simplesmente saiu do grupo. Conversei com ele e tudo mais e depois perguntei o motivo dele ter saído.
- Já te encontrei. Não preciso de mais nada no grupo. - Respondeu o rapaz.
- Eu tô falando pra você que esse viado é do babado, mas você não me escuta... - Disse minha amiga.
- Own, que fofo. - Respondi.
- Fica tranquilo que daqui, que mesmo longe eu vou estar te protegendo. - Continuou.
- Aaaah, se eu ganhasse 1 macho a cada palpite certo meu... - Debochou minha amiga.
- Posso fazer uma pergunta? Qual sua religião? - Perguntei.
- Não tenho uma religião. Acredito em Deus, mas também acredito em outras coisas.
Quando ele disse isso... Alem de confirmar que minha amiga estava certa, também comprovou que era alguém "como eu", que tem amizades assim com espíritos e tudo mais. A gente continuou conversando, ele acabou conversando com ela, mas por um mal entendido, ele sumiu. Ela disse pra ele que "Tinha que passar por ela e pelo meu outro amiguinho pra me ter"... Foi triste. Mas seguimos. Mas não acabou por aqui. Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Portugal... Gente de vários lugares por algum motivo conseguiam meu numero, não sei como, a gente conversava e dava no mesmo. Não a parte da minha amiga falando aquilo, mas era todo mundo do "meio".
No meio do ano, em Junho de 2018 se não me engano recebi uma ameaça aqui em casa. Cercaram a minha casa e me mandaram um "aviso"
- Pode avisar para todos esses seus amigos "Domadores" que o "exercito" de vocês não chega aos pés do nosso.
Ele tinha entrado aqui em casa com outras entidades, ameaçaram de destruir meus amigos e me mandou mandar esse recado para os meus amigos que estavam nesse grupo do WhatsApp sobre o assunto.
Depois disso fomos atrás de ajuda. Eu nem sabia que dava pra atacar alguém espiritualmente, ou melhor, eu nem acreditava que pelo espiritual poderiam ser feitas tantas coisas... Eu era recém-nascido no assunto praticamente. Não tive treinamento nenhum.
Uma amiga então me disse que tinha um grupo perto da casa dela que eram do meio. Pedi para ela falar com eles dizendo que precisávamos de ajuda e fui ao encontro deles. A diferença entre nós dois? Meu grupo e o deles? O que nós conhecemos por "Apocalipse" eles conhecem por "Ragnarok". Eles estavam dispostos a nos ajudar e chegaram até a nos propor uma "aliança" entre nosso grupo e a alcateia deles, mas... Sabem minha "amiga"? Não sei se é ela que tem as visões ou se graças a ela eu consigo ter elas, mas vimos que parte deles estariam no outro time e... Eu me apego fácil as pessoas.
- Sabe que se a visão for real, alguns deles morreram pelas nossas mãos, não é? Melhor nos afastarmos sem nenhuma inimizade pra caso venhamos a nos encontrar na rua do que algo pior venha a acontecer. Sei que vai doer mais em você do que em mim. Ou melhor, em nós. - Disse meu amigo. o que rosna
Eu concordei. Ele estava certo.
Depois disso, um amigo meu que é do "meu grupo" me disse:
- Cara, porque não vai no Reddit, cria um post contando tudo e vê se consegue encontrar mais pessoas? Tá, é uma faca de dois gumes porque pode ser que apareçam pessoas querendo nos ajudar, mas também podem aparecer pessoas que vão querer nos matar a qualquer custo! O que nós, não só nós sabemos, mas todos sabem... O tempo está próximo mesmo. Não acho que essas coisas aconteceriam a toa. Acho que custa tentar. - Disse esse meu amigo.
- O que vocês acham? - Perguntei para os meus amigos.
- Não podemos sujar nossas mãos de sangue agora, mas se tentarem machucar você, não exitarei em incorporar para te proteger. - Rosnou meu amigo.
- E se forem para nos ajudar, os ajudaremos também! Com tudo o que pudermos. Se for um boy gato eu ajudo mais ainda hihi - Brincou minha amiga.
- Antes disso eu tenho que voltar a escrever a história. Só ai vou confirmar mesmo que eu aceito meu destino. - Disse.
- Infelizmente nós dois já aceitamos o nosso. - Sorriu minha amiga dando um tapa no braço do meu outro amigo.
- Domadores até o fim?
- Uma vez domadores, sempre domadores. Não importa o que aconteça. - Sorriram.
Depois que decidi que ia fazer a história e seguir com isso, tive outro sonho, naquele mesmo lugar, com aquele mesmo homem. Dessa vez eu estava em pé.
- Tem certeza de que vai seguir em frente com isso? - Perguntou ele.
- Sim. Tenho. Se eu fui destinado a escrever essa história, a estar mesmo nessa luta, mesmo que eu vá ficar com muito medo quando chegar a hora, eu vou em frente. Sem falar que... E se essa história tiver informações que possam ajudar algumas pessoas ou avisá-las sobre o que está por vir. Se acontecer algo com elas e eu não tiver avisado, vai doer bem mais em mim do que nelas, porque eu tinha a informação, mas quis guardar elas pra poupar umas 10, então... Não compensa.
- Então está certo. Que assim seja.
E ai acordei.


E é por isso eu tô aqui. Não sei se vai aparecer o horário no post com a data tudo certinho, mas agora são 22:20 de um Domingo, dia 21/07/2019 e tá dando pra sentir uma pressão muito forte vindo do lado de fora da minha casa. Eu não ia escrever esse post hoje, nem sei até quando eu ia continuar enrolando pra escrever isso, mas... Por algum motivo... Peguei meu celular pra jogar Grand Chase e o Reddit abriu. Se eu entendi? Não entendi. E como eu sei que a vida dá dessas, então eu pensei: Porque não? Deve ser a hora.
Ps: Não adianta me chamar de louco, sei que sou. kk
Ps 2: Não vou revesar o post como eu sempre faço com qualquer texto meu que eu reviso sempre umas 3 vezes. Então, escrevi, postei. kk
submitted by TYagami to u/TYagami [link] [comments]


2019.05.10 07:05 giulianosse Apatia; viver faz ainda menos sentido e literalmente não vejo saída pra isso

Aviso que isso vai ser longo. Provavelmente ninguém lerá até o fim, mas eu juro que tentei resumir o máximo que pude.
Background: 2018
Eu, 23 anos, basicamente um fracasso em quase todos os aspectos possíveis da vida.
Em julho descobri que seria jubilado no final do semestre após cursar 4 anos de um curso que eu amo em uma das faculdades mais prestigiosas do país pois não tinha vontade e ânimo de estudar (dificuldade de me adaptar = DPs = poucos amigos)... mas tudo bem
Sempre tive poucos amigos. Muitos colegas e conhecidos, mas poucos amigos de verdade. Sou super introvertido, mas depois que conheço mais a pessoa me torno o cara mais extrovertido do planeta. Não gosto de ir em festas e baladas onde não conheço ninguém, mas adoro passar uma noite enchendo a cara e falando/fazendo merda no boteco mais sujo da cidade com meus amigos. Sempre tive sobrepeso, fui feio e tive zero auto-estima, então nunca aprendi a me aproximar de alguém novo... mas tudo bem
Tenho os hobbies mais caseiros possíveis: livros, séries, jogos e filmes. Porém, assim como minha persona social, sou esquisito e sou doido de vontade de fazer outras coisas mais "ao ar livre" tipo viajar para outras cidades/países, ir em shows, festas, praticar um esporte; só faltava companhia mesmo... mas tudo bem.
Nunca tinha tido uma relação amorosa. Pior, sequer consigo conversar direito com meninas. Apesar de não ser mais bv, ainda assim era virgem e nunca tinha sentido vontade de ter um relacionamento... mas tudo bem.
Digo "tudo bem" pois eu aceitava perfeitamente a minha mediocridade. Eu não era feliz, mas de certa forma conformado e satisfeito com a minha situação... e isso era o que importava. Era contente e deixava a vida me levar.
Aí chegou setembro.
Logo no começo do mês, viajei com uns amigos e passamos um fim de semana enchendo a cara em um sítio, como fazemos semi-regularmente. Sempre vão basicamente as mesmas 8-10 pessoas, às vezes alguém novo. Eis que o impossível acontece: uma garota da minha idade, amiga comum de todos os meus companheiros (todos na casa dos 28 anos pra cima), também foi. Inicialmente eu não dei a mínima, mas aconteceu que ela estava 100% interessada em mim. Até eu, um zero a esquerda nesse assunto, notei isso na hora.
Enfim, por iniciativa dela acabamos se pegando (e eu, na ansiedade e pânico do momento, acabei nem me despedindo dela quando fui embora no domingo hahaha)
No dia seguinte, resolvi adicionar ela no Facebook (como faço com todas as pessoas novas que conheço) e, pasmem, ela vem puxar assunto. No começo, mal conseguia responder. Ela teve muita insistência em continuar me dando trela. Papo vai, papo vem e acabo "descobrindo" que ela estava realmente interessada em mim.
Acabou que, em basicamente uma semana, estávamos trocando mensagens todos os dias e conversando basicamente o dia inteiro sobre tudo, tudo mesmo. Contei coisas pessoais que nunca tinha falado pra ninguém. Ouvi, também. Éramos compatíveis em literalmente tudo. Nos abrimos como livros. Nunca havia sequer imaginado que poderia ser íntimo assim com outra pessoa em minha vida.
Acabou que, obviamente, nos apaixonamos. No começo foi meio estressante (duas semanas depois, primeiro encontro, eu já a pedindo em namoro e ouvindo um "não" porém continuamos interagindo da mesma maneira; ela ficando com outras pessoas em um bar e depois vindo contar, chorando, que não podíamos ser nada além de amigos; ela mudando de opinião 180º um fim de semana depois) mas deu que acabamos por enfim namorar.
Não quero me prender muito aos detalhes, mas apenas gostaria de dizer que foram os melhores três meses da minha vida. Eu a amei, e era tudo absolutamente 100% recíproco. Fizemos planos, fomos descobrindo ainda mais coisas e hobbies que éramos compatíveis... até brincávamos que estávamos bancando o Juscelino Kubitschek edificando Brasília - 50 anos em 5 - pelo ritmo das coisas. Não sou muito de filmes românticos, mas eu ainda acredito que nossa paixão era melhor que 95% de todos os roteiros e scripts que alguma vez já foram lançados no cinema (assistam "Spring" - além de ser um filme pica d+, é basicamente uma alegoria 1:1 do nosso namoro até então. Ficamos até meio chocados quando assistimos)
Nesse período eu também dei um duplo twist carpado na personalidade - minha auto estima foi de negativo a 100, comecei a me vestir melhor, fiquei mais extrovertido - as pessoas sempre nos chamavam para participar de qualquer coisa - e animado, comecei a expandir meu círculo social; passei no vestibular - extremamente concorrido e difícil da mesma universidade que fui desligado - sem estudar absolutamente nada, estava pronto para arranjar um estágio/emprego na área que sempre sonhei... Evoluí pessoal e profissionalmente nesses 3 meses o que não havia feito em 5 anos.
Começou 2019.
Tudo estava correndo na mais perfeita normalidade... até mais ou menos a metade de janeiro. No período de uma semana, um interruptor mudou nela. Da mesma maneira que a relação esquentou, esfriou... porém sem nenhum motivo óbvio. A mudança foi de nível "trocar 300 mensagens melosas por dia e o caralho a quatro" e contar os segundos até que pudéssemos nos ver novamente pra "tô cansada e ocupada, só posso falar de noite" e ficar indiferente quando finalmente nos encontrávamos.
No último dia do mês ela terminou por telefone. Ela disse que "não estávamos na mesma fase de vida" (ela havia terminado uma relação de 6 anos no começo de 2018) e que se isso continuasse ela iria me tratar ainda pior a cada dia que passasse, como foi com o ex dela. Disse que gostaria de continuar "sendo amigos", mas nem isso acabou por ser recíproco. Provavelmente queria aproveitar a vida e não arrumar outra relação séria tão cedo, enfim.
Antes que alguém pense nisso - não, eu não estava sendo traído nem nada do estilo. Disso eu tenho absoluta certeza pelo que eu conhecia dela. E também não digo que eu não tive culpa de nada - durante o último mês da relação, a falta de reciprocidade estourou a minha ansiedade pra mil e isso mais que certeza contribuiu bastante pro final.
Para a surpresa de ninguém, isso foi como um tiro pra mim. Não esperava um término de fato, ainda mais sem nenhuma explicação. Mas o pior do pior de tudo foi o pós - agora, no caso.
Pense em alguém que esteve a vida inteira caído no chão. Um belo dia, alguém lhe dá a mão e a ajuda a levantar. Assim que a pessoa, por fim, finalmente fica de pé, alguém passa uma rasteira por trás e a pessoa volta a cair no chão.
Como eu falei, antes eu era medíocre, mas era conformado. Hoje eu voltei à mesma mediocridade, mas não consigo mais me contentar após ter visto "o outro lado" da vida. Como era bom ter uma pessoa na vida que realmente se importava com você. Como era ser amado por outra pessoa. O que é intimidade. Como é bom ser valorizado pelo que você é.
Infelizmente, tudo que conquistei acabou por voltar ao modo que era antes. Estou na mesma merda em relação à faculdade (falta de ânimo pra estudar = fazer poucas matérias no semestre = deixar de me enturnar com os outros calouros = suicídio social 2.0), não consegui um estágio, tenho quase 24 anos sem experiência profissional, sem um diploma, sem círculos sociais novos.
Nem tudo foi pro lixo. Ainda mantenho o meu peso (lá pra maio do ano passado comecei a fazer uma dieta que emagreci 25kg em 6 meses - me perguntem sobre jejum intermitente que eu sou profissa nisso!) e me sinto 1% mais confortável no meu corpo, minha relação com o meu pai melhorou e não perdi nenhum amigo que tinha após o termino (tanto porque nosso círculo social era o mesmo).
Porém, eu tenho vontade de acabar com tudo todos os dias.
Diversas pessoas me contaram, na época, que isso ia passar. Eu ainda penso nisso quase todos os dias. Pior ainda pois estou bem desocupado (tenho só 2 aulas por semana).
Venho tentando ser o mais social possível, organizando bares, encontros entre amigos, programas, churrascos... tudo pra ter um pouco de companhia. Mas, eu te pergunto, e aí? Todos meus amigos, por serem mais velhos, tem suas responsabilidades e não estão sempre disponíveis. Sem contar que eu sinto que a cada dia eles estão se enchendo de mim, por eu estar projetando toda essa carência (só conversei sobre meu término de vdd com um dos meus amigos, que além de ser família eu o considero praticamente como um irmão)
Nunca fui fã de acreditar em destino, mas vira e mexe me pego pensando "será que ela era 'a minha alma gêmea' e como eu caguei na oportunidade ficarei solitário pelo resto da minha vida?". Leio milhões de relatos na Internet de pessoas que são solteiras com seus 30, 40, 50 anos e me vejo no lugar delas. Tentei por um tempo dating apps mas foram poucas pessoas que me interessaram, ainda menos que sequer responderam minhas mensagens e nenhuma até agora que sequer deu a mínima bola. Me considero um 6 de aparência, mas sempre me prezei pelo meu humor e capacidade de conversa. Fato é que ninguém me quer.
Com toda certeza também nunca encontrarei alguém como ela na minha vida. Isso não é papo e sim praticamente um fato. Quais as chances de alguém, além de me achar interessante e bonito, dar a iniciativa que está afim de mim, me dar bola, ser bonita, possuir os exatos mesmos gostos e hobbies, mesma personalidade, mesmo senso de humor, maturidade... mesma porra toda? E ainda possível conhecer ela por intermédio de amigos? Absolutamente zero.
E é por isso que não vejo mais sentido nessa vida. Só estou prolongando o meu sofrimento e apatia a cada dia que passa. Estamos já quase na metade do ano em um piscar de olhos e sinto que tô jogando minha vida no lixo. Francamente, meu desejo de viver acabou quatro meses atrás e atualmente eu sou apenas um zumbi vivendo em função do momento. Não há um dia que passe e eu não pense em como seria reconfortante dar um fim nisso tudo.
Se você leu até aqui: meus eternos agradecimentos e desculpas por ser algo tão patético. Desabafar me trouxe um alívio momentâneo, mas atualmente é tudo que eu tenho.
submitted by giulianosse to desabafos [link] [comments]


2019.02.28 03:46 noidea7567 Só um desabafo de um dia mentalmente difícil

Cá estamos nós mais uma vez, querido /desabafos ... Boa noite.
Aviso de texto longo: não sei resumir bem as coisas e sou meio detalhista, prepare-se.
OBS: Dei um backgroud da minha vida, caso deseje ler só sobre o que foi relatado no título, vá para a seção "Sobre o dia de hoje" alguns parágrafos abaixo.
Finalmente depois do fim das aulas e de continuar trabalhando no meu estágio praticamente ininterruptamente durante dezembro e janeiro, consegui um mês de férias. Estando de férias, voltei a conviver mais com a minha família, porque antes eu saia 7h e voltava só 19h e nem via eles direito, porém (como eu temia) isso trouxe alguns problemas.
Eu tinha decidido aproveitar esse mês para dar um "gás" nos exercícios físicos (e ajeitar uma dieta), afinal, durante o período de aula não tenho tanto tempo e ânimo de mantê-los com a devida frequência. Relato esse desejo à eles e recebo um "ata" e sou ignorado (no primeiro dia teve frango com batata doce, ótimo, ai no segundo já vieram com bacon e nos dias subsequentes mantiveram os pratos praticamente inalterados), que desânimo.
Nas últimas semanas, estive dormindo mal, apesar de dormir várias horas, acordava cansado e ficava sonolento durante o dia (parecido com o que acontecia durante o período com as preocupações e etc).
Durante esse meu tempo em casa, inevitavelmente veio o papo de faculdade, só que descobriram que além de eu não formar no tempo planejado, estaria mudando de curso em breve (ficaram pistola comigo). Ai agora já que "não estou fazendo nada nas férias", ficam me pedindo favores como buscá-los e levá-los a todos os lugares a que vão (amo dirigir, mas ficar andando só nos horários de pico e com os passageiros ainda dando pitaco na sua direção e ainda mais jogando na sua cara o quão ruim você é, é um saco).
Bem, comprei dois livros para ler e terminei faz dois dias um curso à distância na minha área, mostrei o certificado para eles e recebi um "muito bom" e pronto (ok, não precisamos ficar massageando nossos egos o tempo todo, mas praticamente tudo que faço não é reconhecido como deveria, darei um exemplo no próximo parágrafo).
Eles conhecem um monte de gente na cidade (inclusive onde estudo) e por conta disso sou espionado o tempo todo. Sabem aonde vou, com quem fui, que horas, onde passei, qual meu horário na faculdade, quais as minhas notas, etc... Daí quando ficam sabendo de algo, vêm tirar satisfação. Período passado passei em somente 2 matérias, porém uma delas era um marco importante do meu curso pois é uma das mais difíceis, simplesmente esqueceram disso e me julgaram por ter repetido nas outras 4 que peguei, que raiva, me tratam como um vagabundo.
Não posso sair de casa para nada a não ser estudar, não posso jogar nem ficar muito tempo no computador, não posso dormir até mais tarde (8h da manhã é o limite). Quando saio digo que vou fazer algum trabalho ou estudar para alguma prova da faculdade (e depois tenho que mostrar o que foi feito), em algumas dessas saídas dei uns "perdidos" e sai com os (poucos) amigos que tenho na faculdade. Não sei porque me tratam com tanta rigidez, nunca dei motivos. Tá certo que nunca fui o aluno 01, mas não repetia de ano também. Na faculdade as coisas mudaram porque fazer uma faculdade saindo direto do ensino médio de uma escola pública (que até era boa, mas eu não soube aproveitar muito bem) e fui logo escolher um curso de exatas (ninguém da minha família inteira formou em exatas ainda, somente um primo meu ano passado mas ficam achando que é fácil e que eu que sou burro ou vagabundo mesmo).
Eu devia estar super animado porque minhas aulas (e estágio) voltam em duas semanas, mas estou um poço de desanimo. Acho que se eu formar vai ser um milagre, porque já tá chegando num nível que tenho que ficar arrastando para fazer as coisas.
Já tentei indagá-los sobre as coisas e o modo que agem e sempre eles têm uma resposta para tudo (ou simplesmente, "porque é assim e pronto"). Quando disse que precisava de um pouco de liberdade, disseram "que enquanto morar em nosso teto, seguirá nossas regras e está muito bom que ainda vai para outros lugares que não sejam a faculdade"(?). Às vezes me tratam super bem e me dão presentes (que eu realmente gosto) para me alegrar e eu fico sem entender nada, porque logo mais chega algum assunto "delicado" e lá vou eu tomar lição de novo. Me pressionam para formar sem motivo porque ninguém aqui passa necessidade de nada, eu poderia estudar tranquilo (não que esteja sobrando, né? Porque sou brasileiro também e não tá fácil), mas faço estágio só para sossegarem um pouco e me deixarem em paz.
Meu estágio é super legal, ambiente de trabalho bom e os funcionários e outros estagiários são gente boa. Fora que tiro uma grana e isso me faz um pouco mais independente.
Sofro de "overthinking" que às vezes me atrapalha a pegar no sono, ou a me concentrar nas atividades do dia-a-dia e de fobia social. Procurar tratamento está fora de questão, não suportariam essa notícia e eu estou me virando bem sozinho.
Uma das minhas paixões é dirigir. Às vezes saio com o carro sem destino só para andar mesmo (já cheguei a sair 2h da manhã para dar volta na BR e uma vez fui numa cidade vizinha só para testar um combustível novo). Quando comprei lâmpadas novas, instalei-as e não resisti em sair com o carro só para ver o resultado (isso era 9h da noite de uma segunda feira).
Sobre o dia de hoje:
Depois dessa rodeada toda, vamos voltar ao dia de hoje. Nos últimos dias eu até estava dormindo bem, porém essa última noite por algum motivo acordei cansado e hoje durante o dia ao invés de ficar sonolento, fiquei estressado e com atitudes meio depressivas (eles até comentaram "nossa, está com crise existencial?"). Só queria ir dormir até o ano que vem e pronto, acabou, me acordem na virada do ano.
Eu saí para um "evento" o qual nem queria ir, mas por incrível que pareça até me animou um pouco e, depois de um dia inteiro de negatividade, eis que ao chegar em casa me dão pizza e pastel (dos meu sabores preferidos). Fiquei mais feliz, espero que esteja bem melhor amanhã.
Não sei porque não consigo controlar meus sentimentos e às vezes me sinto numa gangorra de emoções que vão e voltam, mesmo sem nada de muito diferente ter acontecido na minha vida.
Não sou suicida nem depressivo, mas tem hora que o sentimento bate forte.
TL;DR: Não consigo controlar minhas emoções que às vezes ficam igual montanha russa. Sou hiper controlado pela minha família e minha faculdade não tá indo muito bem, o que eles me relembram todo santo dia. Não durmo bem às vezes, sofro de "overthinking" e de fobia social (não diagnosticada, porque jamais irei num profissional).
Obrigado à todos por lerem, responderei assim que conseguir. Forte abraço em teu coração.
submitted by noidea7567 to desabafos [link] [comments]


2018.12.17 00:45 Yalii [NEED MOSTLY WOMEN OR HADDAD 1st ROUND VOTERS] Searching Brazilian people for a political blog... / Procurando brasileiros para um blog político...

[copy of my topic posted on brasil to try to find more volunteers]
---
In English: (there is a translation in Portuguese lower)
Hi! I'm new on Reddit. My name is Alexis ; I'm French and I don't speak any word of Portuguese so I'll try to talk with you in English. I need your help.
I'm not journalist (I'm 19) but I want to become one. I'm working on a blog project about the political situation in Brazil. My intention is not to make a blog favorable or unfavorable to Bolsonaro, but to follow this future Bolsonaro presidency with diverse points of view and profile of Brazilian people, who could be pro-Bolsonaro, anti-Bolsonaro, indifferent...
Because, for no-Brazilian people, this situation (not only Bolsonaro's election, but all the events since few years) seems at the same time absolutely crazy and fascinating. I don't want to judge whoever, but I desire to understand what is it to be a Brazilian nowaday.
So, I need to find some Brazilian people (or foreigners who live in Brazil) who would be willing to give me regularly their detailed opinions about the future events. Obviously, they will remain anonymous, and if one of my articles displeases to them, I'll remove their contributions immediately. But my intention is to find a balance between pro and anti Bolsonaro, and to have different types of profile (if I've just some young heterosexual middle classes men, it willn't be very interesting).
If you're interested, contact me by DM for more details (and the link of the project). I warn you: for the first articles, I'll ask some questions about your storylife and your family to try to determinate your profile, but I'll not ask you personnal data or too personal questions.
And if someone is willing to sometimes help me by translating some texts in English to Portuguese, it could be very cool to expand my reasearches to Brazilians who can't speak English (or French)...
Thanks in advance!
---
Traduzido por um cara muito legal:
Olá! Meu nome é Alexis. Eu sou novo no Reddit e preciso da sua ajuda. Sou francês e não falo português, então vou tentar falar com vocês em inglês.
Não sou jornalista (tenho 19 anos), mas quero me tornar um. Estou trabalhando em um projeto de blog sobre a situação política no Brasil. Minha intenção não é fazer um blog favorável ou desfavorável sobre o Bolsonaro, mas seguir seu governo sob diversos pontos de vista e segundo os diversos perfis do povo brasileiro, seja pró-Bolsonaro, seja anti-Bolsonaro., ou indiferente. Para os não brasileiros, essa situação (não apenas a eleição de Bolsonaro como também os eventos dos últimos anos) parece, ao mesmo tempo, absolutamente louca e fascinante. No entanto, não quero julgado, desejo apenas entender como é ser brasileiro hoje.
Então, preciso encontrar brasileiros (ou estrangeiros que morem no Brasil) que poderiam me ajudar, dando regularmente suas opiniões sobre os eventos conforme correm. Obviamente, eles permanecerão anônimos e, caso um de meus artigos os desagradem, removerei suas contribuições imediatamente. Mas, minha intenção é encontrar um equilíbrio entre aqueles favoráveis e os contrários ao Bolsonaro e também reunir uma variedade de perfis (se forem apenas homens jovens heterossexuais, não será tão interessante).
Se você estiver interessado, contate-me por DM para mais detalhes (e para o link do projeto). Aviso: para os primeiros artigos, perguntarei sobre sua vida e família para tentar determinar o seu perfil, mas evitarei questões muito pessoais, assim como dados particulares.
Se alguém estiver disposto a me ajudar a traduzir alguns textos do inglês para o português, seria muito útil e expandiria minhas pesquisas para brasileiros que não podem ler inglês ou francês.
Desde já, muito obrigado!
submitted by Yalii to BrasildoB [link] [comments]


2018.12.16 22:07 Yalii (BR/EN) Searching Brazilian people for a political blog... / Procurando brasileiros para um blog político...

[copy of my topic posted on brasil, 'cause I guess it will be easier to find Bolsonaro supporters and right-wing voters here]
---
In English: (there is a translation in Portuguese lower)
Hi! I'm new on Reddit. My name is Alexis ; I'm French and I don't speak any word of Portuguese so I'll try to talk with you in English. I need your help.
I'm not journalist (I'm 19) but I want to become one. I'm working on a blog project about the political situation in Brazil. My intention is not to make a blog favorable or unfavorable to Bolsonaro, but to follow this future Bolsonaro presidency with diverse points of view and profile of Brazilian people, who could be pro-Bolsonaro, anti-Bolsonaro, indifferent...
Because, for no-Brazilian people, this situation (not only Bolsonaro's election, but all the events since few years) seems at the same time absolutely crazy and fascinating. I don't want to judge whoever, but I desire to understand what is it to be a Brazilian nowaday.
So, I need to find some Brazilian people (or foreigners who live in Brazil) who would be willing to give me regularly their detailed opinions about the future events. Obviously, they will remain anonymous, and if one of my articles displeases to them, I'll remove their contributions immediately. But my intention is to find a balance between pro and anti Bolsonaro, and to have different types of profile (if I've just some young heterosexual middle classes men, it willn't be very interesting).
If you're interested, contact me by DM for more details (and the link of the project). I warn you: for the first articles, I'll ask some questions about your storylife and your family to try to determinate your profile, but I'll not ask you personnal data or too personal questions.
And if someone is willing to sometimes help me by translating some texts in English to Portuguese, it could be very cool to expand my reasearches to Brazilians who can't speak English (or French)...
Thanks in advance!
---
Traduzido por um cara muito legal:
Olá! Meu nome é Alexis. Eu sou novo no Reddit e preciso da sua ajuda. Sou francês e não falo português, então vou tentar falar com vocês em inglês.
Não sou jornalista (tenho 19 anos), mas quero me tornar um. Estou trabalhando em um projeto de blog sobre a situação política no Brasil. Minha intenção não é fazer um blog favorável ou desfavorável sobre o Bolsonaro, mas seguir seu governo sob diversos pontos de vista e segundo os diversos perfis do povo brasileiro, seja pró-Bolsonaro, seja anti-Bolsonaro., ou indiferente. Para os não brasileiros, essa situação (não apenas a eleição de Bolsonaro como também os eventos dos últimos anos) parece, ao mesmo tempo, absolutamente louca e fascinante. No entanto, não quero julgado, desejo apenas entender como é ser brasileiro hoje.
Então, preciso encontrar brasileiros (ou estrangeiros que morem no Brasil) que poderiam me ajudar, dando regularmente suas opiniões sobre os eventos conforme correm. Obviamente, eles permanecerão anônimos e, caso um de meus artigos os desagradem, removerei suas contribuições imediatamente. Mas, minha intenção é encontrar um equilíbrio entre aqueles favoráveis e os contrários ao Bolsonaro e também reunir uma variedade de perfis (se forem apenas homens jovens heterossexuais, não será tão interessante).
Se você estiver interessado, contate-me por DM para mais detalhes (e para o link do projeto). Aviso: para os primeiros artigos, perguntarei sobre sua vida e família para tentar determinar o seu perfil, mas evitarei questões muito pessoais, assim como dados particulares.
Se alguém estiver disposto a me ajudar a traduzir alguns textos do inglês para o português, seria muito útil e expandiria minhas pesquisas para brasileiros que não podem ler inglês ou francês.
Desde já, muito obrigado!
submitted by Yalii to brasilivre [link] [comments]


2018.12.15 20:11 Yalii (BR/EN) Searching Brazilian people for a political blog... / Procurando brasileiros para um blog político...

In English: (there is a translation in Portuguese lower)
Hi! I'm new on Reddit. My name is Alexis ; I'm French and I don't speak any word of Portuguese so I'll try to talk with you in English. I need your help.
I'm not journalist (I'm 19) but I want to become one. I'm working on a blog project about the political situation in Brazil. My intention is not to make a blog favorable or unfavorable to Bolsonaro, but to follow this future Bolsonaro presidency with diverse points of view and profile of Brazilian people, who could be pro-Bolsonaro, anti-Bolsonaro, indifferent...
Because, for no-Brazilian people, this situation (not only Bolsonaro's election, but all the events since few years) seems at the same time absolutely crazy and fascinating. I don't want to judge whoever, but I desire to understand what is it to be a Brazilian nowaday.
So, I need to find some Brazilian people (or foreigners who live in Brazil) who would be willing to give me regularly their detailed opinions about the future events. Obviously, they will remain anonymous, and if one of my articles displeases to them, I'll remove their contributions immediately. But my intention is to find a balance between pro and anti Bolsonaro, and to have different types of profile (if I've just some young heterosexual middle classes men, it willn't be very interesting).
If you're interested, contact me by DM for more details (and the link of the project). I warn you: for the first articles, I'll ask some questions about your storylife and your family to try to determinate your profile, but I'll not ask you personnal data or too personal questions.
And if someone is willing to sometimes help me by translating some texts in English to Portuguese, it could be very cool to expand my reasearches to Brazilians who can't speak English (or French)...
Thanks in advance!
---
Traduzido por um cara muito legal:
Olá! Meu nome é Alexis. Eu sou novo no Reddit e preciso da sua ajuda. Sou francês e não falo português, então vou tentar falar com vocês em inglês.
Não sou jornalista (tenho 19 anos), mas quero me tornar um. Estou trabalhando em um projeto de blog sobre a situação política no Brasil. Minha intenção não é fazer um blog favorável ou desfavorável sobre o Bolsonaro, mas seguir seu governo sob diversos pontos de vista e segundo os diversos perfis do povo brasileiro, seja pró-Bolsonaro, seja anti-Bolsonaro., ou indiferente. Para os não brasileiros, essa situação (não apenas a eleição de Bolsonaro como também os eventos dos últimos anos) parece, ao mesmo tempo, absolutamente louca e fascinante. No entanto, não quero julgado, desejo apenas entender como é ser brasileiro hoje.
Então, preciso encontrar brasileiros (ou estrangeiros que morem no Brasil) que poderiam me ajudar, dando regularmente suas opiniões sobre os eventos conforme correm. Obviamente, eles permanecerão anônimos e, caso um de meus artigos os desagradem, removerei suas contribuições imediatamente. Mas, minha intenção é encontrar um equilíbrio entre aqueles favoráveis e os contrários ao Bolsonaro e também reunir uma variedade de perfis (se forem apenas homens jovens heterossexuais, não será tão interessante).
Se você estiver interessado, contate-me por DM para mais detalhes (e para o link do projeto). Aviso: para os primeiros artigos, perguntarei sobre sua vida e família para tentar determinar o seu perfil, mas evitarei questões muito pessoais, assim como dados particulares.
Se alguém estiver disposto a me ajudar a traduzir alguns textos do inglês para o português, seria muito útil e expandiria minhas pesquisas para brasileiros que não podem ler inglês ou francês.
Desde já, muito obrigado!
submitted by Yalii to brasil [link] [comments]


2018.12.11 18:32 GabrielRock18 Red Falls - Web Serie 01

Nota Inicial: Dedico essa história a Antônia Lucena de Moraes, a minha eterna avó e inspiração. Essa história também vai aos meus amigos verdadeiros... Primeiro Capítulo: O Começo Em uma grande cidade, que se localizava nos Estados Unidos, de nome Red Falls, guardava segredos de uma geração passada que levará três grandes amigos na maior aventura de suas vidas. Aventura essa que dava direito a uma procura por tesouros, relíquias poderosas, entre outros. Em uma bar e restaurante chamado Falls, um jovem rapaz, de coração bom, determinado, chamado: Arthur Miriel, foi pra lá, mas não com a intenção de beber, mas sim de encontrar seus amigos, os quais haviam sidos criados desde de pequenos, o nome deles era: Fred Booking, dono do Falls e empresário bem sucedido e Amanda Hallowerd, que era além de bonita e modelo de respeito, tinha também um escritório e era uma historiadora de grande nome e conhecida por todos. - Oi gente. – Falou chegando da universidade, de mochilas nas costa, cansado, mas feliz pois tinha algo bom para contar. – Fred como foi o seu dia por aqui? Muito movimento. – Falou Arthur sentando no balcão e colocando sua mochila vermelha da sorte em baixo, pois as cadeiras eram grandes. - Foi bom, apesar de estamos no meio da semana, o movimento está ótimo. – Falou com sorrindo e bebendo um cole de suco de limão com hortelã, além de ser o seu preferido fazia bem para a saúde. – Então como foi na prova que você foi fazer? – Perguntou curioso olhando para Amanda que estava sentada ao lado de Arthur. - Só tirei um 9,5. – Respondeu com um brilho nos olhos e dando-se crédito. - Parabéns Arthur. – Falou Amanda pegando no braço direito de Arthur. – Logo você estará formado. – Completou orgulhosa do amigo. - Parabéns. – Afirmou Fred sorrindo. - Obrigado pessoal. – Respondeu de Cabeça baixa, pois estava com um pouco de vergonha. – Quando eu terminar a faculdade e tiver dinheiro, vou retribuir tudo o que vocês fazem por mim. – Falou como se estivesse prometendo algo. - Cara deixa de falar besteiras. – Falou Fred olhando para Amanda, que logo em seguida completou a fala do amigo. - Arthur você foi criado conosco desde de criança. – Afirmou, pensou um pouco e completou. – Quando seus pais morreram naquele acidente de carro, apesar de eu e o Fred sermos crianças, prometemos para a sua mãe que tomaríamos conta de você, então você não nos deve nada. – Falou Amanda com voz meiga e suave. - Mas de uma determinada forma, eu tenho que fazer alguma coisa para ajudar vocês, não posso deixar tudo em suas mão. – Afirmou o rapaz de cabeça baixa e olhos cheios de lágrimas. - Já que você quer tanto fazer algo. - Falou Fred pensativo. – Sabe o que pode fazer? Continuar fazendo aquelas suas comida de dar água na boca. – Falou batendo no balcão. – E o Falls precisa de um cozinheiro novo, o Roberto irá sair, segundo ele o mesmo vai voltar para o Brasil. Então o que me diz, você topa? – Perguntou Fred animado olhando para Arthur que abriu um enorme sorriso e respondeu. - Claro, que eu topo. – Afirmou estendendo a mão a Fred que pegou na mão dele animado. - Ótimo. – Falou olhando para sua garçonete de nome: Pativa, que era seu braço direito no Falls. – Pativa! – Gritou. - Sim Fred? – Respondeu a moça se aproximado de onde a turma estava. - Uma rodada de tequila para todos. – Falou com um enorme sorriso. Os três amigos começam a rir. - Fred a que horas o Falls fecha hoje, - Perguntou Amanda depois de beber seu dose de tequila. - Às 23 horas, hoje como é metade da semana eu fecho mais cedo. – Falou olhando para o relógio. - Ok. – Amanda olha para Arthur que estava mexendo no celular. – Então a gente espera fechar e vamos todos juntos para casa, né Arthur? – Falou Amanda olhando para o jovem que rapidamente guarda o celular e responde. - Claro. - Responde alguns segundos depois O tempo passou depressa e quando todos perceberam já era a hora de Fred fechar o Falls, como era de costume, o rapaz fechou o caixa e pediu para Pativa fechar o lugar, em seguida foi para o seu carro, que era uma Land Rover, prata de modelo atual. No caminho de volta para casa a turma conversou sobre tudo, falaram da economia atual, ouviram música era sempre assim quando os três estavam juntos. Fred era o motorista porque sabia como ninguém conduzir um carro, Amanda fica na frente, no banco do passageiro ao lado de Fred e Arthur sempre ficava no banco de trás. O noite estava escura, havia uma pequena nevoa que cobria o lugar a única coisa que brilhava naquilo tudo era as luzes do semáforo e o fraco claro que as luzes públicas faziam, Fred parou em um sinal. - Nossa esse sinal está demorando abrir. – Falou Fred olhando para os lados e vendo as ruas desertas. - Calma. – Falou Amanda colocando a mão no ombro dele. – Aliás só para constar você já passou aqui milhões de vezes, então não há motivo para ficar com rosto parecendo que viu um fantasma. - Amanda tem razão, e como hoje é meio de semana já era de se esperar que o movimento seja pouco. – Falou Arthur olhando em volta. - Vocês tem razão deve ser. – Afirmou o rapaz vendo que o sinal havia ficado verde. Quando Fred ia acelerando um homem, careca, branco, com roupas rascadas se jogou contra o carro, o que chama atenção no mesmo não era suas características, mas sim a grande quantidade de sangue o banha o homem. O rapaz por sua vez que estava dirigindo segui em linha reta com uma velocidade tão elevada que jogou o corpo longe, no entanto havia ficado um papel colado na para-brisas do carro. Chegando em sua casa, que parecia mais uma mansão... - Oh meu deus, o que foi aquilo? – Perguntou Amanda reparando no papel colado. - Está perguntando para a pessoas errada, nunca mais eu irei por aquela rua, acho que nunca mais vou dirigir. – Falou Fred assustado e sem fôlego. - Amanda que cara é essa? – Perguntou Arthur. – Está assustada também? – Completou. - Não. – Responde pegando o papel que estava no para brisas. – Vejam! – Mostra o papel e em voz alta ler o que está escrito. – “Ele está voltando, o grande mal cairá sobre essa cidade e ninguém será capaz de detê-lo. - O que isso quer dizer? – Perguntou Arthur com um frio na barriga, como se algo ruim fosse acontecer. - Não faço a menor ideia. - Então façamos o seguinte: Fred terá mais cuidado amanhã, você leva o bilhete para o seu escritório e eu vou para a minha escola. – Afirmou Arthur com voz de um verdadeiro líder, quando ia saindo o mesmo reparou em uma imagem apagada. – Vejam tinha uma imagem apagada no verso, Amanda veja se consegui restara-lo. Todos foram para os seus quartos, ficaram inquietos, e mau conseguiram dormir. Na faculdade de Arthur no dia seguinte. - Senhor Miriel? – Falou Neves professor de história regional. - Sim? – Respondeu se aproximando, pois já havia tocado e o mesmo estava indo para o Falls. - Você poderia me dizer onde viu esse símbolo, que o senhor desenhou na prova? – Falou o professor mostrando um símbolo que era: uma espécie de triangulo, com um círculo em volta e continha um desenho pequeno de algumas aramas. - Para lhe ser sincero, eu não fazia ideia de que tinha desenhado isso. – Respondeu confuso. - Que estranho. – Falou mexendo nos óculos. – Para lhe deixar informado, esse símbolo em questão representa os três guerreiros que salvam Boca do Ouro, antes de se torna Red Falls no passado, cada arma representa um deles e por incrível que possa parecer você as desenhou bem consigo velas claramente. – Parou com sua fala, tomou um copo de café e em seguida concluiu. – Esse é o Martelo do Leão que faz referência ao espirito da terra, por isso está no topo, essas são as Adagas do Tubarão, que fazem referência ao espirito da água, por isso ele fica no lado esquerdo e por vim essa é a Espada da Águia, faz referência ao ar e pega o seu lugar no lado direito. – Falou apontando para cada arma. – Diz a lenda que quando essas aramas se juntam, nada ou ninguém pode detê-las, nem mesmo a arma mais sofisticada do homem. Arthur pega a prova e sai correndo, vai direto para o Falls contar a Fred o que havia acontecido. - Que cara é essa? – Perguntou Fred ao ver Arthur chegar com rosto branco como se algo ruim tivesse acontecido. - Olha aqui! – Mostrou a prova a Fred. - Tá. – Falou Fred Rindo. – Arthur isso é um dez, você sempre tira nota boa, pra que o espanto? - Não é a nota, é o símbolo. – Falou apontando. - É um símbolo? Achei que era um rabisco muito mal feito. – Falou dando risada. – O que significa? - O senhor Neves falou que representa a fundação de Red Falls. – Falou olhando para a prova. Amanda chega. - Por que você desenhou esse símbolo? – Perguntou Amanda olhando para a prova de Arthur. - Eu não sei. – Falou Confuso. - Amanda o que esse desenho significa? – Perguntou Fred. - Representa a passagem de Boca do Ouro para Red Falls e com esse desenho, me faz crer que o aviso de ontem tem ligação. – Afirma Amanda preocupada. - Se tiverem relação, o que pode acontecer. – Perguntou Fred. - Boa coisa que não é. Olha meu professor falou que três pessoas, com três armas derrotaram um grande mal no passado daí a cidade foi construída. – Falou Arthur. - Então quer dizer que se o aviso de ontem e a Coincidência de Arthur estivem ligados, isso irá significar que algo de ruim vai acontecer? – Afirmou Fred. - Pior do que isso, Red Falls e o mundo correm perigo. – Completou Arthur. Nota Final: Se Você gostou do primeiro capítulo, deixe seu comentário a baixo e compartilhe com todos os seus amigos e não esqueça, próxima semana tem mais um capítulo inédito, feito especialmente para você meu leitor querido. Milhões de Beijos e até a próxima semana. Observação: Capítulo Escrito por Luiz Gabriel Lucena 

submitted by GabrielRock18 to u/GabrielRock18 [link] [comments]


2018.11.20 08:39 cant_change_name Duas dicas importantes para vida.

A primeira dica é: não divida apartamento com amigos. Pelo menos não sem ter o devido respaldo legal e todas as formas possíveis de se resguardar, além de atuar de forma preventiva, seja com contratos, documentação, pagamentos, etc.

Segunda dica é: não arrange briga com a galera do cinema, eles são ótimos em construir narrativas.

Prejuízo total: - R$3,6K, um emprego e alguns kg a mais.

No final de 2017 terminei um relacionamento de 7 anos, por nenhum motivo específico se não que pelo desgaste natural da relação. Vivíamos juntos de aluguel, em um apartamento com 2 quartos com dependência de empregada, com um aluguel justo ou até um pouco a baixo da média da região. No término, ela fez questão de resolver tudo o mais rápido possível, o que incluía se mudar e retirar o nome dela do contrato de locação (estava em nome dos 2) e também retirar a avó dela como fiadora. Justo! Por coincidência estava justo no período de renovação do contrato, então não haveria problemas com multa e transferência. Transferência essa que aconteceu de forma super tranquila, assinamos os papéis, a imobiliária aceitou meus documentos de renda e a nova forma de aluguel (agora com seguro fiança). Isso fez com que fosse gerado um novo contrato (30 meses, sendo a partir de 12 meses saída sem multa). Apesar da separação, eu estava bem. Quis ficar no mesmo apartamento mesmo com as memórias que ele trazia, tirando os vizinhos de cima que faziam lual no domingo estava tudo show.

Agora que começa o fim.

Tive a brilhante ideia de trazer amigos para morar comigo. Minha intenção desde o começo era ter uma espécie de casa-empresa. Meio que como morar no trabalho. Esses amigo sendo do audiovisual e eu do design, praticamente uma agência estava para ser criada, na minha cabeça.

Primeiro veio um, um mês pra frente veio o outro. Nisso entram vários pormenores que posso esquecer de comentar, mas que no fim acabam pesando lá pra frente de uma forma ou de outra, nem que seja para ajudar na perspectiva das partes. Por exemplo: todos os móveis eram meus. O primeiro a se mudar, que vamos chamar de "Olevon" tinha hábitos de higiene questionáveis. Pra história geral é menos importante entrar em detalhes sobre a higiene, mas digamos que as panelas ficavam inutilizáveis. O segundo tinha hábitos de higiene normais e por várias vezes encobria o amigo, literalmente salvando a loça de ir para o lixo (por vezes eu também lavava). Tudo isso era janeiro/fevereiro de 2018. Brasil, início de ano, carnaval... Tínhamos alguns projetos mas nada andava, falávamos sobre mas não fazíamos de fato. Estávamos prospectando um cliente na época e tivemos algumas reuniões sobre o assunto. A parte disso, eu havia indicado esse amigo de infância, que vamos chamar de "Dimonho" para um freela no meu trabalho. Confesso que a vaga era um pouco arrombada, porém eu sabia que a empresa não estava contente com o fornecedor atual e qualquer um que chegasse apresentando um bom trabalho levava. Em suma, esse projeto levou um mês para ser entregue após a captação de imagens (era para montar um time-lapse de uma exposição), o que me deixou um pouco desconfortável no serviço. Ok, acontece.

Como eu dizia, a princípio era tudo bom, tudo novidade, víamos alguns filmes, conversávamos sobre algum assunto do momento, fazíamos uma janta e tudo certo. Porém os 2 tinham uma vida social ativa dentro da faculdade e frequentemente faziam reuniões em casa com os amigos. Não havia problemas, até que havia problemas. Quando nenhum dos 2 trabalhavam, passavam em casa, não arrumavam nada, eu chegava em casa do trabalho e tinha visita além da casa bagunçada, começava a ter problema. Ainda mais quando todo dia tinha visita. Houve diálogo e a parte da bagunça foi amenizada, porém as visitas foram evoluindo para reuniões noturnas, até virarem praticamente festas.

Eu tinha horário normal de trabalho, acordava cedo, voltava no fim do dia, precisava descansar. Infelizmente qualquer som na casa tornava inviável o descanso, já que o corredor fazia a ligação direta da sala para o quarto. Com o tempo foram fazendo cada vez menos questão de reduzir o ruído.

Várias situações complicadas no meio disso, como a vizinha reclamando do cheiro de "ilícitos", como ela chamou, afetando suas duas crianças pequenas. Ou o dia que Olevon chegou em casa as 4 horas da manhã, com visitas e resolveu que era um ótimo momento para um karaokê a plenos pulmões.

Nesse momento, eu, otário, além de cuidar e pagar as finanças da casa adiantado (eles me repassavam depois), também era o único responsável no grupo do zap do condomínio, onde nesse dia ninguém ficou contente com o ocorrido.

Olevon sabia da cagada que havia feito, ficou uns dias de cabeça baixa e pediu desculpas. Dada as condições de desemprego, baderna, ilícitos e nenhum projeto andando de fato, ficou claro pra mim que era momento de desistir, aquilo não iria se tornar produtivo. Alertei que começaria a buscar apartamento. Não com o tom de ameaça, pelo contrário, nessa parte entra um grande erro meu...

Pra mim de certa forma era importante que os caras tivessem a liberdade deles, em parte eu gostava de imaginar que estavam fazendo cagada justamente por estar nesse vislumbre de vida adulta "independente". Eu havia convidado eles para ir lá, então não achava correto expulsá-los de volta a casa dos pais (devia ter feito), inclusive o Dimonho me sugeriu fazer isso, na boa, porém dei essa mesma explicação que dou aos senhores.

Separar e ficar na mesma casa era ok, mas além disso ter tentado morar com amigos e não dado certo já me parecia demais.

Combinamos então que eles transferiram o AP e as contas para o nome deles, já que queriam ficar. Também tinha um amigo em comum nosso que recém havia perdido o pai e procurava um lugar para morar, além que seria bom para esse amigo não ficar sozinho. Esse amigo estava disposto a "botar ordem no galinheiro", coisa que eu não estava. Me falavam para reclamar quando faziam algo errado, mas quando eu reclamava mesmo que concordassem no momento, não era seguido.

Dado esse aviso prévio de mudança, sai de lá em abril. Deixando apartamento, conta de luz e telefone no meu nome, teoricamente para ser transferido em seguida.

Você já viu onde isso irá parar né?

Antes da minha mudança, o Dimonho, meu amigo desde a 4° série aproximadamente (hoje com quase 29 anos) resolveu dar uma festinha plus, onde chamou mais gente, ouviu som mais alto e ficou até mais tarde, impedindo meu sono (era um dia de semana). Nesse momento o clima já não era mais o mesmo, quando questionado sobre, Dimonho disse que havia feito para me prejudicar mesmo, que estava sentido pois eu havia convidado ele para morar junto e agora estava indo embora. Ah, lembra dos móveis? Não houve nenhum prejuízo particular nessa última festa, porém com o fumo era constante, o sofá ficou um pouco esburacado. Acho que tudo bem, acontece né? Fui otário em tantos outros aspectos que nem tenho pq encasquetar com isso.

Vale ressaltar que eu havia começado um novo relacionamento e aproveitaria essa mudança para também, pq não, morar com essa pessoa.
Fica óbvio para qualquer pessoa que as contas e contratos devem ser transferidos, já que não moro mais lá, certo? Eu sabia que haveria uma multa em caso de rescisão do contrato, eu estava disposto a arcar com ela se eles preferissem sair do AP pq eu iria sair. Como eles decidiram ficar, deveriam transferir o contrato.

Bom, nessa de pagar adiantado as contas, ficaram algumas pendências, além das transferências de nome.

Nessa parte entraria toda uma questão aqui de datas, contatos, provas... mas para não ser mais pedante, o óbvio aconteceu: apesar das minhas constantes cobranças ao longo de meses, nenhuma conta foi transferida ou paga.

Por um pouco de sorte, esse 3° amigo que se mudara ficando no meu lugar, era mais responsável e por muitas vezes intermediava a comunicação, lembrava eles dos valores, comentava sobre transferir as contas, etc.

Depois de alguns meses eu consegui reaver os valore das contas pendentes, porém não tive progresso com as transferências.

Meu novo AP teve muitos problemas, a mudança as pressas me cegou um pouco para a escolha, e somando isso a ter que cobrar os colegas para transferir as coisas, fui aos poucos quebrando. Já não rendia mais no trabalho, não dormia de noite, passei boa parte desse período com azia, por sorte acho que não desenvolvi nenhuma úlcera.

Com a não transferência das contas, o que eu podia notar era um acúmulo de pendências. Telefone 3 meses atrasados, aluguel 2 meses acumulado, luz por sorte logo o 3° elemento logo conseguiu passar para o nome dele.

Eu tinha minhas contas mais a dos meus "filhos", no papel, também eram minhas contas.

Nesse desespero de contas acumulando no meu nome, sabendo que isso poderia apenas piorar progressivamente, fui falar com o pai do Dimonho, que conheço basicamente também desde a infância, frequentei a casa, etc.

O pai é uma pessoa muito correta, advogado, de origem humilde que trabalhou seu caminho para o sucesso na vida. Em uma conversa amigável, explico a minha situação, e apesar de ele um pouco relutante com os aspectos negativos do filho, me diz que poderia ficar tranquilo, que aquilo seria uma responsabilidade dele e que eu não deveria mais me preocupar.

Um pouco de respiro.

Dada a forma com que os ex-colegas de casa reagiam as cobranças das transferências, eu suspeitava fortemente que esse contato com o pai do Dimonho acarretaria em represálias, já que os 2 por vários períodos de suas vidas tiveram uma relação conturbada. Como após inúmeras cobranças nenhuma atitude havia sido tomada, com a tranquilização e tomada de responsabilidade pela parte do pai, bloqueei o zap tanto do Olevon quanto do Dimonho. Eu sabia que ouviria alguns desaforos de graça e ainda teria as contas pendentes.

Dito e feito.

Momentos mais tarde, por meio do 3° morador e intermediador me ligam. Quando endagado sobre diálogo eu me exalto, digo que não havia necessidade de diálogo (já que eu vinha tentando a meses), que havia todas essas contas pendurada mais a dívida do 3° elemento e que se soubesse a novella que estava por vir, teria apenas pago a multa e entregado as chaves e que eles precisavam ou transferir de uma vez, ou sair. Naquele momento considerando que podiam acumular mais meses e meses de aluguel, eles apenas desaparecerem o quanto antes poderia ser uma perspectiva melhor do que parecia estar por vir. Eles questionam se eu estava tentando dar algum tipo de golpe no pai do Dimonho (as narrativas!) e logo em seguida me xingam de várias coisas, dentre elas de não ser homem pra conversar sobre.

Pensei que não seria otário, fui otário.
Pq sim, eu havia sido mais otário ainda!

Outra coisa que fiz no desespero das contas acumulando foi tentar tirar o nome do 3° elemento do SPC para assim ele poder transferir tudo para o nome dele já que os outros jamais o tinham feito. Porém não rolou, nem transferir nem receber esse dinheiro de volta, R$1.8K (mas esse eu ainda tenho fé).

Eu havia me mudado em abril e essa comunicação se deu por meados de setembro.

Sou informado praticamente um mês e meio depois que vão se mudar e o AP será entregue. Agora começam as preocupações com contas pendentes, reforma para entrega e multa contratual.

Minha mãe se envolve para agilizar o processo, que já angústiada ela também a algum tempo. Nos reunimos novamente com o pai onde ele reforça os votos de que irá cumprir com o que for justo e a parte do filho dele.

Se mudaram. Começo eu juntamente com o 3° elemento o processo de reforma e entrega do AP. Orçamento, contratação, pagamento, agendamento, vistoria. Tudo comigo, que não morava la desde abril.

Ao mesmo tempo que faço isso, presto contas com comprovantes para o pai de Dimonho. Como já inventaram que eu estaria planejando um golpe, melhor não arriscar.

Entregue o AP, hora de pagar os 2 aluguéis atrasados e a multa de rescisão.

Surge uma proposta de acerto de contas / lavação de roupa suja, meio que como uma premissa de esclarecer que contas estavam pendentes e quais eram as responsabilidades de cada um. Eu enviava os documentos da imobiliária, dividia os valores de acordo com as % definidas por eles, separava quanto que era a parte de casa um de acordo com o boleto que havia enviado para eles, mas de alguma forma para eles aquilo estava "nebuloso".

Fizemos a reunião, e no final concordamos que eles pagariam sua parte proporcional ao tempo de estadia da reforma, juntamente com os aluguéis pendentes inclusive os dias extras da reforma. Não concordamos quanto a multa, já que ela existia apenas pq eles se precipitaram em sair ao invés de transferir. Porém me dispus a pagar mesmo não concordando, já que não aguentava mais essa história.

Porém nessa reunião que foram criadas e reforçadas várias narrativas, que infelizmente não tenho como provar todas como negativas, no máximo tenho prints contrários ao que foi comentado.

Uma delas seria que eu havia me mudado pois havia arranjado uma nova namorada e queria morar com ela.
- Apesar de ter aproveitado a ocasião para isso, nunca foi o motivo principal da minha saída, já que as festas/reuniões só se intensificam. Inclusive anunciei minha busca por APs logo após o episódio do karaokê.
Outra das narrativas seria que eu havia bloqueado a comunicação e portanto impossibilitaria qualquer forma de pagamento, transferência ou conhecimento sobre o prazo do contrato e multa.
- De fato eu havia bloqueado a comunicação, do zap. Eles ainda tinham meu endereço, telefone, e-mail, contato da imobiliária para tirar dúvida, contato do 3° elemento que não havia sido bloqueado. Entendo que cada um deve saber suas responsabilidades. Não era através de mim que as contas eram pagas, apesar de estarem no meu nome.
Na ligação telefônica após falar com o pai, também surgiu a narrativa que eles estariam lá de favor para ficar até o fim do contrato, assim me isentando da multa.
- Quantos favores desse tipo vocês já fizeram sem pedir ou conhecem alguém que fez sem ser solicitado? Eu disse de forma clara em um aniversário de amigos nossos que pagaria a multa naquele momento se eles quisessem entregar (antes d'eu sair), mas que se quisessem ficar teriam que transferir os docs. Nunca houve uma conversa do tipo "fiquem pq eu não posso pagar a multa agora".
Como eu cito a situação acima na ligação telefônica, eles agora entendem que "ah ele paga a multa então, podemos sair!".
- Ainda ficam aproximadamente um mês e meio procurando um novo lugar, mas sairam pq se sentiram expulsos de lá e livres da multa. Eu estava cobrando uma posição desde fevereiro sobre os documentos, e eles só se sentiram impelidos a sair quando eu literalmente falo "ou vão transferir ou sair" pq tinha meses de aluguel acumulando no meu nome?
A multa de quebra contratual seria um resíduo da minha separação e não uma responsabilidade deles.
- Juridicamente, sim. Porém não haveria multa se: tivessem transferido ou tivessem esperado o contrato vencer, se mudaram coisas de 3 meses antes do fim, eles mesmo concordaram que se soubesse não teriam se mudado. Sabe como poderiam saber? Ligando para a imobiliária, ligando pra mim, perguntando pro 3° elemento.
Depois da reunião, os últimos boletos estavam por vencer e combinamos de pagar as contas nas semanas seguintes. Fiquei cobrando e atualizando sobre as informações, além de prestando conta dos valores no grupo de zap. Aconteceu o que acontecia antes, lá por abril, março... Dias sem resposta, respostas vagas, um "amanhã" que não chega e contestações dos valores. Esperado.

O Dimonho por sorte pagou sua parte completa, apesar do atraso. O 3° elemento pagou uma parte sua e cobriu um pedaço do Olevon. Desde a reunião, Olevon mandou mensagem no grupo algumas vezes dizendo que estava atrás do dinheiro para quitar a divida.

Hoje, último dia do último boleto atrasado, Olevou decidiu que não se sente responsável pelas contas, que havia conversado com a sua mãe, que isso era uma dívida do meu divórcio e que eu não estava sendo responsável com os meus problemas, com quase 30 anos na cara.

Olevon, que na reunião havia reforçado inúmeras vezes que tomaria a mesma providência que Dimonho, que havia ficado meses sem transferir uma conta de luz que havia se responsabilizado, que havia ficado meses devendo valores para o 3° elemento (que também adiantava as contas, mas pior, nem recebia deles). Olevon que agrediu físicamente o 3° elemento ao ser cobrado das contas dele que o 3° havia pago. Olevon que vinha desde a reunião dizendo que estava fazendo de tudo para arcar com a sua parte, subitamente sentia que não tinha mais responsabilidade sobre o aluguel atrasado de quanto ele estava morando lá. Olevon disse que eu deveria ter vergonha na cara e autocrítica de estar importunando a família dele sobre esse caso (eu de fato envolvi a família de todos depois de exaurir as tentativas de resolver, ele foi a única que ele fez questão de deixar incomunicável).

Como eu havia dito, existem vários pormenores sobre cada elemento que podem alterar a visão para um lado ou para outro, porém esse é o resumo dos fatos, alguns com provas outros não.

Fico eu com uma dívida para ser paga hoje, de "amigos" que abusaram de toda minha boa vontade, auxiliados por suas famílias (nenhum dos 2 trabalha), incapazes de tomar as rédeas das próprias vidas, distorcendo a narrativa sempre se colocando como vítimas minhas. De acordo com Ovelon, estou deixando ele ofendido e magoado.

Enquanto eu tenho um prejuízo de aproximadamente R$4k, uma demissão e um nervoso constante (5h30 da manhã escrevendo isso).

TLDR: amigo+conhecido moram junto um tempo, infernizam e depois dão um calote com pitadas de fake news.

Perdoem a Bíblia, para algum lugar tinha que ir esse desabafo.

Eai a semana de vocês parecia que tinha começado ruim?
submitted by cant_change_name to desabafos [link] [comments]


2018.08.15 23:03 celtiberian666 Compra de ações para longo prazo, um teste simples

Você quer mesmo ficar rico com ações no longo prazo? Você acha que tem o foco correto?
Esse é um exercício rápido para testar. Responda de forma honesta consigo mesmo. Primeiro leia e responda, depois olhe a imagem.
Escolham uma das empresas abaixo pra ficar 25 anos sem vender. Não serão as únicas da sua carteira, é apenas um exercício mental, escolha uma. Compra no início do período e guarda por 25 anos. Ambas empresas sem dívida e vão reinvestir todo o lucro (payout 0%), ambas no mesmo país. O reinvestimento do lucro será bem sucedido. Os únicos dados para escolher são os abaixo:
EMPRESA A - Miquinhos Inc
Ta cara? Olha essa:
EMPRESA B - Sardine's S/A
PENSE RÁPIDO, e responda para si mesmo. Compra A ou B?
A primeira vista a resposta parece óbvia. Será que é?
Empresa B baratinha e garantia que vai dobrar, compra e passa no caixa ganhar 2x, parece bom demais. Empresa A no topo, vai cair valuation, e aí? Ta fácil escolher, não acham? Será??????
Agora olhem na imagem o que acontece nesses 25 anos.
Retornos das duas empresas em 25 anos
Não há nada de extraordinário no quadro, ocorre só o que já foi dito que ia ocorrer: algumas mudanças nos múltiplos e reinvestimento de todo o lucro.
E no final qual foi melhor? A empresa A entregou mais de 100x o capital em 25 anos, isso é 13 vezes mais retorno no LP que a empresa B. Premissa de cálculo é compra ao final do ano 1.
A empresa A é uma empresa de alta qualidade, alto ROE e ROIC acarretando um alto crescimento. Mesmo partindo da mesma base de lucros e base menor de patrimônio, termina com muito mais que a empresa B pelo efeito exponencial do alto retorno sobre capital. Ela é a a empresa ideal conforme definido por Buffet (letter de 92): capaz de reinvestir quantidades crescentes de capital com altos retornos. Mesmo caindo os múltiplos pela METADE ela entregou mais de 100x seu capital. Mesmo "comprando caro" você chegou lá. 30 mil nela virou 3 milhões. Ela é o que os americanos chamam de 100-bagger.
A empresa B mesmo dobrando o valuation e mantendo lucros consistentes, teve um resultado muito menor, pois obtém menos retorno sobre o capital do acionista.
Quem respondeu a B tem foco em preço e não em VALOR, ficou obcecado com múltiplos baixos e a certeza que vai DOBRAR, e buscaram isso igual mariposa busca a luz. Perderam a chance de ficarem ricos.
Se você respondeu a empresa B, você não quer ficar rico.
E não venham reclamar que eu não falei o ROE no começo do exercício, ele ta lá na cara de você: P/VPA dividido por P/L dá ROE, é só saber fazer divisão de frações (vira L/VPA = ROE).
Quem respondeu a empresa B, não precisa ficar desesperado. Eu escolheria a B a 4 anos atrás. Warren Buffet escolheria a B em seu começo. Ben Graham provavelmente escolheria a B. É normal. Mas em algum momento você precisa passar no "portal de luz", ser menos quant e mais quali: focar mais em QUALIDADE e menos em PREÇO.
Quem não conseguiu nem responder por não saber direito o que é P/L ou P/VPA, ou quem pensou em comprar as duas pois ambas tem lucros crescentes, parabéns, você tem muito mais chance que os praticantes do "manadation" (a tentativa do amador fazer valuation olhando múltiplos isolados).
Importante lembrar que para um alto retorno sobre capital não ser atacado uma empresa como a A precisa de uma vantagem competitiva durável, ou seja, um largo fosso econômico que sirva de barreira contra ataques que possam erodir seus retornos.
Outra conclusão interessante: apesar da empresa B provavelmente ter destruído valor (dependendo da taxa de juros), ela não destruiu patrimônio, entregou 7,8x no LP. Então enquanto a empresa for lucrativa ela vai tender a aumentar seu patrimônio com o fator tempo + lucros, mesmo que não seja uma 10-bagger ou 100-bagger. Lucro aumenta o patrimônio do acionista, prejuízo diminui.
Mais uma conclusão importante: MESMO QUE VOCÊ ACERTE O VALUATION dentro de um trade de valor clássico no estilo value investing, seu trade de valor não vai servir para nada e vai perder do buy and hold se não tiver um CATALISADOR que libere valor, que force o movimento dos múltiplos para patamares maiores. Não adianta ficar 20 anos esperando. Sem catalisador você perde. E o que mais tem é empresa de múltiplo baixo sem qualquer catalisador no horizonte.
Ainda mais uma conclusão: quem reclamar que a empresa A não paga dividendos merece tomar uma surra de gato morto na cabeça.
AVISO AOS BURROS: é claro que 100-baggers são raras, mas elas existem, esses retornos acontecem, e o fundamento é esse: capacidade de investir grandes e crescentes quantidades de capital com grandes retornos.
AVISO AOS BURROS II: é claro que tem várias observações técnicas possíveis nesses casos (ROIC é melhor que ROE se a empresa tem dívida, etc etc etc), e pode ter algum detalhe de arredondamento na tabela, é só um EXEMPLO DIDÁTICO, um FRAMEWORK, um MODELO MENTAL simplificado para entenderem o CONCEITO. Mas quem procurar pode encontrar vários pares de exemplo semelhantes em empresas das bolsas daqui e de fora, as vezes até no mesmo setor, façam esse exercício.
EDIT: conforme alertado por outro coleta, para bater o cálculo de ROE = (P/L) / (P/VPA) tem que usar o mesmo patrimônio no ROE e no VPA, no caso na tabela o ROE usa patrimônio final e o P/VPA inicial, nos usos futuros da tabela irei alterar para ficar tudo inicial ou tudo final de forma a facilitar entendimento e evitar confusões.
submitted by celtiberian666 to investimentos [link] [comments]


2018.07.25 22:10 quediaescroto O mundo dos concursos públicos é de um baita obscurantismo. Alguém tem dicas de como entrar de cabeça nisso?

Já há alguns anos tenho o sonho de entrar para a Polícia Civil do meu estado. Meu maior impeditivo era a forma física, já que eu era bem acima do peso e fora de forma. Mas, de depois anos para cá, sequei e me preparei bem fisicamente e hoje já faria praticamente qualquer TAF com facilidade. Aí começa a segunda fase: estudar para o concurso. E caralho, como é confuso esse mundo de concurseiro.
Há pouquíssimos lugares com informações de qualidade e confiáveis sobre cursos presenciais, algumas apostilas são terrivelmente mal feitas, alguns cursos cobram caro por um material bem mediano. Sou do Rio de Janeiro e, por aqui, tudo parece muito bagunçado.
Há cursos bem recomendados com carga horária semelhante variando de R$ 600 a R$ 2500, o que é uma flutuação bem considerável. Alguns cursos online vendem bons pacotes, mas aí você compra e recebe a notícia (porque não leu o aviso no cantinho da compra) de que o curso só vai ser disponibilizado nas próximas semanas ou meses, já que as aulas ainda estão sendo gravadas. Ou você adquire o curso e já sente de cara que é de baixa qualidade, com uma pessoa simplesmente lendo a lei e fazendo uns comentários bem genéricos.
Fica minha pergunta aqui para quem passou em concursos relativamente disputados: como vocês fizeram? Estudaram sozinhos? Fizeram cursinhos? Já escutei até histórias de pessoas que decidiram estudar diretamente pela legislação - sem recorrer a apostilas ou cursos - e se deram muito bem.
Para facilitar, vou deixar aqui minha lista de principais dúvidas :)
EDIT: só para explicar melhor o que quis dizer com obscurantismo: antes eu achava muita informação em fóruns como Concurseiros e em comunidades do Orkut. Mas hoje, no Facebook, muitos dos grupos são dominados por cursos e professores particulares e são praticamente inúteis. Já estou há algumas semanas levantar mais informações em grupos de alunos, como se fazia antigamente, mas não consigo nada.
Quando pensei em fazer concurso para o Banco do Brasil, lá em 2010, achei muita informação, funcionários recém-contratados dando dicas de curso e tudo mais. Hoje tudo parece mais escondido.
submitted by quediaescroto to brasil [link] [comments]


2018.02.04 20:07 GrifoCaolho A Grande Lista de Materiais Gratuitos

A Grande Lista de Materiais Gratuitos

Galera, como eu sei que RPG pode ser um assunto complicado na hora de botar a mão no bolso - minha coleção é restrita a um único sistema por isso - ou ainda importar, eu fui construindo uma pequena coleção de materiais disponíveis gratuitamente ao longo do tempo. Eu vou tentar fazer o melhor pra categorizar tudo por aqui, e vou aceitando sugestões e editando o comentário original para botá-las por aqui. Além disso, estou me atendo a RPGs que conheço ou já joguei, evitando recomendar coisas que eu não faço idéia da procedência.
Sem mais delongas, vamos ao começo de nossa lista.
SISTEMAS E INTRODUÇÕES
Embora seja possível jogar RPG apenas com uma rodinha de amigos (ou até sozinho) e sem acessório algum, existem sistemas muitas vezes idealizados e testados para atender as mais diversas necessidades dos mestres e jogadores. Aqui, vamos trazer os sistemas gratuitos (e algumas edições gratuitas de sistemas pagos) que podem acelerar sua partida no universo dos RPGs.
GURPS Lite - Trazendo a sardinha pro meu lado, GURPS é um sistema com a proposta de ser genérico e universal, com as mesmas regras para diferentes cenários e modularidade entre diversos materiais. O Lite é um manual curto (34 páginas) disponibilizado pela própria editora, já em português. Vale a pena dar uma olhada e ele usa apenas D6 (os famosos dados comuns que todo mundo tem em casa).
Open D6 - Todos os livros básicos do OPEN D6 são gratuitos (e alguns do extras, como o de magia, também). O sistema é bem genérico, com três versões principais (Medieval Fantástico, Moderno e Ficção Científica), simples de usar e, novamente, usa apenas dados comuns (os de seis faces). Infelizmente, eu nunca achei tradução disso, mas um inglês básico já ajuda bastante. Esse mesmo sistema é a base de um dos mais famosos e bem sucedidos RPGs de Star Wars, então "pode confiar que é raça forte".
Icons - Aqui já saindo da categoria "coisas que joguei" e entrando em "coisas que vejo a galera jogar", o ICONS é um sistema que promete entregar aventuras de super-heróis - um gênero razoavelmente forte nos RPGs (o GURPS, meu RPG de coração, tem o Supers, e existe o Mutantes & Malfeitores, sistema especificamente criado para isso). Mais uma vez, o sistema usa apenas D6, então é ótimo para se usar no conforto do lar sem desembolsar uma grana em dados chiques.
Gumshoe - Investigativo, bom para quem curte filmes de detetive (não filmes de espião; nesse caso, ver o OPEN D6 Adventura ou o GURPS mais acima). Mais um sistema que usa apenas o D6. Uma coisa bem interessante sobre o GUMSHOE e a parte das investigações é que você consegue pegar a idéia geral do sistema e levar para outros jogos, fazendo a coisa fluir com mais diversão; é uma má prática fazer os jogadores se sentirem frustrados ao não resolver um mistério que seus personagens deveriam conseguir resolver, e o GUMSHOE lida bem com isso!
FATE Core - O FATE é um dos sistemas que eu mais vejo gente babando ovo atualmente (especialmente no /rpg; nem tudo é D&D na vida!). Eu nunca usei, e conheço poucos jogadores no Brasil, mas sempre escuto coisas positivas sobre a agilidade, versatilidade e facilidade de uso - então, creio que valha mais do que a pena dar uma olhada. Aviso aos navegantes: ele é "pay what you want", então rola pensar um pouquinho ou testar o sistema pra decidir quanto vai pagar! Além disso, o silverfuji trouxe também que existe uma versão traduzida oficial, só que paga; o preço é razoavelmente bom e fica a dica para quem tiver interesse!
RISUS - Esse é outro que entra na categoria "nunca vi um jogador, mas sei que a galera fala muito bem de diversos aspectos do jogo". Eu recomendo por ser inteiramente gratuito e pela promessa de ser genérico, flexível e sem demora; ainda assim, não é algo que tenho tanta propriedade para falar quanto os primeiros da lista.
Dungeons & Dragons - "Mas GrifoCaolho, esse é um RPG caro e clássico do caramba! Como assim?" - veja bem, não é porque eu não gosto que é ruim e é pago. As regras da quinta edição e manual para jogos rápidos são disponíveis gratuitamente como uma introdução ao sistema, sendo bem importante para você se decidir logo se o D20 (dado de 20 faces) é a sua praia. Não é a minha, particularmente, mas a imagem dos RPGs no mundo é a do icosaedro, e a fama do D&D não surgiu à toa! Além disso, existe material legal e gratuito em português, para satisfazer as necessidades de todo mundo que está com a mão coçando para rolar um D20, junto com as regras básicas de jogador para download (ATENÇÃO: É UM ARQUIVO ZIPADO). Dica especial sobre o material em português vindo do CallsignRogueOne.
Grin - Não seria um tópico meu sem a tentativa de enfiar algo alternativo. Como Castelo Falkenstein não é gratuito, eu vou recomendar Grin, que é um RPG de Terror que usa cartas de baralho para lidar com as situações. Mantém tudo sempre tenso, como um bom jogo de terror deveria, e é no mesmo esquema de FATE: pague o quanto quiser.
FUDGE - Modular, universal e genérico; promessas que GURPS e RISUS trazem, mas com abordagens diferentes, e agora, também o FUDGE. Com um esquema particular de dados (que pode ser improvisado com dados genéricos) e a promessa de flexibilidade e poucas regras, traz um nível de customização intenso. No entanto: eu nunca joguei, e, dando uma olhada no livro de referência (disponível no link), ele é muito mais pesado para o mestre na ausência de material adicional, cabendo a ele determinar regras que serão usadas ou não, realizar otimizações e equilibrar o sistema. Eu diria que ele é amigável a jogadores iniciantes, mas não mestres, com essa olhada rápida. Sugestão de rlapprentice.
3D&T (Defensores de Tóquio) - "Defensores de Tóquio" é um produto do RPG Nacional, que iniciou uma boa galera no mundo do RPG. Com uma postura um pouco menos rígida em relação a regras e um sistema mais simples (porém ainda assim elegante), o sistema já conta com versões mais atuais. A terceira edição, no entanto, um verdadeiro clássico brasileiro, pode ser encontrada gratuitamente em sua versão digital. Dica do dexterjedi!
Old Dragon - um retroclone (versão modificado de uma edição antiga de outro sistema) de AD&D (Advanced Dungeons & Dragons), o sistema é gratuito para teste via endereço da própria editora. É possível comprar o conteúdo completo caso haja interesse, mas a versão disponível deve satisfazer a necessidade de personagens até o 20º nível! Outra dica mais do que especial do dexterjedi!
Pathfinder - ainda na linha de "o que podemos fazer para melhorar um clássico", Pathfinder veio como uma versão modificada do D&D 3.5 (uma das edições mais icônicas do sistema). Usando o mesmo famoso D20 de D&D e outros sistemas reconhecidos, o SRD (System Reference Document) é liberado e configura o esqueleto daquilo que é necessário para jogar com o sistema. Uma adição especial de Chapolin_Colorado!
FERRAMENTAS ADICIONAIS
Com um bom sistema, meio caminho já está andado - mas ainda assim, sobram diversas lacunas para preencher. Como dar nome aos personagens? Como assegurar que isso ou aquilo não vá dar rolo na minha aventura? Como acelerar o longo e demorado processo de criação envolvido no GURPS que o GrifoCaolho adora? Qual uma boa idéia de masmorra para conhecer o jogo? Essas e outras necessidades são atendidas mais abaixo!
The Same Page Tool - Das coisas que mudaram minha "carreira de mestre" para melhor, essa talvez seja a mais significativa. Um problema relativamente chato de lidar com grupos maiores e com pessoas nem tão conhecidas é atender às necessidades de cada um e gerenciar conflitos. O melhor modo de fazer isso é, obviamente, não ter conflitos; esse pequeno questionário (com exemplos e tudo) foi criado no intuito de garantir que os jogadores e o mestre tenham uma idéia clara do tipo de jogo e grupo que esperam ao entrar em uma aventura ou campanha, já abordando as expectativas de cada um e o que será permitido ou não na mesa. Muito interessante para novatos e extremamente útil mesmo para mestres mais antigos.
Donjon - Um dos melhores e mais completos geradores de nomes, personagens, mundos e quase tudo que se pode imaginar. Bom para quando aquele jogador da sua mesa perguntar o nome da taverna ou do cara que vendeu o escudo para ele ou qualquer coisa do tipo. Eu sempre sugiro um pouco de cuidado ao usar essa ferramenta: vale a máxima de Ben Parker ("com grandes poderes, vem grandes responsabilidades"); o gerador não é um substituto para a imaginação, mas sim uma ferramenta para agilizar o processo.
Hexographer - Com uma versão gratuita e uma versão completa (mas paga), é uma ferramenta intuitiva para a criação de mapas em unidades hexagonais (padrão de alguns sistemas, como o GURPS). É bem útil para trazer um conceito à vida, e possibilita um enriquecimento do cenário - só não passe mais tempo desenhando que jogando.
Inkarnate - Com recursos gratuitos para a criação de mapas e não restrito a grades hexagonais, o Inkarnate ainda está sendo atualizado e testado mas já se prova uma ferramenta extremamente útil para a criação de mapas de território. Recomendo fortemente.
D&D Adventure - Recursos gratuitos em geral, com o foco em aventuras (ah vá!) para Dungeons e Dragons. É um repositório rico e muitas das aventuras aqui podem ser adaptadas para outros sistemas com alguma facilidade.
GURPS Character Sheet - Como eu não consigo passar dez minutos falando de RPG sem falar de GURPS, essa ferramenta é o "ó do borogodó" para agilizar a criação de personagens em GURPS. Gratuita e com suporte para diversos módulos, ela tem uma interface não muito intuitiva em um primeiro momento mas ajuda pacas depois de alguns curtos minutos de aprendizado.
Dyslexic Character Sheet - Como as pessoas costumam me lembrar depois de dez minutos: existem outros sistemas que não GURPS, como o consagrado Dungeons and Dragons! Para facilitar a vida do mestre e, em especial, auxiliar na criação de fichas para Pathfinder e D&D, o Dyslexic Character Sheet oferece muitas facilidades! Inteiro em inglês, com opção para tradução parcial da ficha para o português! Outra dica do dexterjedi!
Token Stamp - Montar miniaturas e arranjar fichinhas para todos os personagens e encontros da mesa pode ser complicado, e é aí que entra o token stamp. Rápida e intuitiva, essa ferramenta possibilita a criação de tokens (pequenas fichinhas para representar monstros, personagens e afins) sem dores de cabeça, podendo ser usadas tanto em mesas virtuais quanto impressas. Indicação de Gammaliel!
PLATAFORMAS ONLINE PARA JOGAR
RRPG Firecast - Uma plataforma nacional e gratuita que antecede o famoso Roll20, o RRPG Firecast é constantemente atualizado e possui uma comunidade ativa no FaceBook. Muitos dos recursos mais avançados estão por trás de uma assinatura premium e há alguma restrição para usuários comuns, mas jogar em mesas de usuários premiuns libera todas as funções para uso naquele jogo. Uma boa pedida, com anos de história e extremamente variada.
Roll20 - Com algumas parte já traduzidas para o português, o Roll20 é a ferramenta mais poderosa e intuitiva disponível gratuitamente para o uso de mestres e jogadores ao redor do mundo. Há grande presença de mesas internacionais, mas é possível encontrar mesas brasileiras com alguma pesquisa. Dica: tenho a impressão que esse é "o futuro", então vale a pena aprender a usar!
AVISO
Eu sei que a lista está incompleta (bem incompleta, na verdade), mas a intenção é que isso cresça com o tempo e dê origem a um arquivo de recursos aqui da comunidade. Conto também com vocês para enriquecer o tópico e trazer sugestões!
submitted by GrifoCaolho to rpg_brasil [link] [comments]


2017.12.23 03:53 inimigor Como eu tenho ódio de "profissionais" que fazem gambiarra por preguiça de fazer o serviço direito.

Dando um Background da situação: (TL;DR embaixo)
Eu compartilho meu carro com minha tia. É um gol G5 2012, 1.0, não é grandes coisas, mas o carro tá totalmente pago e sem multas.
 
Há cerca de 6 meses atrás, um pessoa bateu na lateral do carro. Peguei os dados e levei no funileiro que a pessoa me recomendou. Foi aí que começou a dar errado. Comprei uma porta nova pra ter certeza que não iria ficar cheia de massa, ou amassados visíveis. Ele pintou a porta, trocou elas e montou tudo "certinho". Até então tudo certo.
 
Semana passada a tranca elétrica da porta que foi trocada carro parou de funcionar. Desmontei o painel pra ver se conseguia ver o que era, já que eu mesmo troquei os motores de vidro elétrico que falharam anteriormente. E descubro:
 
Esse motor genérico que colocaram foi o que parou de funcionar. Aviso minha tia que a porta não está trancando corretamente, e evitar sair com o carro até arrumar isso.
 
Comprei o motor da porta dianteira direita do gol G5 (consegui em uma cidade vizinha) e encomendei os conectores e um parafuso novo. Pra poder montar tudo como veio de fábrica, e hoje (já tinha o motor em mãos há 3 dias, deixei no porta-malas) falei pra minha tia "amanhã de manhã eu vou trocar o motor da trava e aí o carro fica normal de novo" mas minha tia me respondeu
 
"ah, achei melhor levar na [loja da cidade que cobra caríssimo por serviços "meh"], por que acho muito perigoso deixar o carro destrancado, aí levei num lugar aqui da cidade mesmo".
 
Meu coração parou, e perguntei se o serviço já foi feito.
 
"Ele falou que a peça que você me entregou era o da porta traseira e que não servia, mas que tinha um lá pra vender, e que também tava faltando um ferrinho, mas ele conseguiu outro"
 
O "ferrinho" faltando era a trava manual da porta. Que eu tirei quando removi o motor genérico estragado pra, na pior das hipóteses eu simplesmente colocava outro igual até arrumar tudo que precisava pra recolocar o original. Aliás, era usando esse ferrinho que o motor trancava a porta, a barra do pino estava amarrado ao motor, e esse motor levantava/abaixava o pino pra (des)travar a porta.
 
O motor "que não era o certo" é sem dúvidas o dianteiro direito, e eu tenho certeza absoluta que o motor traseiro é completamente diferente. O cara enrolou minha tia pra vender um motor desnecessário.
 
Eles colocaram outro modelo de motor genérico, e colocaram uma vareta de metal toda dobrada pra fazer o serviço de trancar e destrancar a porta.
 
Veja bem, na maçaneta interna, o comportamento dela é: Se o carro está trancado, você puxa ela uma vez, e a porta destranca, você puxa novamente e ela abre a porta.
Mas com essa gambiarra que o cara fez, a porta não destranca ao puxar a maçaneta.
 
Até mesmo minha tia, acostumada com a forma como funciona normalmente, quando foi abrir a porta e ela não destrancou, simplesmente fez cara de confusa e puxou COM MAIS FORÇA. Dava pra quase quebrar a maçaneta e ela não abria.
 
Pra destravar precisa que eu aperte o botão de destravar a trava elétrica. Suponho que o motor genérico seja feito pra operar como o do Chevrolet Corsa (o carro que conheço no qual a trava elétrica se comporta assim).
 
Não bastando os caras não fazerem o serviço ** MESMO TENDO A PEÇA CORRETA EM MÃOS!!!** Ainda me fizeram o favor de ferrar a maçaneta interna. Como o ferro não encaixava, o cara colocou supercola onde a haste original normalmente encaixa.
 
Não sei se por preguiça de tirar o parafuso e montar direito, ou por avareza de não deixar de fazer um serviço, querer fazer ele rápido, cobrar mão de obra e ainda vender um motor extra. Os caras cagaram totalmente com a minha porta.
 
Eu não sei se tenho saco de processar uma merda de empresa dessas (mas se alguém souber como é os passos pode ser que eu decida processar conforme a forma como me atenderem sábado de manhã ao serem confrontados sobre a merda que fizeram).
 
Eu tô enfezado com essa porta, com a pessoa que bateu no carro, com o pintor, com minha tia, com a loja avarenta, e comigo mesmo por não ter pago pra uma pessoa de minha confiança pra arrumar a porta amassada em primeiro lugar.
 
 
TL;DR: Bateram no meu carro, ao trocar a porta o pintor trocou o motor da tranca da porta por um cocozento, obviamente ele parou de funcionar.
Minha tia levou o carro numa loja mercenária que visa lucro máximo em cada transação, e eles ferraram com a porta e a minha tia ainda pagou por isso.
submitted by inimigor to desabafos [link] [comments]


GABRIEL, OLHA O QUE VOCE GANHOU CARA !!!!!! - YouTube Como Fazer Ela Pensar em Você sem Parar 4 Coisas que você NÃO DEVE fazer no Primeiro Capítulo do ... Desmaio o que fazer? Desmaio como agir - Desmaio saiba o ... Pós da Oi  Você sabe o que é UltraGigue-se? - YouTube O Que Você Vê Primeiro Revela a Verdade Inesperada A Seu ... O Que Fazer Quando Uma Garota Olha Para Você - YouTube 15 Coisas Legais Que Você Não Sabia Sobre O Seu Corpo ... Veja tudo que o Google sabe sobre você !! - YouTube O QUE VOCÊ NÃO QUER QUE ACONTEÇA NO SEU PRIMEIRO DIA DE ...

O Que Fazer Para Demorar a Ejaculação --- Como Durar ...

  1. GABRIEL, OLHA O QUE VOCE GANHOU CARA !!!!!! - YouTube
  2. Como Fazer Ela Pensar em Você sem Parar
  3. 4 Coisas que você NÃO DEVE fazer no Primeiro Capítulo do ...
  4. Desmaio o que fazer? Desmaio como agir - Desmaio saiba o ...
  5. Pós da Oi Você sabe o que é UltraGigue-se? - YouTube
  6. O Que Você Vê Primeiro Revela a Verdade Inesperada A Seu ...
  7. O Que Fazer Quando Uma Garota Olha Para Você - YouTube
  8. 15 Coisas Legais Que Você Não Sabia Sobre O Seu Corpo ...
  9. Veja tudo que o Google sabe sobre você !! - YouTube
  10. O QUE VOCÊ NÃO QUER QUE ACONTEÇA NO SEU PRIMEIRO DIA DE ...

INSCREVA-SE: https://goo.gl/SmP63J E aí galera esse é um vídeo um pouco diferente e está muito legal! O QUER QUE ACONTEÇA NO SEU PRIMEIRO DIA DE AULA! Então ... Veja tudo que o Google sabe sobre você !! UltraGigue-se é aquela sensação incrível de não se preocupar mais com a internet do seu celular. São 50GB e apps sem gastar da sua internet: Netflix, Youtube... Desmaio é a perda súbita de consciência devido a uma falha na oxigenação do cérebro. Essa perda na oxigenação tem várias causas e pode levar a consequências ... Instagram: https://www.instagram.com/joaocaetano/ Twitter: https://twitter.com/joaocaetano Meu site: https://joaocaetano.com/ Baixe o Gameloop: http:... Neste vídeo, Vilto Reis fala sobre erros que você deve evitar no primeiro capítulo do seu livro, caso você deseje realmente escrever histórias que encantem o... Como Fazer Ela Correr Atrás de Você - Duration: 7:32. Manual do Homem 410,306 views. ... 9 Coisas Que Fazem Você Ficar Atraente - Duration: 10:39. INCRÍVEL 294,742 views. As ilusões de ótica são complicadas, para dizer o mínimo. Estamos acostumados a acreditar no que vemos, pois temos certeza de que ninguém pode enganar nossos... Você fica tímido quando uma garota joga aquele olhar para em sua direção? Bem, acontece com todos nós, mesmo com quem é confiante. Mas é mais fácil ganhar um... Você se preocupa quando seu corpo faz coisas esquisitas? Tipo… suar quando você está nervoso, se esquecer de um sonho maravilhoso ou ficar enjoado em uma via...